quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Lc 21,20-28 – Um olhar para o que não passa


Hoje, 26 de novembro, festa litúrgica do bem-aventurado Tiago Alberione, fundador da Família Paulina.

Preparo-me para a Leitura Orante, rezando, neste Dia Nacional de Ação de Graças, a oração do bem-aventurado Alberione ao Espírito Santo:
Divino Espírito Santo,
amor eterno do Pai e do Filho,
eu vos adoro, louvo e amo!
Peço-vos perdão por todas as vezes que vos ofendi
em mim e no meu próximo.
Vinde, com a plenitude de vossos dons,
nas ordenações, nas consagrações e nas crismas!
Iluminai, santificai, aumentai o zelo apostólico!
Espírito de verdade,
consagro-vos a minha inteligência,
imaginação e memória. Iluminai-me!
Dai-me conhecer Jesus Cristo Mestre.
Revelai-me o sentido profundo do Evangelho
e de tudo o que ensina a santa Igreja.
Concedei-me o dom da sabedoria,
da ciência, da inteligência e do conselho!
Espírito santificador, consagro-vos a minha vontade!
Conduzi-me sempre e em tudo conforme a vontade do Pai!
Concedei-me o dom da fortaleza e o santo temor de Deus!
Espírito de vida, consagro-vos o meu coração!
Fazei crescer em mim a vida divina.
Concedei-me o dom da piedade. Amém.
1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Leio atentamente o texto: Lc 21,20-28, e observo as palavras de Jesus.
Jesus disse ainda:
- Quando vocês virem a cidade de Jerusalém cercada por exércitos, fiquem sabendo que logo ela será destruída. Então, os que estiverem na região da Judéia, que fujam para os montes. Quem estiver na cidade, que saia logo. E quem estiver no campo, que não entre na cidade. Porque aqueles dias serão os "Dias do Castigo", e neles acontecerá tudo o que as Escrituras Sagradas dizem. Ai das mulheres grávidas e das mães que ainda estiverem amamentando naqueles dias! Porque virá sobre a terra uma grande aflição, e cairá sobre esta gente um terrível castigo de Deus. Muitos serão mortos à espada, e outros serão levados como prisioneiros para todos os países do mundo. E os não-judeus conquistarão Jerusalém, até que termine o tempo de eles fazerem isso.
E Jesus continuou:
- Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. E, na terra, todas as nações ficarão desesperadas, com medo do terrível barulho do mar e das ondas. Em todo o mundo muitas pessoas desmaiarão de terror ao pensarem no que vai acontecer, pois os poderes do espaço serão abalados. Então o Filho do Homem aparecerá descendo numa nuvem, com poder e grande glória. Quando essas coisas começarem a acontecer, fiquem firmes e de cabeça erguida, pois logo vocês serão salvos.

O objetivo deste texto que descreve o final do mundo, é motivar a esperança e a perseverança em nós. A destruição de Jerusalém pelos exércitos romanos teve característica de fim de mundo. Segundo as previsões proféticas, a intervenção salvífica de Deus, na história, seria acompanhada de fenômenos cósmicos. Não importa quando isto aconteça, mas importa que os discípulos de Jesus Cristo estejam preparados.
2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje?
Jesus recomenda que estejamos “firmes, de cabeça erguida e preparados” para este dia final. Os santos todos ofereceram orientações para este encontro com Deus. O bem-aventurado Alberione dizia: “ O paraíso é nosso tudo e único destino: nosso porque Deus nos criou para ele e Nosso Senhor Jesus Cristo reabriu para nós o paraíso perdido. Não é nosso fim conquistar riquezas, honrarias, prazeres. (...) As outras coisas sobre a face da terra são criadas para o ser humano, e para o ajudarem a atingir o fim para o qual é criado. Daí se segue que deve usar das coisas tanto quanto o ajudam para atingir o seu fim, e deve se privar delas tanto quanto o impedem. Por isso, é necessário fazer-nos indiferentes a todas as coisas criadas, em tudo o que é permitido ao nosso livre-arbítrio e não lhe é proibido, de tal maneira que da nossa parte não queiramos mais saúde que enfermidade, riqueza que pobreza, honra que desonra, vida longa que vida breve, e assim por diante em tudo o mais, desejando e escolhendo somente aquilo que mais nos conduz ao fim para o qual fomos criados”. (Donec Formetur Christus in vobis)
3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo, com o bem-aventurado Tiago Alberione:
Jesus, Mestre,
que eu pense com a tua inteligência, com a tua sabedoria.
Que eu ame com o teu coração.
Que eu veja com os teus olhos.
Que eu fale com a tua língua.
Que eu ouça com os teus ouvidos.
Que as minhas mãos sejam as tuas.
Que os meus pés estejam sobre as tuas pegadas.
Que eu reze com as tuas orações.
Que eu celebre como tu te imolaste.
Que eu esteja em ti e tu em mim. Amém.

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
“Somos chamados a encarnar o Evangelho no coração do mundo”(DGAE 2008-2009, no 21). Como vou vivê-lo na missão?
Meu novo olhar é para relativizar tudo que tem valor passageiro e valorizar o que não passa.
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tende piedade de nós.


Reze com a Família Paulina a "Via Humanitatis" do bem-aventurado Alberione. (Neste blog)

VIA HUMANITATIS - O CAMINHO DA HUMANIDADE

Bem-aventurado Tiago Alberione

1o. quadro da Via Humanitatis no santuário Rainha
dos Apóstolos, em Roma.
Histórico
O opúsculo com o texto da “Via humanitatis” foi enviado a todos os membros da Família Paulina como um “dom natalício” no Natal de 1947.
O que é Via humanitatis?
É uma oração que segue o modelo da “Via-sacra”. Enquanto a “Via-sacra” se desenvolve sobre um só segmento da paixão e morte do Salvador, a “Via humanitatis”, proposta por Padre Alberione, tem uma dimensão cósmica. O destino da pessoa humana – o seu “Caminho” – começa com a criação e a revelação natural, passa através da revelação sobrenatural da Bíblia, culminando na Encarnação de Cristo, continua na vida da Igreja e se conclui na parusia e na vida eterna.

Metodologia
Não é só uma oração, portanto, mas uma proposta teológica, baseada na doutrina de Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida. Cada um dos 30 quadros dos quais é composta a “Via humanitatis”, tem uma breve reflexão teológica (Verdade), uma invocação para assimilar a reflexão na vida concreta (Caminho) e uma oração (Vida).
A cada quadro são acrescentadas as referências bíblicas correspondentes, para facilitar a utilização durante a oração.
Introdução
Caminho da vida. Via humanitatis
Por Maria: em Cristo e na Igreja.
Tudo vem de Deus-princípio; para regressar a Deus-fim:
Maria guia ao caminho certo, que é Cristo; na Igreja por ele fundada. Em Cristo Verdade-Caminho-Vida tem-se a adoção de filhos.
O homem e a humanidade, por Cristo invisível e na Igreja visível, têm bem temporal e eterno.
Todos os filhos são esperados na casa do Pai celeste; cada um, por meio de Maria, pode encontrar o Caminho-Cristo; todos a indiquem em espírito de caridade.

I
A Santíssima Trindade reúne-se em conselho, do qual sai o decreto: «Façamos o homem à nossa imagem e semelhança» (Gn 1,26). Maria Santíssima, na mente de Deus, foi pensada como a obra mais admirável da criação.
Isto é, o princípio e o fim último de toda a criação.

Meu Senhor, sou inteiramente obra do teu amor onipotente.
Adoro-te, meu Deus, uno na natureza e trino nas pessoas.
Agradeço-te porque me fizeste para a felicidade
que está em ti e para a tua eterna glória.
Salva-me com a tua onipotência suplicante!
Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.


II
Adão e Eva são criados, colocados no paraíso terrestre, elevados à ordem sobrenatural e favorecidos por grandes privilégios; vivem em diálogo familiar com Deus, na esperança de virem a ser admitidos na bem-aventurança eterna (cf. Gn 1,4; 25).

És bendita, ó bondade infinita de Deus!
Além da vida natural, infundiste na pessoa
a vida sobrenatural da graça.
Tu a adotaste como filho,
chamado à tua mesma felicidade;
Tu a cumulaste de um amor livre e espontâneo.
Ilumina-me, para que possa conhecer
o grande tesouro da tua graça.

Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.

III

Adão e Eva, tentados pela serpente, caem no pecado, são despojados dos privilégios e dons celestes. Deus, misericordioso, preanuncia que uma Mulher esmagará a cabeça da serpente, em vista do Filho reparador e redentor (cf. Gn 3,1-24)

Bendita a misericórdia do Pai celeste!
Bendito o Filho de Deus
que se oferece para reparar o pecado do homem!
Bendito o Espírito Santo
que, em Maria, inaugura a nova
geração dos filhos de Deus!
Bendita a nova Eva,
esperança do gênero humano!

Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.

IV

A humanidade se multiplica. Deus dispõe os tempos e prepara os homens para receberem o Redentor, seu Filho. Elege, pela sua fé, Abraão como chefe de um povo do qual nascerá o fruto bendito de Maria, o Salvador do mundo (cf Gn 12,1-9;22,1-19).

Adoro e dou graças, meu Deus,
Pela tua amável e sábia Providência.
No meio das trevas do erro acende a luz da tua Verdade;
na corrupção universal, tu és o Justo;
em meio a tanta idolatria, a humanidade, em qualquer recanto da terra,
sempre alimentou um culto sincero a ti.

Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós

v

Deus dá a Lei a Moisés: quem a observa, dispõe-se a acolher a revelação e a graça da redenção. Os Justos e os Patriarcas, em expectativa, esperam o redentor, são salvos.
Assim, no deserto, quem era mordido por serpentes venenosas e dirigia o olhar para a serpente de bronze, alcançava a salvação (Cf. Ex 20,1-21; Nm 21,4-9).

És bendito, ó Pai, Filho e Espírito Santo, três pessoas em um só Deus.
Sempre estiveste perto da humanidade pecadora e errante,
e lhe indicaste o caminho e a esperança. A Lei foi dada por meio de Moisés,
a verdade e a graça por Cristo salvador.

Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.

VI

Deus suscita continuamente profetas e escritores sagrados no povo eleito: são luz para os retos; são apelo para os errantes; são conforto para os fracos. Escrevem a futura vida de Cristo e prefiguram a história da Igreja (cf. 1 Sam 1,19-28; At 9,1-19).

Eu te bendigo, ó meu Deus, com todos os povos.
Agradecemos e te adoramos!
Escreveste na criação as tuas grandezas,
na consciência a tua Lei,
na Bíblia as tuas eternas promessas.
Tu és o eterno fiel e sempre amável!
Abre a minha inteligência para compreender a tua voz de Pai amoroso.

Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.

VII

O Arcanjo Gabriel, enviado por Deus, propõe à Virgem Maria a maternidade divina. Maria aceita esta missão admirável; o Verbo se encarna no seu seio. Jesus Cristo é verdadeiro Deus e verdadeiro homem, o Messias prometido, o Mestre divino, o Sacerdote eterno (cf. Lc 1,26-38; 2,1-7; Hb 8,1-13).

Eu te bendigo, Senhor, porque realizaste as tuas promessas
na voz dos profetas.
Eu te bendigo, ó Espírito Santo, que desceste sobre Maria;
eu te bendigo, ó Filho divino,
que encarnaste, para estabelecer na Terra o reino da verdade, da santidade e da graça.
Adoro este mistério de poder e de amor.
Eis a salvação para todos os povos!


Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.


VIII

Jesus Cristo nasce em Belém. É acolhido por Maria e José, pelos pastores e pelos magos; inicia a sua escola de virtude, de verdade, de bondade. Abaixou-se até à condição de homem para elevar o homem até Deus. Foi dado para ruína e salvação dos homens (cf. Lc 2,8-39).

És bendito, adorado e acolhido por todos, ó Mestre divino, humilde e manso.
Tu agradaste ao Pai,
e todo aquele que se faz semelhante a ti
terá o beneplácito do Pai celeste.
Tu és o Filho encarnado:
por ti e em ti nos transformamos em filhos adotivos de Deus.
Tu és salvação para quem te acolhe,
e condenação para quem te rejeita.


Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.

IX

Jesus Cristo pratica as virtudes individuais, domésticas, religiosas, sociais. Restaura o homem, a família, a sociedade civil. Renova o povo de Deus. Glorifica o Pai dum modo digno. Leva uma vida de humildade, de obediência, de oração e de trabalho (cf. Lc 2,39-52).

És bendito, ó Mestre divino,
porque te fizeste semelhante a nós,
para nos tornar semelhantes a Deus.
Restauraste as ruínas provocadas
pelo mal e pelas paixões.
Mostraste-nos que podemos herdar
a felicidade divina se, sobre esta terra,
vivermos uma vida semelhante à tua.
Faze que te possamos conhecer, imitar e amar.


Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.

x

Jesus Cristo, terminada a escola do exemplo em Nazaré, inicia a escola da palavra. Sobre o monte das bem-aventuranças traça o caminho da paz e da salvação e revela Deus aos homens, anunciando a nova lei do amor (Cf. Lc 4,14-30; 6,20-38).

Eu te adoro e te dou graças, ó Mestre Divino,
por te declarares Verdade, Caminho e Vida.
Eu te reconheço como Caminho que devo percorrer,
Verdade que devo crer,
Vida que devo desejar.
Tu és meu tudo;
e eu quero ser tudo em ti: inteligência, vontade e coração.

Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.
.

XI

Jesus Cristo escolhe os doze, que chama Apóstolos, para continuarem no mundo a sua missão. Funda a Igreja, povo de crentes e seu corpo místico, e a confia aos cuidados pastorais de um chefe, Pedro, para que seja nela verdade, caminho e vida (cf. Lc 12,19; Mt 16,13-19).

És bendito, ó Jesus Cristo,
que fizeste do sacerdote um outro «Jesus».
És bendito porque instituíste a Igreja como
nossa mãe, mestra e guia.
És bendito, por a teres fundado sobre Pedro,
infalível e católica.
Meditarei sempre as tuas palavras: «Como o Pai me enviou,
também Eu vos envio a vós»:
a pregar, guiar e santificar a todos.

Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.

XII

Jesus Cristo entrega-se ao Pai como hóstia de reparação e de louvor; morre para ser a nossa vida na Terra, mediante a graça e a glória no Paraíso. A justiça e a misericórdia abraçam-se; o Pai, em Cristo, reconcilia-se com o homem; o Paraíso é de novo aberto; a todos é dirigido o convite para nele entrarem.

És bendito, ó Jesus Cristo, sacerdote e vítima.
Vítima perfeita e pontífice digno!
Em ti está a salvação, a vida e a ressurreição.
O teu sangue é fonte de salvação:
que ele se derrame sobre mim e me salve!
Ele caia sobre o mundo inteiro, o purifique e salve.


Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.


XIII

Jesus Cristo ressuscita do sepulcro; aparece a Pedro, aos doze e aos discípulos. Mostra os sinais da sua ressurreição. Nos quarenta dias que ainda permanece sobre a Terra, revela grandes mistérios, completa a sua obra de salvador, realiza prodígios admiráveis e confere poderes divinos (Cf. Lc 24, 36-53).

És bendito, ó Jesus:
morreste enquanto homem,
ressuscitaste porque Deus.
Confirmaste a tua doutrina
com a verdade da tua ressurreição.
A fé é o fundamento da minha salvação.
Confirma em mim uma fé viva,
operosa e irradiante. Que eu creia cada vez mais
e seja uma lâmpada que ilumina à minha volta.


Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.


XIV

Jesus estabelece Pedro como seu vigário visível; confia-lhe todos os fiéis e pastores; torna-o infalível quando ensina; dá-lhe autoridade para servir e amor para santificar: «Apascenta as minhas ovelhas»; entrega-lhe as chaves do reino dos Céus (Cf Jo 21,15-23).

És bendito, ó Jesus Mestre,
que em Pedro estás presente,
ensinas, confirmas, salvas.
Quem está com Pedro está contigo;
quem se separa de Pedro é como
um ramo que se separa da videira..
Separamo-nos com a mente através da descrença;
com a vontade pela rebelião,
com o coração pelo pecado.
Eu creio que Pedro é para mim
Verdade, caminho e vida em Cristo.

Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.


xv

O Espírito Santo desce sobre Maria e os Apóstolos e enche-os de sabedoria, fortaleza e zelo. A Igreja nasce, acolhe multidões, inicia o seu caminho, dirige-se a todo o povo, e será viva até ao fim do mundo (cf. At 2,1-13).

És bendito, ó Mestre Divino, que prometeste e enviaste
o Espírito Santo de junto do Pai
para iluminar e santificar a Igreja.
Por intercessão de Maria Santíssima,.
renova o Pentecostes;
suscita apóstolos em todos os tempos
e dá-lhes o Espírito de sabedoria
e de inteligência, de ciência e de conselho, de piedade e de santo temor de Deus.

Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.


XVI

Apóstolos e sacerdotes, em todo o tempo e lugar, anunciam a boa notícia ao mundo. Parte dos homens acolhe a palavra de salvação, parte fica indiferente ou persegue os evangelizadores. A Igreja é ruína para quem a rejeita e salvação para quem a acolhe. Jesus Cristo e satanás são os dois extremos: o homem na sua liberdade pode escolher (Cf. Lc 10,1-16).

Eu te bendigo, ó Mestre divino,
porque me fizeste escutar a tua Palavra de verdade.
Ela me iluminou e despertou em mim
o arrependimento, o amor e a confiança.
Que ela ressoe em todos os cantos da Terra.
Torna dóceis os corações, para que produzam trinta, sessenta e cem por um.
Ó Maria, prepara os corações
e obtém para eles o Espírito Santo.


Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.

XVII

São dois os caminhos. Um é largo e fácil, mas conduz à perdição, e muitos o percorrem; o outro é estreito, mas leva à salvação. Aqueles que são sábios se esforçam por entrar pela porta estreita. O primeiro é o caminho da liberdade do pensamento, da moral e do culto. O segundo é o caminho da fé sincera, dos mandamentos, da oração. Cada um escolhe (Cf. Mt 7,13-14).

Eu te agradeço, ó Mestre divino,
por me teres iluminado.
Da tua parte não me deixaste faltar nada:
nem luz, nem exemplos, nem graça.
Choro por mim mesmo
e por todos os que se deixaram arrastar pelos caminhos do mundo,
das paixões e do mal.
Salva-me! Quero seguir o caminho da vida.
Atrai a ti o meu coração.


Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.


XVIII

Jesus Cristo é sempre Verdade, Caminho e Vida na Igreja. Deve-se acreditar na Igreja como ao próprio Jesus Cristo. «Quem vos ouve, a mim ouve». A Igreja é mestra na fé. É intérprete da revelação contida na Escritura e na Tradição. A Igreja é infalível nas coisas da fé e da moral (Cf. Mt 10,40-42).

És bendito, Ó Mestre divino.
Faz que as pessoas acreditem, professem,
se alimentem e vivam da fé.
Sem fé não é possível agradar a Deus, nem salvar-se.
A fé é um dom de Deus.
Todo aquele que a pede com sinceridade, a obtém.
Perde-se quando se segue doutrinas que se opõem à Igreja.

Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.

XIX

A Igreja, como Jesus Cristo, é mestra da santidade. Para nos salvarmos é preciso praticar a sua moral. Somos santos quando vivemos os mandamentos da Lei de Deus e os preceitos da Igreja e os deveres do próprio estado. A Igreja tudo guarda, propõe e inculca (Cf. At 2,42-47; 4,32-35).

És bendito, ó Mestre divino, que na Igreja
e com a Igreja continuas a ser o meu caminho.
Quem te segue caminha em direção ao céu.
Quem se afasta de ti, perde-se:
não escuta nem à Igreja, nem a ti, nem ao teu Pai.
Bendita seja a voz da mãe-Igreja pelos seus filhos.

Cada filho pródigo ressurja e regresse ao Pai
e à sua mãe..

Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.

xx

A Igreja, em Jesus Cristo, é mestra de oração e de vida espiritual. Ela recebeu e administra os Sacramentos. O batismo dá a vida, a crisma confirma-a, a reconciliação a restaura, a eucaristia a alimenta, a unção dos enfermos a completa, o matrimônio garante a sociedade civil, a ordem assegura a continuidade da Igreja (Cf. 1Cor 14,1-25).

Eu te agradeço, ó Mestre divino,
autor dos sacramentos que a Igreja administra.
Neles operas com as tuas virtudes divinas.
Por eles vivemos e operamos em ti,
como o ramo vive da videira
e nela frutifica.
Por eles tenhamos o teu gozo eterno.


Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.

XXI

Principal meio para viver em Cristo é a Eucaristia. Por ela perpetua-se o sacrifício da cruz. Por ela Jesus Cristo permanece sempre entre as pessoas e comunica os frutos da sua presença. Por ela as pessoas unem-se a ti com a mente, a vontade e o coração (Cf. 1Cor 11,233-34).

Eu te agradeço e bendigo, ó Mestre divino,
que na última Ceia instituíste este sacramento,
mistério da fé, de amor e de graça.
Contigo, em ti e por ti, Jesus hóstia, adoro,
agradeço, reparo e suplico o Pai Celeste.
És bendito por teres instituído o sacerdócio
que renova, guarda e distribui a eucaristia.
Os sacerdotes são teus ministros
e distribuidores dos teus mistérios.
Quero viver uma vida eucarística.


Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.


XXII

A Igreja é confiada a Maria. Na criação, na redenção, na distribuição das graças e na ordem da glória, Maria ocupa um lugar proeminente. Ela dá Jesus Cristo ao mundo e a todos as pessoas. É mãe de Deus e da Igreja. Todos os bens nos vêm por Maria. De Maria vem a vida. Ela é nossa mãe (Cf. Jo 19,25-27; Gl 4,4-5).

És bendito, ó meu Deus:
como a vida natural vem da mãe,
assim a vida sobrenatural vem de Maria.
É a raiz que faz brotar a flor,
é a mãe que dá o fruto bendito do seu ventre,
é a aurora que anuncia o sol.
Onde entra Maria, entra também Jesus.
Quem encontra a Mãe, encontra também o Filho.
Por Maria o caminho é seguro e breve.
Jesus nos precede com o exemplo:
Ele se fez filho de Maria.

Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.

XXIII

A vida cristã é imensamente superior à vida humana. Leva à felicidade eterna. O cristão autêntico evita o pecado, vive a fé, pratica os mandamentos, celebra o culto cristão. Cumpre os deveres de estado, no seio da família e da sociedade. Comporta-se como bom pai, bom filho, bom cidadão, bom profissional (Cf. Cl 3,1-25).

Eu te agradeço, ó meu Deus, porque quisestes
instaurar todas as coisas em Cristo.
Chamaste o homem a imitar a
tua vida divina, em Cristo.
Muitos fiéis se distinguem na prática
das virtudes ordinárias, honram a Deus,
a Igreja e a sociedade.
Em muitos casos, são também benfeitores da humanidade.
Devo imitar a Deus em Cristo, vida da pessoa.

Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.

XXIV

Em Cristo e na Igreja a civilização cristã encontra resposta: a convivência cristã dos povos. A civilização cristã é orientada segundo o evangelho, segundo a interpretação feita pelo magistério pontifício. A convivência cristã é humano-evangélica, na verdade, na ordem, na paz, no progresso. É caminho para o reino de Deus (Cf. 1Pd 2,1-17).

Adoro a tua sabedoria, ó Mestre divino.
Quiseste a sociedade civil e a
Igreja independentes, mas numa cooperação admirável.
Quiseste a união entre todos os povos:
todos filhos de Deus;
redimidos pelo teu sangue;
a caminho da casa paterna.
Na civilização cristã está o máximo progresso
Temporal e espiritual.

Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.

xxv

A Igreja foi instituída una, como um é Jesus Cristo e um é Pedro. Nela há unidade de fé, de governo, de caridade, embora na multiplicidade dos povos e das culturas. A catolicidade, a apostolicidade, a romanidade, são as notas que a distinguem. Todos são convidados a entrar na Igreja (Cf. Ef 1,22; 5,23; At 8,1; 11,22; Gl 6,10; 1Ts 5,15; 1Cor 1,10).

Eu te agradeço, Mestre divino, pela instituição da Igreja, mãe dos crentes. Eu creio, amo, coopero, sofro pela sua difusão; com o teu exemplo tu a redimiste com o teu sangue e a quiseste santa, gloriosa, imaculada.
Regressem a ela os filhos dissidentes, entrem nela todos aqueles que ainda não acreditam. Devo ser um filho digno desta mãe para ser um digno filho de Deus.


Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.

XXVI

Deus deixa a pessoa livre, embora lhe dê uma lei e lhe proponha a verdade, pedindo um culto espiritual. Mas, terminada a vida de provação, Deus chama cada pessoa ao seu juízo: Jesus Cristo projetará sobre a pessoa uma luz pela qual ela verá tudo quanto fez e tudo o que omitiu. Em consequência disto, as sentenças podem ser três: paraíso, purgatório, inferno (Cf. Gn 2,3; Dt 11,26; 30,15-19; Jr 21,8; Rm 6,22; 14,18).

Eu te agradeço, meu Deus,
Pai que me criaste para ti.
Eu saí das tuas mãos criadoras!
Regressarei às tuas mãos de Juiz e de Pai.
A eternidade depende de mim;
quem quer se salva.
Preciso da tua graça:
muita luz, muito conforto.
Eu espero em ti. .

Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.
.
XXVII

O inferno é um estado de castigo eterno para os rebeldes. Não procuraram a Deus e por isso serão privados dele para sempre. Seguiram livremente o mal e experimentarão para sempre a pena. (Cf. Lc 16,19-31).

Meu Deus, eu te agradeço a luz que hoje me dás.
Só se vai para o inferno, conscientemente, voluntariamente. Posso evitar o pecado e obter o perdão das minhas faltas cometidas.
«Livra-nos, Senhor, das penas do inferno». O verdadeiro mal é o pecado;
Devo temer mais o pecado do que a morte.


Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.

XXVIII

O paraíso é o prêmio eterno para aqueles que obedeceram. Procuraram a Deus e o possuirão para sempre. Os que procuraram os bens espirituais, e os gozarão eternamente. O Paraíso é visão de Deus, merecida por termos cumprido a sua vontade; é a alegria em Deus, por tê-lo amado (Cf. Is 65,17-25; Ap 2,7; 22,2-5).

Eu te agradeço, Mestre divino,
pela esperança que infundiste no meu ser.
Eu creio e espero a vida eterna.
Contemplo Jesus à direita do Pai;
a virgem Maria à direita do Filho;
uma multidão impossível de se enumerar.
São necessárias: a graça e a cooperação.
Quem reza, se salva, quem não reza se condena.


Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.

XXIX

No fim dos tempos, todos ressuscitarão; cada um terá o seu próprio destino. Haverá a definitiva separação eterna. Aparecerá o Juiz; tudo será manifesto e se ouvirá a sentença final: «Vinde, benditos, para o Reino do meu Pai»; «Ide, malditos, para o fogo eterno». Os justos entrarão na vida; os maus, no castigo eterno. Epílogo da história humana, dia do Senhor, de verdade e de justiça (cf. Mt 25,31-46).

Medito, ó Mestre divino,
as tuas palavras eternas.
Será glorificada a misericórdia
e a justiça de Deus;
será exaltada a redenção;
serão reconhecidos os méritos dos eleitos;
serão confundidos todos os maus.
Penso nos deveres sociais: «Tudo o que fizestes a um destes irmãos mais pequenos, foi a mim que o fizestes».

Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.

XXX
A redenção chega às pessoas através das pessoas. Sacerdócio hierárquico, religiosos, religiosas, leigos, cooperadores na missão. «Como o Pai me enviou, assim eu vos envio a vós». A Igreja reúne e e apascenta ovelhas e cordeiros para convidá-los amavelmente a regressar ao redil celeste. Deus quer salvar todas as pessoas e que todas cheguem à verdade (Cf. 1Tm 2,3-7).

Jesus, Divino mestre,
manda bons operários à tua messe.
A messe é grande,
Jesus, apóstolo do Pai,
faze-me escutar o suspiro do teu coração:
um só rebanho, um só pastor.
Apostolado da vida interior,
do sofrimento e da oração,
do exemplo e das edições,
da palavra e das vocações,
apostolado da caridade na verdade.
Suscita, ó Maria, um forte desejo
de salvação em Cristo e na Igreja.


Glória a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas de boa vontade
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tem piedade de nós.
Ó Maria, Rainha dos Apóstolos, roga por nós.

Oração ou canto do Credo.