domingo, 29 de março de 2015

Mc 14,1-15,47 - Domingo de Ramos e da Paixão

Já na Semana Santa, inicio este momento de Leitura Orante,
em sintonia com todos os internautas e com
a ação de graças dos bispos na Conferência de Aparecida:
“ Bendizemos a Deus que se nos dá na celebração da fé,
especialmente na Eucaristia, pão de vida eterna.
A ação de graças a Deus pelos numerosos e admiráveis dons que nos outorgou
culmina na celebração central da Igreja,
que é a Eucaristia, alimento substancial dos discípulos e missionários.” (DAp 26).

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Mc 14,1-15, 47, e observo as palavras e gestos de Jesus:
Faltavam dois dias para a Festa da Páscoa e a Festa dos Pães sem Fermento. Os chefes dos sacerdotes e os mestres da Lei procuravam um jeito de prender Jesus em segredo e matá-lo. Eles diziam:- Não vamos fazer isso durante a festa, para não haver uma revolta no meio do povo. Jesus estava no povoado de Betânia, sentado à mesa na casa de Simão, o Leproso. Então uma mulher chegou com um frasco feito de alabastro, cheio de perfume de nardo puro, muito caro. Ela quebrou o gargalo do frasco e derramou o perfume na cabeça de Jesus. Alguns que estavam ali ficaram zangados e disseram uns aos outros: - Que desperdício! Esse perfume poderia ter sido vendido por mais de trezentas moedas de prata, que poderiam ser dadas aos pobres. Eles criticavam a mulher com dureza, mas Jesus disse: - Deixem esta mulher em paz! Por que é que vocês a estão aborrecendo? Ela fez para mim uma coisa muito boa. Pois os pobres estarão sempre com vocês, e, em qualquer ocasião que vocês quiserem, poderão ajudá-los. Mas eu não estarei sempre com vocês. Ela fez tudo o que pôde, pois antes da minha morte veio perfumar o meu corpo para o meu sepultamento. Eu afirmo a vocês que isto é verdade: em qualquer lugar do mundo onde o evangelho for anunciado, será contado o que ela fez, e ela será lembrada.
 Judas Iscariotes, que era um dos doze discípulos, foi falar com os chefes dos sacerdotes para combinar como entregaria Jesus a eles. Quando ouviram o que ele disse, eles ficaram muito contentes e prometeram dar dinheiro a ele. Assim Judas começou a procurar uma oportunidade para entregar Jesus.
No primeiro dia da Festa dos Pães sem Fermento, em que os judeus matavam carneirinhos para comemorarem a Páscoa, os discípulos perguntaram a Jesus:
- Onde é que o senhor quer que a gente prepare o jantar da Páscoa para o senhor?
Então Jesus enviou dois discípulos com a seguinte ordem:
- Vão até a cidade. Lá irá se encontrar com vocês um homem que estará carregando um pote de água. Vão atrás desse homem e digam ao dono da casa em que ele entrar que o Mestre manda perguntar: "Onde fica a sala em que eu e os meus discípulos vamos comer o jantar da Páscoa?" Então ele mostrará a vocês no andar de cima uma sala grande, mobiliada e arrumada para o jantar. Preparem ali tudo para nós.
Os dois discípulos foram até a cidade e encontraram tudo como Jesus tinha dito. Então prepararam o jantar da Páscoa. Enquanto estavam comendo, Jesus pegou o pão e deu graças a Deus. Depois partiu o pão e o deu aos discípulos, dizendo:
 - Peguem; isto é o meu corpo. Em seguida, pegou o cálice de vinho e agradeceu a Deus. Depois passou o cálice aos discípulos, e todos beberam do vinho. Então Jesus disse:
 - Isto é o meu sangue, que é derramado em favor de muitos, o sangue que garante a aliança feita por Deus com o seu povo. Eu afirmo a vocês que isto é verdade: nunca mais beberei deste vinho até o dia em que beber com vocês um vinho novo no Reino de Deus.

Este momento se dá na época da Páscoa, quando havia em Jerusalém grande aglomerado de pessoas. Os chefes e mestres da Lei queriam acabar com Jesus. Ele está em Betânia,  sentado à mesa na casa de Simão, o Leproso, ou seja, curado da doença da lepra. Então uma mulher anônima chegou com um frasco  de alabastro, cheio de perfume de nardo puro, muito caro. Trezentas moedas de prata correspondiam ao salário de trezentos dias de um operário. Este detalhe revela o quanto ela apreciava o hóspede. Alguns acharam isto um desperdício, mas Jesus fala que a deixem pois, ao ungi-lo ela participou por antecipação, no seu sepultamento. O texto narra um detalhe interessante: "ela quebrou o frasco". Isto simboliza o dom total, sem reservas, como é o amor verdadeiro. Jesus diz que pobres sempre terão. Não quer dizer com isso que menospreza os pobres, mas que, se todos tivessem a atitude da mulher, os pobres nem existiriam, pois seriam ajudados. De certa forma, Ele denuncia a mesquinhez dos que não partilham.
Num segundo momento, o texto fala da última ceia pascal, que Jesus celebrou com seus discípulos, ele mesmo nos revela o mistério: "Isto é meu  Corpo.(...) Isto é o meu sangue”. E nos convida a alimentar-nos dele. É na Eucaristia que nos alimentamos do Pão da Vida, o próprio Senhor Jesus. Veja esta música:

Este Pão (Pe. Zezinho, scj)

Este pão, que a gente chama: eucaristia,
É lembrança de uma ceia sem igual.
Quem partiu aquele pão naquele dia,
Partiu o pão, Partiu o pão,Partiu o pão,
E dentro dele achou o céu,
Achou o céu,Achou o céu

Este pão, que a gente chama: eucaristia,
No deserto desta vida é o novo maná.
Quem tem fome de justiça e de luz,
Aproxime-se da mesa de Jesus!

CD Muito mais que pão - Pe. Zezinho, scj - Paulinas/COMEP 


2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje?
Jesus  se fez pão para ficar conosco. Quis ser meu alimento. Como acolho e recebo este alimento? Os bispos, em Aparecida, disseram:
"Louvamos a Deus porque Ele continua derramando seu amor em nós pelo Espírito Santo
e nos alimentando com a Eucaristia, pão da vida (cf. Jo 6,35)”. (DAp 106).

3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo ao Senhor, com toda a Igreja:
Adoremos a Cristo que, ao entrar em Jerusalém, foi aclamado pela multidão como o Rei e
Messias esperado. Também nós o louvemos com alegria:


R. Bendito o que vem em nome do Senhor!

Hosana a vós, Filho de Davi e Rei eterno, 
– hosana a vós, vencedor da morte e do inferno! R.


Vós, que subistes a Jerusalém para sofrer a Paixão, e assim entrar na glória, 
– conduzi vossa Igreja à Páscoa da eternidade. R.


Vós, que transformastes o madeiro da cruz em árvore da vida, 
– concedei de seus frutos aos que renasceram pelo batismo. R.


Cristo, nosso Salvador, que viestes para salvar os pecadores, 
– conduzi para o vosso Reino os que creem em vós, em vós esperam e vos amam. R.

(intenções livres)
Pai nosso...
Oração 
Deus eterno e todo-poderoso, para dar aos seres humanos um exemplo de humildade, quisestes
que o nosso Salvador se fizesse homem e morresse na cruz. Concedei-nos aprender o
ensinamento da sua Paixão e ressuscitar com ele em sua glória. Por nosso Senhor Jesus Cristo,
vosso Filho, na unidade do Espírito Santo
.

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra? Meu olhar será iluminado pela Eucaristia e meus passos seguirão os passos de Jesus nesta Semana Santa.

Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Amém.

I. Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br

domingo, 22 de março de 2015

Jo 12,20-33 - Queremos ver Jesus!

Preparo-me para este momento
de Leitura Orante da Palavra, rezando com toda a Igreja:

- Vinde, ó Deus, em meu auxílio.
- Socorrei-me sem demora.
- Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
- Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Hino
Humildes, ajoelhados
na prece que a fé inspira,
ao justo Juiz roguemos
que abrande o rigor da ira.

Ferimos por nossas culpas
o vosso infinito amor.
A vossa misericórdia
do alto infundi, Senhor.

Nós somos, embora frágeis,
a obra de vossa mão;
a honra do vosso nome
a outros não deis, em vão.

Senhor, destruí o mal,
fazei progredir o bem;
possamos louvar-vos sempre,
e dar-vos prazer também.

Conceda o Deus Uno e Trino,
que a terra e o céu sustém,
que a graça da penitência
dê frutos em nós. Amém.

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
“Conhecer a Jesus Cristo pela fé é nossa alegria; segui-lo é uma graça, e transmitir este tesouro aos demais é uma tarefa que o Senhor, ao nos chamar e nos eleger, nos confiou.” (DAp,18).
Assim, invocamos as luzes do Espírito Santo, para este momento:
Espírito de verdade,
a ti consagro a mente e meus pensamentos: ilumina-me.
Que eu conheça Jesus Mestre
e compreenda o seu Evangelho.
Leio atentamente, na Bíblia,  o texto: Jo 12,20-33
Entre o povo que tinha ido a Jerusalém para tomar parte na festa, estavam alguns não-judeus. Eles foram falar com Filipe, que era da cidade de Betsaida, na Galiléia, e pediram: Senhor, queremos ver Jesus. Filipe foi dizer isso a André, e os dois foram falar com Jesus. Então ele respondeu: Chegou a hora de ser revelada a natureza divina do Filho do Homem. Eu afirmo a vocês que isto é verdade: se um grão de trigo não for jogado na terra e não morrer, ele continuará a ser apenas um grão. Mas, se morrer, dará muito trigo. Quem ama a sua vida não terá a vida verdadeira; mas quem não se apega à sua vida, neste mundo, ganhará para sempre a vida verdadeira.Quem quiser me servir siga-me; e, onde eu estiver, ali também estará esse meu servo. E o meu Pai honrará todos os que me servem. Jesus continuou: Agora estou sentindo uma grande aflição. O que é que vou dizer? Será que vou dizer: Pai, livra-me desta hora de sofrimento? Não! Pois foi para passar por esta hora que eu vim. Pai, revela a tua presença gloriosa!
Então do céu veio uma voz, que dizia: Eu já a revelei e a revelarei de novo. A multidão que estava ali ouviu a voz e dizia que era um trovão. Outros afirmavam que um anjo tinha falado com Jesus. Mas ele disse: Não foi por minha causa que veio esta voz, mas por causa de vocês. Chegou a hora de este mundo ser julgado, e aquele que manda nele será expulso. E, quando eu for levantado da terra, atrairei todas as pessoas para mim. Ele dizia isso para indicar de que maneira ia morrer.
Os não-judeus que falam com Filipe pedindo para ver Jesus, eram considerados pagãos. "Ver", na linguagem do evangelista João, significa muito mais que ver e visitar. É estar junto, conviver, seguir. Filipe e André apresentam o pedido dos pagãos a Jesus. Este, por sua vez, em resposta,  faz este magnífico discurso com frases breves, trazendo a imagem do grão de trigo, as exigências do seguimento, o anúncio de sua "hora", a aflição que sente. Fala também de sua relação com o Pai e, até, num momento profundo faz uma pequena oração ao Pai: "Pai, revela a tua presença!" E o Pai, que está sempre presente, responde, confirmando que está aí. A multidão chega a confundir a voz do Pai com um trovão. Alguns diziam que um anjo tinha falado com Jesus. O Mestre diz, então, que "chegou a hora" e que, quando "for levantado da terra" atrairá todos a si, inclusive os considerados pagãos. Ser levantado da terra significava ser pregado na cruz. Os não-judeus, chamados "gregos" em algumas traduções, não só viram Jesus, mas também eles tiveram a certeza de que são atraidos, convocados por Jesus para o Reino.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje?
Jesus me fala de  seguimento. Seguir Jesus é optar pelo caminho da vida. É ser atraído por Ele e estar sempre na presença do Pai.
Os bispos, em Aparecida, na V Conferência, nos lembraram dois caminhos. Um caminho de vida e outro de morte. "Hoje se considera escolher entre caminhos que conduzem à vida ou caminhos que conduzem à morte (cf. Dt 30.15). Caminhos de morte são os que levam a dilapidar os bens que recebemos de Deus através daqueles que nos precederam na fé. São caminhos que traçam uma cultura sem Deus e sem seus mandamentos ou inclusive contra Deus, animada pelos ídolos do poder, da riqueza e do prazer efêmero, a qual termina sendo uma cultura contra o ser humano e contra o bem dos povos latino-americanos. Os caminhos de vida verdadeira e plena para todos, caminhos de vida eterna, são aqueles abertos pela fé que conduzem à “plenitude de vida que Cristo nos trouxe: com esta vida divina, também se desenvolve em plenitude a existência humana, em sua dimensão pessoal, familiar, social e cultural”.  Essa é a vida que Deus nos participa por seu amor gratuito, porque “é o amor que dá a vida” ( DAp 13).
Para viver a Palavra:
Senhor nosso Deus,
dai-nos por vossa graça caminhar com alegria na mesma caridade que
levou o vosso Filho a entregar-se à morte no seu amor pelo mundo.
Por nosso Senhor Jesus
Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

3.Oração (Vida)
Agora, com toda a Igreja, rezamos:
Oração da CF 2015
Ó Pai, Alegria e esperança de vosso povo,
vós conduzis a Igreja, servidora da vida,
nos caminhos da história.
A exemplo de Jesus Cristo
e ouvindo sua palavra
que chama à conversão,
seja vossa Igreja testemunha viva de
fraternidade
e de liberdade, de justiça e de paz.
Enviai o vosso Espírito da verdade
para que a sociedade se abra
à aurora de um mundo justo e solidário,
sinal do Reino que há de vir.
Por Cristo Senhor nosso.
Amém!

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Com os olhos iluminados pela luz da Palavra podemos e queremos ver Jesus no hoje, na nossa história, na nossa vida pessoal, familiar, comunitária, eclesial.
Frase para memorizar e lembrar várias vezes durante o dia, como uma oração: "Queremos ver Jesus",

Bênção
O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna. Amém.
Em nome do Pai,....

I. Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br

domingo, 15 de março de 2015

Jo 3, 14-21 - Diálogo de Jesus com Nicodemos

Preparo-me para a Leitura Orante,
rezando com todos os internautas
que se encontram neste momento de oração:
Creio, meu Deus, que estou diante de Ti.
Que me vês e escutas as minhas orações.
Tu és tão grande e tão santo: eu te adoro.
Tu me deste tudo: eu te agradeço.
Foste tão ofendido por mim:
eu te peço perdão de todo o coração.
Tu és tão misericordioso: eu te peço todas as graças
que sabes serem necessárias para mim.
Ó Jesus Mestre, Verdade, Caminho e Vida, tende piedade de nós.

1.Leitura (Verdade)
- O que a Palavra diz?
- Leio atentamente, na Bíblia, o Evangelho do dia: Jo 3,14-21.

Assim como Moisés, no deserto, levantou a cobra de bronze numa estaca, assim também o Filho do Homem tem de ser levantado, para que todos os que crerem nele tenham a vida eterna. Porque Deus amou o mundo tanto, que deu o seu único Filho, para que todo aquele que nele crer não morra, mas tenha a vida eterna. Pois Deus mandou o seu Filho para salvar o mundo e não para julgá-lo.
- Aquele que crê no Filho não é julgado; mas quem não crê já está julgado porque não crê no Filho único de Deus. E é assim que o julgamento é feito: Deus mandou a luz ao mundo, mas as pessoas preferiram a escuridão porque fazem o que é mau. Pois todos os que fazem o mal odeiam a luz e fogem dela, para que ninguém veja as coisas más que eles fazem. Mas os que vivem de acordo com a verdade procuram a luz, a fim de que possa ser visto claramente que as suas ações são feitas de acordo com a vontade de Deus.
Nicodemos era do partido fariseu, uma autoridade entre os judeus. Neste texto, Jesus conversa com  ele. Nicodemos é um discípulo secreto de Jesus. Por isso, vai visitá-lo à noite.  Jesus lhe diz que "os que vivem de acordo com a verdade procuram a luz". Mas, se referia à luz da verdade, à fé no Filho de Deus. Os fariseus observavam estritamente a Lei. Tinham tendência a desprezar os que não observavam ou não conseguiam observar as complicadas leis. A estes consideravam pecadores. Jesus frequentemente discutia com os fariseus e condenava sua hipocrisia e legalismo. O diálogo entre eles é um convite à conversão. Nicodemos e cada um de nós precisa optar e decidir: crer ou não. A escolha não pode ser pela metade. Jesus fala de “julgamento”. Na verdade, ele não julga ninguém, nem condena. Cada pessoa é que se julga, a partir de suas escolhas: a favor ou contra a vida.

2. Meditação(Caminho)
  - O que a Palavra diz para mim? O que o texto diz para mim, hoje?
Tenho diante de mim a liberdade de escolha. Jesus diz que quem pratica o mal está distante da luz. Escolho durante o meu dia, as trevas ou a luz?
Os bispos, em Aparecida, na 5ª Conferência, disseram: "Jesus, o Bom Pastor, quer nos comunicar a sua vida e se colocar a serviço da vida. Vemos como ele se aproxima do cego no caminho (cf. Mc 10,46-52), quando dignifica a samaritana (cf. Jo 4,7-26), quando cura os enfermos (cf. Mt 11,2-6), quando alimenta o povo faminto (cf. Mc 6,30-44), quando liberta os endemoninhados (cf. Mc 5,1-20). Em seu Reino de vida Jesus inclui a todos: come e bebe com os pecadores (cf. Mc 2,16), sem se importar que o tratem como comilão e bêbado (cf. Mt 11,19); toca leprosos (cf. Lc 5,13),  deixa que uma prostituta unja seus pés (cf. Lc 7,36-50) e, de noite, recebe Nicodemos para convida-lo a nascer de novo (cf. Jo 3,1-15). Igualmente, convida a seus discípulos à reconciliação (cf. Mt 5,24), ao amor pelos inimigos (cf. Mt 5,44) e a optarem pelos mais pobres (cf. Lc 14,15-24)." (DAp 353)

3. Oração (Vida)
 - O que a Palavra me leva a dizer a Deus?
Rezo com toda a Igreja: 
Oração da CF 2015
Ó Pai, Alegria e esperança de vosso povo,
vós conduzis a Igreja, servidora da vida,
nos caminhos da história.
A exemplo de Jesus Cristo
e ouvindo sua palavra
que chama à conversão,
seja vossa Igreja testemunha viva de
fraternidade
e de liberdade, de justiça e de paz.
Enviai o vosso Espírito da verdade
para que a sociedade se abra
à aurora de um mundo justo e solidário,
sinal do Reino que há de vir.
Por Cristo Senhor nosso.
Amém!

4. Contemplação (Vida/ Missão)
 - Qual o meu novo olhar a partir da Palavra?
Quero olhar o mundo hoje, com o olhar de Jesus:  viver e propor a todos a verdadeira vida. Como o Evangelho sugere, vou procurar a luz "vivendo de acordo com a verdade" .

I. Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br


domingo, 8 de março de 2015

Jo 2,13-25 - Jesus é o novo templo

Thomas Merton dizia: 
“Quando rezo, não estou mais falando com Deus nem comigo,amado por Deus. 
Quando rezo, a Igreja reza em mim. 
Minha oração é a oração da Igreja.”
Sinto-me assim neste momento: 
milhares de pessoas, unidas na mesma fé, oram comigo.

Creio, Senhor Jesus, que sou parte de seu Corpo.
Trindade Santíssima
 - Pai, Filho, Espírito Santo -
presente e agindo na Igreja e na profundidade do meu ser.
Eu vos adoro, amo e agradeço.

1. Leitura (Verdade)
 - O que a Palavra diz?
Leio com atenção, na Bíblia, o texto de hoje: Jo 2,13-25.
Alguns dias antes da Páscoa dos judeus, Jesus foi até a cidade de Jerusalém. No pátio do Templo encontrou pessoas vendendo bois, ovelhas e pombas; e viu também os que, sentados às suas mesas, trocavam dinheiro para o povo. Então ele fez um chicote de cordas e expulsou toda aquela gente dali e também as ovelhas e os bois. Virou as mesas dos que trocavam dinheiro, e as moedas se espalharam pelo chão. E disse aos que vendiam pombas:
Tirem tudo isto daqui! Parem de fazer da casa do meu Pai um mercado! Então os discípulos dele lembraram das palavras das Escrituras Sagradas que dizem: "O meu amor pela tua casa, ó Deus, queima dentro de mim como fogo."
Aí os líderes judeus perguntaram: Que milagre você pode fazer para nos provar que tem autoridade para fazer isso?
Jesus respondeu: Derrubem este Templo, e eu o construirei de novo em três dias! Eles disseram:
A construção deste Templo levou quarenta e seis anos, e você diz que vai construí-lo de novo em três dias?
Porém o templo do qual Jesus estava falando era o seu próprio corpo. Quando Jesus foi ressuscitado, os seus discípulos lembraram que ele tinha dito isso e então creram nas Escrituras Sagradas e nas palavras dele. 

Jesus sabe o que as pessoas pensam. Quando Jesus estava em Jerusalém, durante a Festa da Páscoa, muitos creram nele porque viram os milagres que ele fazia. Mas Jesus não confiava neles, pois os conhecia muito bem. E ninguém precisava falar com ele sobre qualquer pessoa, pois ele sabia o que cada pessoa pensava.
Este Evangelho tem como tema o templo. Jesus purifica o antigo templo, expulsando do mesmo, com o chicote de cordas, vendedores e mercadorias. Assim, apresenta a si mesmo como o novo templo de Deus que os homens destruirão, mas que Deus fará ressurgir em três dias.

2. Meditação(Caminho) 
- O que a Palavra diz para mim?
Neste texto, Jesus ensina que o templo de Deus é, em primeiro lugar, o coração da pessoa que acolheu sua palavra. Falando de si e do Pai, diz: «viremos a ele, e faremos morada nele» (João 14, 23). E Paulo escreve aos cristãos: «Não sabeis que sois templo de Deus?» (1 Cor 3, 16).
O cristão é templo novo de Deus. Mas o lugar da presença de Deus e de Cristo também se encontra «onde estão dois ou três reunidos em meu nome» (Mt 18, 20).
Por que, então, os cristãos dão tanta importância à Igreja, se cada um de nós pode adorar o Pai em espírito e verdade em seu próprio coração ou em sua própria casa? Por que é um mandamento da Igreja ir à Missa  todos os domingos? A questão é que Jesus não nos salva separadamente; veio para formar um povo, uma comunidade de pessoas, em comunhão com Ele e entre si.
Grandes religiosos como Agostinho, Pascal, Kierkegaard, Manzoni, eram homens de  interioridade profunda e sumamente pessoal e, ao mesmo tempo, estavam integrados em uma comunidade, iam à sua igreja. Os bispos em Aparecida, disseram:
"Jesus está presente em meio a uma comunidade viva na fé e no amor fraterno. Ali Ele cumpre sua promessa: “Onde estão dois ou três reunidos em meu nome, ali estou eu no meio deles” (Mt 18,20). Ele está em todos os discípulos que procuram fazer sua a existência de Jesus, e viver sua própria vida escondida na vida de Cristo (cf. Cl 3,3). Eles experimentam a força de sua ressurreição até se identificar profundamente com Ele: “Já não vivo eu, mas é Cristo que vive em mim” (Gl 2,20). Jesus está nos Pastores, que representam o próprio Cristo (cf. Mt 10,40; Lc 10,16)." (DAp 256).
Pergunto-me: tenho consciência de que sou templo vivo de Deus? Participo da minha comunidade paroquial?

3. Oração (Vida)
- O que a Palavra me leva a dizer a Deus?      
Rezo com o Salmista:
Até o pássaro encontra um abrigo e
a andorinha um ninho para pôr os seus filhotes:
 nos vossos altares, Senhor do universo, meu rei e meu Deus!
Felizes os que habitam em vossa casa:
sem cessar podem louvar-vos (Sl 83,4s).

e com toda a Igreja rezo:
Oração da CF 2015
Ó Pai, Alegria e esperança de vosso povo,
vós conduzis a Igreja, servidora da vida,
nos caminhos da história.
A exemplo de Jesus Cristo
e ouvindo sua palavra
que chama à conversão,
seja vossa Igreja testemunha viva de
fraternidade
e de liberdade, de justiça e de paz.
Enviai o vosso Espírito da verdade
para que a sociedade se abra
à aurora de um mundo justo e solidário,
sinal do Reino que há de vir.
Por Cristo Senhor nosso.
Amém!

4. Contemplação(Vida/ Missão)
 - Qual o meu novo olhar a partir da Palavra?
Segundo a proposta do Mestre, vou cultivar minha espritualidade pessoal, mas vou participar mais concretamente da vida da Igreja.

Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Amém.

Ir. Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br

segunda-feira, 2 de março de 2015

Lc 6,36-38 - Misericordiosos como o Pai

Sejam misericordiosos como o Pai
Preparo-me para a Leitura da Palavra orando, com todos os internautas:
Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Amém.
Divino Espírito Santo, amor eterno do Pai e do Filho, eu te adoro, louvo e amo.
Peço-te perdão por todas as vezes que te ofendi em mim e no meu próximo.
Espírito de verdade, consagro-te a minha
inteligência, imaginação e memória, ilumina-me.
Dá-me conhecer Jesus Cristo Mestre.
Revela-me o sentido profundo do seu Evangelho e tudo o que ensina a Santa Igreja.


1. Leitura (Verdade)
- O que a Palavra diz?
Leio atentamente o texto de hoje: Lc 6,36-38.
Tenham misericórdia dos outros, assim como o Pai de vocês tem misericórdia de vocês.
- Não julguem os outros, e Deus não julgará vocês. Não condenem os outros, e Deus não condenará vocês. Perdoem os outros, e Deus perdoará vocês. Dêem aos outros, e Deus dará a vocês. Ele será generoso, e as bênçãos que ele lhes dará serão tantas, que vocês não poderão segurá-las nas suas mãos. A mesma medida que vocês usarem para medir os outros Deus usará para medir vocês.
Jesus me recomenda  a ser misericordioso como o Pai é comigo.
E explica o que é ser misericordioso: é ser como o Pai, ou seja, não julgar, não condenar, perdoar, numa palavra: ser bom.

2. Meditação(Caminho)
- O que a Palavra diz para mim?
Olho para o mundo de hoje. Parece que este mundo morre por falta de misericórdia. Os crimes estão globalizados. Por outro lado, a misericórdia de Deus, que é infinita, também está por toda parte. Basta aceita-la. Mas, muitos a rejeitam, ou a desconsideram. João Paulo II dizia: “Ajudem o homem moderno a experimentar o amor misericordioso de Deus! Lá onde dominam o ódio, a sede de vingança, lá onde a guerra semeia a dor e a morte de inocentes, a graça da misericórdia é necessária para apaziguar os espíritos e os corações e fazer jorrar a paz. Lá onde falta respeito à vida e à dignidade do homem, o amor misericordioso de Deus é necessário. A misericórdia é necessária para fazer com que cada injustiça do mundo encontre seu fim no esplendor da verdade”.
São Paulo nos lembra: "Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou, quando estávamos mortos pelos nossos pecados, deu-nos a vida por Cristo.
( Ef 2,4-5).

3. Oração (Vida)
- O que a Palavra me leva a dizer a Deus?
Rezo com toda Igreja a
Oração da CF 2015
Ó Pai, Alegria e esperança de vosso povo,
vós conduzis a Igreja, servidora da vida,
nos caminhos da história.
A exemplo de Jesus Cristo
e ouvindo sua palavra
que chama à conversão,
seja vossa igreja testemunha viva de
fraternidade
e de liberdade, de justiça e de paz.
Enviai o vosso Espírito da verdade
para que a sociedade se abra
à aurora de um mundo justo e solidário,
sinal do Reino que há de vir.
Por Cristo Senhor nosso.
Amém!

4. Contemplação(Vida/ Missão)
- Qual o meu novo olhar a partir da Palavra?
A cada pessoa que eu encontrar, no meu trabalho, estudo, em casa, na rua, no metrô, no ônibus, na rua, vou ter um olhar de misericórdia e dizer-lhes ainda que em silêncio o que Paulo sugere: “Quando for ter com vocês levarei muitas bênçãos de Cristo” ( Rm 15,29).


Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
-Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Ir. Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br