sexta-feira, 21 de maio de 2010

Jo 21,15-19– O cuidado do rebanho


 Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos
16 a 23 de maio de 2010
Preparo-me para a Leitura Orante orando com todos os internautas, rezando uma das orações da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos.
Deus da História, nós te agradecemos por todos os que têm partilhado conosco sua história de fé e assim deram testemunho de tua presença em suas vidas. Nós te louvamos pela variedade de nossas histórias, de pessoas e de Igrejas. Nessas histórias vemos o desenvolvimento da única história de Jesus Cristo. Pedimos coragem e convicção para partilhar nossa fé com aqueles com quem nos colocamos em contato, e assim possibilitar que a mensagem da tua Palavra se divulgue para todos.
1. Leitura (Verdade)
O que a Palavra diz?
Fixo o meu olhar em Deus, através da Palavra.
Faço a leitura lenta e atenta do texto da Palavra do dia: Jo 21,15-19.
Quando eles acabaram de comer, Jesus perguntou a Simão Pedro:
- Simão, filho de João, você me ama mais do que estes outros me amam?
- Sim, o senhor sabe que eu o amo, Senhor! - respondeu ele.
Então Jesus lhe disse:
- Tome conta das minhas ovelhas!
E perguntou pela segunda vez:
- Simão, filho de João, você me ama?
Pedro respondeu:
- Sim, o senhor sabe que eu o amo, Senhor!
E Jesus lhe disse outra vez:
- Tome conta das minhas ovelhas!
E perguntou pela terceira vez:
- Simão, filho de João, você me ama?
Então Pedro ficou triste por Jesus ter perguntado três vezes: "Você me ama?" E respondeu:
- O senhor sabe tudo e sabe que eu o amo, Senhor!
E Jesus ordenou:
- Tome conta das minhas ovelhas. Quando você era moço, você se aprontava e ia para onde queria. Mas afirmo a você que isto é verdade: quando for velho, você estenderá as mãos, alguém vai amarrá-las e o levará para onde você não vai querer ir.
Ao dizer isso, Jesus estava dando a entender de que modo Pedro ia morrer e assim fazer com que Deus fosse louvado.
Então Jesus disse a Pedro:
- Venha comigo!
Um momento de silêncio interior, recordo o que li.
É a terceira vez que Jesus ressuscitado aparece aos discípulos. O diálogo com Pedro desperta várias reações: de reconciliação, depois que havia negado o Mestre por três vezes; de missão: “Tome conta das minhas ovelhas”. Pedro recebe esta missão especial na comunidade que sempre será o “rebanho” de Jesus.
2. Meditação (Caminho)
O que a Palavra diz para mim?
Sob a luz da verdade – Jesus está vivo! – e confia a Igreja aos apóstolos na pessoa de Pedro. Em que consiste “tomar conta do rebanho”? Os bispos, em Aparecida, falaram de “tarefas prioritárias” dos discípulos e missionários de Jesus: “O fato de ser discípulos e missionários de Jesus Cristo para que nossos povos, n'Ele, tenham vida leva-nos a assumir evangelicamente e a partir da perspectiva do Reino as tarefas prioritárias que contribuem para a dignificação do ser humano e a trabalhar junto com os demais cidadãos e instituições para o bem do ser humano. O amor de misericórdia para com todos os que vêem vulnerada sua vida em qualquer de suas dimensões, como bem nos mostra o Senhor em todos seus gestos de misericórdia, requer que socorramos as necessidades urgentes, ao mesmo tempo que colaboremos com outros organismos ou instituições para organizar estruturas mais justas nos âmbitos nacionais e internacionais. É urgente criar estruturas que consolidem uma ordem social, econômica e política na qual não haja iniquidade e onde haja possibilidade para todos. Igualmente, requerem-se novas estruturas que promovam uma autêntica convivência humana, que impeçam a prepotência de alguns e que facilitem o diálogo construtivo para os necessários consensos sociais." .(DA, 384).
3. Oração (Vida)
O que a Palavra me leva a dizer a Deus?
Meu coração já está em sintonia com todas as Igrejas cristãs que celebram a Semana de Oração pela Unidade. Faço com todos, mais um gesto.
GESTO: Uma cruz ou crucifixo é colocada em lugar de destaque. Se feito em grupo ou comunidade, pode ser acompanhado por música.
Voz 1: Não era preciso que o Cristo sofresse isso para entrar na sua glória?
Voz 2: Tenho visto a desumanidade do homem para com o homem
– em homens, em mulheres e naqueles que são pouco mais que crianças.
Já tenho visto o sofrimento de alguém que amo
e me sentido incapaz de erguê-lo de sua cruz.
Às vezes eu grito: Por que, ó Deus, por que?
Voz 1: Há muitos tipos de sofrimento.
A guerra, o terrorismo e a crueldade humana nos lembram
que temos o poder de encarnar qualquer palavra:
por causa de Cristo, temos que nos certificar que essa palavra seja amor.
Não podemos suprimir os sofrimentos de doenças ou perdas,
mas podemos entrar na dor e partilhá-la, com amor.
Voz 2: Da cruz de Cristo manchada de sangue
brotou a colheita de fidelidade, perdão e amor.
Eu conheço essa colheita.
(aqui se fazem testemunhos espontâneos)
Ambos: Nós somos testemunhas dessas coisas.
Todos: Oramos por todos que sofrem nas mãos de outros.
E oramos por aqueles que provocam sofrimento.
Agradecemos por aqueles que personificam o amor em ação
e vão onde até anjos temem pisar.
Oramos por aqueles que estão doentes, pelos que cuidam deles
e por aqueles que estão próximos da morte.
Louvamos a Deus por sua promessa
de que não há nada, na vida ou na morte,
que possa nos separar do amor de Deus.
Amém.
4. Contemplação (Vida/Missão)
Passarei o dia com o olhar com fé voltado para a Igreja. Perceberei a ação de Jesus Ressuscitado em cada momento de meu dia.
Bênção
Que Deus todo poderoso repouse sobre teus ombros
e proteja todos os teus passos.
Que o Filho de Maria habite em teu coração
e que o Espírito Santo se derrame sobre ti.
Irmã Patrícia Silva, fsp

Nenhum comentário: