terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Lc 2, 22-40 - Em sintonia com a vontade do Pai

Preparo-me para a Leitura Orante, com todos os que se reúnem na grande rede da internet para rezar a Palavra, com a disposição de São Patrício (séc. V), o grande missionário da Irlanda:
Levanto-me neste dia que amanhece,
Pela força de Deus a me empurrar,
Pela força de Deus a me amparar,
Pela sabedoria de Deus a me guiar,
Pelo olhar de Deus a vigiar meu caminho,
Pelo ouvido de Deus a me escutar,
Pela Palavra de Deus a me falar,
Pela mão de Deus a me guardar,
Pelo caminho de Deus à minha frente,
Pelo escudo de Deus que me protege.
1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia? Leio atentamente o texto Lc 2, 22-40
Chegou o dia de Maria e José cumprirem a cerimônia da purificação, conforme manda a Lei de Moisés. Então eles levaram a criança para Jerusalém a fim de apresentá-la ao Senhor. Pois está escrito na Lei do Senhor: "Todo primeiro filho será separado e dedicado ao Senhor." Eles foram lá também para oferecer em sacrifício duas rolinhas ou dois pombinhos, como a Lei do Senhor manda.
Em Jerusalém morava um homem chamado Simeão. Ele era bom e piedoso e esperava a salvação do povo de Israel. O Espírito Santo estava com ele, e o próprio Espírito lhe tinha prometido que, antes de morrer, ele iria ver o Messias enviado pelo Senhor. Guiado pelo Espírito, Simeão foi ao Templo. Quando os pais levaram o menino Jesus ao Templo para fazer o que a Lei manda, Simeão pegou o menino no colo e louvou a Deus. Ele disse:
- Agora, Senhor, cumpriste a promessa que fizeste  e já podes deixar este teu servo partir em paz.  Pois eu já vi com os meus próprios olhos  a tua salvação, que preparaste na presença de todos os povos: uma luz para mostrar o teu caminho  a todos os que não são judeus e para dar glória ao teu povo de Israel.
O pai e a mãe do menino ficaram admirados com o que Simeão disse a respeito dele. Simeão os abençoou e disse a Maria, a mãe de Jesus:
- Este menino foi escolhido por Deus tanto para a destruição como para a salvação de muita gente em Israel. Ele vai ser um sinal de Deus; muitas pessoas falarão contra ele, e assim os pensamentos secretos delas serão conhecidos. E a tristeza, como uma espada afiada, cortará o seu coração, Maria.
Havia ali também uma profetisa chamada Ana, que era viúva e muito idosa. Ela era filha de Fanuel, da tribo de Aser. Sete anos depois que ela havia casado, o seu marido morreu. Agora ela estava com oitenta e quatro anos de idade. Nunca saía do pátio do Templo e adorava a Deus dia e noite, jejuando e fazendo orações. Naquele momento ela chegou e começou a louvar a Deus e a falar a respeito do menino para todos os que esperavam a libertação de Jerusalém.
Quando terminaram de fazer tudo o que a Lei do Senhor manda, José e Maria voltaram para a Galiléia, para a casa deles na cidade de Nazaré.
O menino crescia e ficava forte; tinha muita sabedoria e era abençoado por Deus.
Nossos olhos viram a salvação
Depois do seu nascimento, Jesus foi levado por seus pais ao templo, para cumprir o ritual judaico.
A Carta aos Hebreus proclama a Palavra: " 'Estou aqui, ó Deus para fazer a tua vontade'." (Hb 10,9). A Apresentação de Jesus ao Templo revela que ele não veio para fazer coisas, mas para estar em sintonia com a vontade do Pai. E mais: é Deus no meio de nós, ou melhor ainda, "Deus-conosco!"
O grande teólogo Edward Schillebeeckx, que faleceu no dia 23 de dezembro (2009), afirmava que "Deus se revelou em Jesus, conforme a concepção cristã, valendo-se do não-divino do seu ser homem... Jesus partilhou conosco na cruz da fragilidade de nosso mundo. Mas este fato significa que em sua absoluta liberdade e antes de todo tempo, Deus determina quem e como quer ser no seu ser mais profundo, a saber, um Deus dos homens, companheiro de aliança em nosso sofrer e em nossa absurdidade, e companheiro de aliança também no que realizamos de bem. Ele é, em seu próprio ser, um Deus por nós".
2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje?
O teólogo Schillebeeckx, citado anteriormente, diz ainda que "Maria é o braço que une a humanidade santa e salvadora de Cristo à nossa humanidade".
Ela apresentou Jesus no Templo e ali se revelou o Salvador, na voz de Simeão: "eu já vi com os meus próprios olhos a tua salvação, que preparaste na presença de todos os povos: uma luz para mostrar o teu caminho a todos os que não são judeus e para dar glória ao teu povo de Israel".
Tenho um Salvador, jamais devo perder a esperança e a fé.
3. Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo com a Oração de São Patrício:
Cristo está comigo, Cristo à minha frente,
Cristo atrás de mim, Cristo em mim,
Cristo à minha direita, Cristo à minha esquerda,
Cristo ao me deitar, Cristo ao me sentar, Cristo ao me levantar,
Cristo no coração de todos os que pensarem em mim,
Cristo na boca de todos os que falarem em mim,
Cristo em todos os olhos que me virem,
Cristo em todos os ouvidos que me ouvirem.
4. Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Meu novo olhar é de reconhecimento da salvação que também nós "vimos com nossos próprios olhos". Ele, Jesus Cristo, é a luz que ilumina o nosso caminho.


Produção: Ir. Patrícia Silva, fsp
Obs.: Se você quiser receber o Evangelho do Dia,  preencha o formulário de cadastro, no seguinte endereço:  http://www.paulinas.org.br/loja/CentralUsuarioLogin.aspx

Nenhum comentário: