sexta-feira, 26 de junho de 2015

Mt 8,1-4 - A marginalização não vem de Deus. Ele liberta!

- Senhor, eu sei que o senhor pode me curar se quiser.
Preparo-me para a Leitura Orante rezando,
com todos que se encontram neste espaço da internet:

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. 
Creio, Senhor Jesus, que sou parte de seu Corpo. 
"Espírito Santo, 
tu que vieste dos céus abertos, do Pai, 
e que permaneceste conosco, em Jesus, 
tu que habitas, pela fé, nos nossos corações, 
abre-nos à Palavra! 
Seja a nossa inteligência e a nossa vontade, 
terreno bom, 
onde tu possas trabalhar com liberdade, 
de modo que a nossa vida 
seja sinal eloquente da tua caridade. 
Amém."


1. Leitura (Verdade) 
 O que diz o texto do dia?
Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Mt 8,1-4, e observo pessoas, palavras, relações, lugares.
Jesus desceu do monte, e muitas multidões o seguiram. Então um leproso chegou perto dele, ajoelhou-se e disse:
- Senhor, eu sei que o senhor pode me curar se quiser.
Jesus estendeu a mão, tocou nele e disse:
- Sim, eu quero. Você está curado.
No mesmo instante ele ficou curado da lepra. Então Jesus lhe disse:
- Escute! Não conte isso para ninguém, mas vá pedir ao sacerdote que examine você. Depois, a fim de provar para todos que você está curado, vá oferecer o sacrifício que Moisés ordenou.
No tempo de Jesus, o portador de lepra era considerado impuro e pecador. A doença era vista como castigo de Deus. Por isso, a pessoa deveria afastar-se da sociedade e viver em um lugar deserto. Jesus se sensibilizou com a dor, o sofrimento e a exclusão daquele homem. E o cura.
Depois diz ao homem curado: "Vá pedir ao sacerdote que examine você. Depois, a fim de provar para todos que você está curado, vá oferecer o sacrifício que Moisés ordenou." Este exame era necessário para reintegrar a pessoa curada, ou seja, devolver o homem ao convívio social. 

 O leproso era o caso extremo de modelo da marginalização religiosa e social. Declarar injusta a exclusão do leproso significava denunciar toda e qualquer marginalização. Ao curar o homem, Jesus "tocou" nele. Ao tocá-lo, violou a Lei. Se alguém tocasse um leproso, ficava também impuro. (Cf  Lv 5,5-6).
Com isso, Jesus declarou que a marginalização, embora pretenda respaldar-se na Lei divina, não vem de Deus. Em conseqüência, é inadmissível e injustificável marginalizar alguém em nome de Deus. O leproso torna-se representante de todos os que, em nome de uma Lei religiosa, eram excluídos pela sociedade.

2. Meditação (Caminho) 
 O que o texto diz para mim, hoje?
Tenho algum preconceito? Quem marginalizo? Denuncio a lepra social das injustiças e discriminações?
Os Bispos na Conferência de Aparecida manifestaram uma preocupação: "Frente a esta forma de globalização (dinâmica de concentração de poder e de riqueza), sentimos um forte chamado para promover uma globalização diferente, que esteja marcada pela solidariedade, pela justiça e pelo respeito aos direitos humanos, fazendo da América Latina e do Caribe não só o Continente da esperança, mas também o Continente do amor, como propôs SS. Bento XVI no Discurso Inaugural desta Conferência". (DAp 64).

3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo:
Jesus, Mestre:
que eu pense com a tua inteligência,

com a tua sabedoria. 
Que eu ame com o teu coração. 
Que eu veja com os teus olhos. 
Que eu fale com a tua língua. 
Que eu ouça com os teus ouvidos. 
Que as minhas mãos sejam as tuas. 
Que os meus pés estejam sobre as tuas pegadas. 
Que eu reze com as tuas orações. 
Que eu celebre como tu te imolaste. 
Que eu esteja em ti e tu em mim. Amém.


4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Meu novo olhar é de solidariedade para com os que sofrem.

Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém
.


Irmã Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Mt 7,1-5 - "Não julguem os outros"


"Não julguem"
Preparo-me para a Oração da Palavra, com todos os internautas,
com as palavras de Santo Agostinho:

Movei-me, Espírito Santo, 
para que eu ame santamente! 
Fortificai-me, Espírito Santo, 
para que eu proteja o que é santo! 
Guardai-me, Espírito Santo, 
para que jamais perca o que é santo!



1. Leitura (Verdade)
- O que a Palavra diz?
Com atenção leio, na Bíblia,o texto do Evangelho de hoje: Mt 7,1-5.
Jesus inicia neste capítulo sétimo de Mateus uma série de exortações e ensinamentos.
- Não julguem os outros para vocês não serem julgados por Deus. Porque Deus julgará vocês do mesmo modo que vocês julgarem os outros e usará com vocês a mesma medida que vocês usarem para medir os outros. Por que é que você vê o cisco que está no olho do seu irmão e não repara na trave de madeira que está no seu próprio olho? Como é que você pode dizer ao seu irmão: "Me deixe tirar esse cisco do seu olho", quando você está com uma trave no seu próprio olho? Hipócrita! Tire primeiro a trave que está no seu olho e então poderá ver bem para tirar o cisco que está no olho do seu irmão.
 A primeira exortação é contra o julgamento arrogante e hipócrita que condena e despreza os demais. Quando Jesus convida a observar a trave que está no próprio olho e não ficar preocupado com o cisco que está no olho do irmão, lembra-nos aquela expressão popular do “telhado de vidro”. Primeiro a pessoa deve tirar a trave do próprio olho para depois enxergar e tirar o cisco do olho do irmão. Ou seja, deve pôr em ordem a própria vida para depois ajudar a outra pessoa a pôr em ordem a sua vida.

2. Meditação(Caminho)
- O que a Palavra diz para mim?
O texto para mim é um apelo de Jesus para viver a alegria da conversão e ajudar outras pessoas neste mesmo caminho. Em Aparecida, na V Conferência, os bispos disseram: “Desejamos que a alegria que recebemos no encontro com Jesus Cristo, a quem reconhecemos como o Filho de Deus encarnado e redentor, chegue a todos os homens e mulheres feridos pelas adversidades; desejamos que a alegria da boa nova do Reino de Deus, de Jesus Cristo vencedor do pecado e da morte, chegue a todos quantos jazem à beira do caminho, pedindo esmola e compaixão (cf. Lc 10,29-37; 18,25-43). A alegria do discípulo é antídoto frente a um mundo atemorizado pelo futuro e agoniado pela violência e pelo ódio. A alegria do discípulo não é um sentimento de bem-estar egoísta, mas uma certeza que brota da fé, que serena o coração e capacita para anunciar a boa nova do amor de Deus. Conhecer a Jesus é o melhor presente que qualquer pessoa pode receber; tê-lo encontrado foi o melhor que ocorreu em nossas vidas, e fazê-lo conhecido com nossa palavra e obras é nossa alegria.” (DAp 29).

3. Oração (Vida)
- O que a Palavra me leva a dizer a Deus?
Rezo, espontaneamente, e,  faço a:

Oração da manhã 
Senhor, nós te agradecemos por este dia. 
Abrimos nossas portas e janelas para que tu possas 
Entrar com tua luz. 
Queremos que tu Senhor, definas os contornos de 
Nossos caminhos, 
As cores de nossas palavras e gestos, 
A dimensão de nossos projetos, 
O calor de nossos relacionamentos e o 
Rumo de nossa vida. 
Podes entrar, Senhor em nossas famílias. 
Precisamos do ar puro de tua verdade. 
Precisamos de tua mão libertadora para abrir 
Compartimentos fechados. 
Precisamos de tua beleza para amenizar 
Nossa dureza. 
Precisamos de tua paz para nossos conflitos. 
Precisamos de teu contato para curar feridas. 
Precisamos, sobretudo, Senhor, de tua presença 
Para aprendermos a partilhar e abençoar!



4. Contemplação(Vida/ Missão)
- Qual o meu novo olhar a partir da Palavra?
Meu novo olhar é para cuidar a fim de que não me deixe contaminar por julgamentos de outras pessoas, e, tampouco, me ponha a julgar.

Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.


Irmã Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Jesus ensina a orar


"O pão nosso de cada dia..."

Preparo-me para a Leitura Orante invocando o Espírito Santo:
Vem Santo Espírito, amor do Pai. 
Toca a minha  mente, a minha vontade, o meu coração.
Abre-me à coragem da verdade. 
Dá-me a força para deixar-me tocar
 e renovar profundamente por Jesus, 
Palavra do Pai. Amém.

1. Leitura (Verdade) 
- O que a Palavra diz?
Leio atentamente Mt 6,7-15.
"Quando orardes, não useis de muitas palavras, como fazem os pagãos. Eles pensam que serão ouvidos por força das muitas palavras. Não sejais como eles, pois o vosso Pai sabe do que precisais, antes de vós o pedirdes. Vós, portanto, orai assim: Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, como no céu, assim também na terra. O pão nosso de cada dia dá-nos hoje. Perdoa as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos que nos devem. E não nos introduzas em tentação, mas livra-nos do Maligno. De fato, se vós perdoardes aos outros as suas faltas, vosso Pai que está nos céus também vos perdoará. Mas, se vós não perdoardes aos outros, vosso Pai também não perdoará as vossas faltas."
Neste texto Jesus nos ensina a orar.
Ensina-nos a chamar a Deus de Pai. Logo, nos recomenda colocar-nos diante de Deus, como filhos. Mais ainda: com a consciência de sermos da família de Deus. Depois,  indica a atitude que devemos assumir ao orar: não repetir fórmulas, muito menos de forma longa.  "Santificar" o nome de Deus não é dar-lhe alguma coisa, mas reconhecer o primado de Deus acima de todas as coisas. Sendo assim, pedimos que venha a nós, ao nosso meio, ao nosso mundo o Reino de Deus. Ou seja, queremos que Deus seja o centro de nossa  vida e que seu Projeto se realize entre nós. Por isso dizemos "que a tua vontade seja feita aqui e no céu". Em seguida, fazemos nossos pedidos. É uma atitude de confiança no Pai que já sabe tudo de que necessitamos.
Thomas Merton diz que, assim como somos, rezamos. E diz mais: "O homem que não reza jamais, é alguém que tentou fugir de si mesmo, porque fugiu de Deus".

2. Meditação(Caminho) 
 - O que a Palavra diz para mim?
Os bispos, em Aparecida, disseram alguns sinais próprios de quem reza e vive o Pai Nosso : "Sinais evidentes da presença de Deus são: a experiência pessoal e comunitária das bem-aventuranças, a evangelização dos pobres, o conhecimento e cumprimento da vontade do Pai, o martírio pela fé, o acesso de todos aos bens da criação, o perdão mútuo, sincero e fraterno, aceitando e respeitando a riqueza da pluralidade e a luta para não sucumbir à tentação e não ser escravos do mal." (DAp 383).

3. Oração (Vida)
- O que a Palavra me leva a dizer a Deus?
Rezo agora com muita consciência e fé a Oração de Jesus: o Pai Nosso.
Pai nosso que estais no Céu, 
santificado seja o vosso nome, 
venha a nós o vosso reino, 
seja feita a vossa vontade, 
assim na terra como no Céu. 
O pão nosso de cada dia nos dai hoje; 
perdoai-nos as nossas ofensas, 
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido, 
e não nos deixeis cair em tentação, 
mas livrai-nos do mal. Amém.

4. Contemplação(Vida/ Missão)
 - Qual o meu novo olhar a partir da Palavra?
Meu novo olhar para o dia de hoje vem carregado de uma certeza:
tenho um Pai e  uma multidão de irmãos.

Bênção 
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém. 
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém. 
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém. 
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém. 

Ir. Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br


domingo, 14 de junho de 2015

Mc 4,26-34 - O Reino é como a semente

Preparo-me para este momento de Leitura Orante,
fazendo com todos os internautas,
a oração ao Espírito Santo:

A vós, Espírito de verdade, 
consagro a mente, a fantasia e a memória: 
iluminai-me. 
Fazei-me conhecer Jesus Cristo
 e compreender o seu Evangelho. 
Amém.


1. Leitura (Verdade)
Faço a leitura lenta e atenta do texto da Palavra do dia, na Bíblia: Mc 4,26-34.
Jesus disse:
- O Reino de Deus é como um homem que jogou  a semente na terra. Quer ele esteja acordado, quer esteja dormindo, ela brota e cresce, sem ele saber como isso acontece. É a própria terra que dá o seu fruto: primeiro aparece a planta, depois a espiga, e, mais tarde, os grãos que enchem a espiga. Quando as espigas ficam maduras, o homem começa a cortá-las com a foice, pois chegou o tempo da colheita.
Jesus continuou:
- Com o que podemos comparar o Reino de Deus? Que parábola podemos usar para isso? Ele é como uma semente de mostarda, que é a menor de todas as sementes. Mas, depois de semeada, cresce muito até ficar a maior de todas as plantas. E os seus ramos são tão grandes, que os passarinhos fazem ninhos entre as suas folhas.
 

Assim, usando muitas parábolas como estas, Jesus falava ao povo de um modo que eles podiam entender. E só falava com eles usando parábolas, mas explicava tudo em particular aos discípulos.
Em um momento de silêncio, recordo o que li. São duas pequenas parábolas. Uma fala do processo como se desenvolve o Reino de Deus. Exige paciência. A outra é sobre o resultado de uma pequena boa semente. Fala de esperança.
Nas duas parábolas  Jesus revela que a única coisa que a semente precisa é de um ambiente adequado para fazer aparecer sua vitalidade.Elas nos dizem que o resultado futuro não vem de fora, mas que vai se forjando por dentro.  Elas fogem da eficácia e dos resultados imediatos. Sem pressa.
As duas parábolas nos falam mais  de calma, de paciência, de realidade sujeita a inclemências de todo tipo, que de certezas ou finais previamente escritos.
Em cada uma das duas parábolas Jesus quer destacar um aspecto dessa realidade potencial dentro da semente. Na primeira, sua vitalidade, ou seja, a força, o impulso que tem para desenvolver-se por si mesma. Na segunda, nos é revelada a desproporção entre a pequenez da semente, quase imperceptível, e a enorme planta que dela surge, onde, inclusive as aves podem fazer seus ninhos.
Estas imagens nos fazem pensar que as coisas de Deus são de outra maneira e tem outro ritmo.

2. Meditação (Caminho)
O que a Palavra diz para mim?
O que me dizem estas duas parábolas de Jesus Mestre? Atualizo a Palavra, ligando-a à minha vida.
O "Reino de Deus está perto". Dentro de mim. Como se desenvolve? Como o cultivo? Já me sinto discípulo/a missionário/a? Sinto-me "abrigo" para outras pessoas que buscam o Reino de Deus? Lembro-me das palavras dos bispos na Conferência de Aparecida: "No seguimento de Jesus Cristo, aprendemos e praticamos as bem-aventuranças do Reino, o estilo de vida do próprio Jesus: seu amor e obediência filial ao Pai, sua compaixão entranhável frente à dor humana, sua proximidade aos pobres e aos pequenos, sua fidelidade à missão encomendada, seu amor serviçal até a doação de sua vida. Hoje, contemplamos a Jesus Cristo tal como os Evangelhos nos transmitiram para conhecer o que Ele fez e para discernir o que nós devemos fazer nas atuais circunstâncias." (DAp 139).

3. Oração (Vida)
O que a Palavra me leva a dizer a Deus?
Meu coração começa a bater em sintonia com o coração de Jesus.
Vivo este momento em silêncio. E oro:

Espírito Santo,
dai-me um coração grande e forte
para amar todos, 
para servir a todos, 
para sofrer por todos! ( Paulo VI)


4. Contemplação (Vida)
Qual o novo olhar que a Palavra despertou em mim?
Viverei este dia com olhar novo,"descobrindo" o Reino de Deus presente em cada situação, pessoa, dificuldade, alegria, realização, desafio, cultivando dentro de mim a paciência e a esperança.
Por todos os internautas, para todas as pessoas, rezo com o apóstolo Paulo:
"Que o Senhor realize todos os desejos que vocês têm de fazer o bem" . (2Ts 1,11).

Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.


I. Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Jo 19,31-37 - Espiritualidade do amor


Hoje é Solenidade do Sagrado Coração de Jesus.
Preparo-me para a Leitura Orante rezando:

Coração Divino de Jesus, 

eu vos ofereço, por meio do Coração Imaculado de Maria, 
Mãe da Igreja, Rainha dos Apóstolos, 
em união ao Sacrifício Eucarístico, 
todas as minhas ações, orações, alegrias 
e sofrimentos deste dia,
em reparação dos pecados 
e pela salvação de todos as pessoas, 
para a glória de Deus Pai. Amém.

1. Leitura (Verdade)- O que a Palavra diz?
Leio atentamente, na Bíblia, Jo 19,31-37.
Então os líderes judeus pediram a Pilatos que mandasse quebrar as pernas dos que tinham sido crucificados e mandasse tirá-los das cruzes. Pediram isso porque era sexta-feira e não queriam que, no sábado, os corpos ainda estivessem nas cruzes. E aquele sábado era especialmente santo. Os soldados foram e quebraram as pernas do primeiro homem que tinha sido crucificado com Jesus e depois quebraram as pernas do outro. Mas, quando chegaram perto de Jesus, viram que ele já estava morto e não quebraram as suas pernas. Porém um dos soldados furou o lado de Jesus com uma lança. No mesmo instante saiu sangue e água. Quem viu isso contou o que aconteceu para que vocês também creiam. O que ele disse é verdade, e ele sabe que fala a verdade. Isso aconteceu para que se cumprisse o que as Escrituras Sagradas dizem: "Nenhum dos seus ossos será quebrado." E em outro lugar as Escrituras Sagradas dizem: "Eles olharão para aquele a quem atravessaram com a lança."
Neste texto,  na cruz, Jesus revela seu grande amor ao ser atingido no seu coração pela lança do soldado. Por isso, a espiritualidade do Coração de Jesus é a espiritualidade do amor. Quem vive esta devoção reconhece o amor íntimo e profundo com que Deus o ama e dá a vida por ele, e responde com amor. Um amor solidário e reparador. Do coração de Jesus nasceu a Igreja, cuja missão é testemunhar o amor de Jesus em todos os lugares e tempos.
Como têm lembrado, freqüentemente, os papas, a devoção ao Coração de Cristo tem um sólido fundamento na Escritura. Jesus, (...) apresenta-se a si mesmo como mestre "manso e humilde de Coração" (Mt 11, 29). Pode-se dizer que do lado de Cristo atravessado pela lança, brotou sangue e água, símbolo do "sacramento admirável de toda a Igreja". (Cf Diretório sobre a Piedade Popular, da Congregação para o Culto Divino. Vaticano, Dezembro de 2001).
O texto de São João que narra a apresentação das mãos e do lado de Cristo aos discípulos (Cf. Jo 20, 20) e o convite dirigido por Cristo a Tomé para que estendesse a sua mão e a introduzisse no seu lado (Cf. Jo 20 27), tiveram também um influxo notável na origem e no desenvolvimento da piedade ao Sagrado Coração.


2. Meditação(Caminho)
- O que a Palavra diz para mim?
O Diretório sobre a Piedade Popular, da Congregação para o Culto Divino de dezembro de 2001, afirma:
"A sexta-feira seguinte ao segundo domingo depois de Pentecostes a Igreja celebra a solenidade do Sagrado Coração de Jesus. Além da celebração litúrgica, muitas outras expressões de piedade têm por objeto o Coração de Cristo. Não tem dúvida de que a devoção ao Coração do Salvador tem sido, e continua a ser, uma das expressões mais difundidas e amadas da piedade eclesiástica. Entendida à luz da Sagrada Escritura, a expressão "Coração de Cristo" designa o mesmo mistério de Cristo, a totalidade do seu ser, a sua pessoa considerada no seu núcleo mais íntimo e essencial..."
Santo Agostinho diz:
"A entrada é acessível: Cristo é a porta.
Também se abriu para você quando o seu lado foi aberto pela lança.
Lembra o que dali saiu; portanto olha por onde pode entrar.
Do lado do Senhor pendurado que morria na Cruz saiu sangue e água quando foi aberto pela lança. Na água está a sua purificação, no sangue a sua redenção."



3. Oração (Vida) 
O que a Palavra me leva a dizer a Deus?
"No Coração de Jesus existe tudo o que precisamos: fortaleza para os fracos, coragem para os tímidos, luz e conselho para os hesitantes; e para todos: humildade, paz, caridade e alegria de viver". (Santa Paula Frassinetti).
Rezo, agora,  com a canção "Daqui quero iluminar", vendo o vídeo:
https://youtu.be/UBz2H93YW7M


4. Contemplação(Vida/ Missão) - Qual o meu novo olhar a partir da Palavra?
Só pode ser um olhar de amor que se doa, como o de Jesus.


Bênção 
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
-Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.



Irmã Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br


domingo, 7 de junho de 2015

Mc 3,20-35 - Onde encontrar Jesus e sua família?


Era tanta gente: discípulos, multidão, mestres, parentes
Preparo-me para a Leitura rezando, com todas as pessoas que navegam na  grande "casa" da internet:

Jesus Mestre, 
vós dissestes que a vida eterna consiste em conhecer a vós e ao Pai.
Derramai sobre nós os dons do Espírito Santo!
Que ele nos ilumine, guie e fortaleça no vosso seguimento,
porque sois o único caminho para o Pai.
Fazei-nos crescer no vosso amor, para que sejamos, como São Paulo,
testemunhas vivas do vosso Evangelho.
Com Maria, Mãe, Mestra e Rainha dos apóstolos,
guardaremos a vossa Palavra, 
meditado-a em nosso coração.
Amém.

1. Leitura (Verdade)O que diz o texto do dia?
Leio atentamente, na Bíblia, o texto do dia: Mc 3,20-35, e observo pessoas, palavras, atitudes.
Quando Jesus foi para casa, uma grande multidão se ajuntou de novo, e era tanta gente, que ele e os discípulos não tinham tempo nem para comer. Os parentes de Jesus souberam disso e foram buscá-lo porque algumas pessoas estavam dizendo que ele estava louco. Alguns mestres da Lei, que tinham vindo de Jerusalém, diziam:
- Ele está dominado por Belzebu, o chefe dos demônios. É Belzebu que dá poder a este homem para expulsar demônios.
Então Jesus chamou todos e começou a ensiná-los por meio de parábolas. Ele dizia:
- Como é que Satanás pode expulsar a si mesmo? O país que se divide em grupos que lutam entre si certamente será destruído. Se uma família se divide, e as pessoas que fazem parte dela começam a lutar entre si, ela será destruída. Se o reino de Satanás se dividir em grupos, e esses grupos lutarem entre si, o reino não continuará a existir, mas será destruído.
- Ninguém pode entrar na casa de um homem forte e roubar os seus bens, sem primeiro amarrá-lo. Somente assim essa pessoa poderá levar o que ele tem em casa.
- Eu afirmo a vocês que isto é verdade: os pecados que as pessoas cometem ou as blasfêmias contra Deus poderão ser perdoados. Mas as blasfêmias contra o Espírito Santo nunca serão perdoadas porque a culpa desse pecado dura para sempre.
Jesus falou assim porque diziam que ele estava dominado por um espírito mau.
Em seguida a mãe e os irmãos de Jesus chegaram; eles ficaram do lado de fora e mandaram chamá-lo. Muita gente estava sentada em volta dele, e algumas pessoas lhe disseram:
- Escute! A sua mãe e os seus irmãos estão lá fora, procurando o senhor.
Jesus perguntou: - Quem é a minha mãe? E quem são os meus irmãos?
Aí olhou para as pessoas que estavam sentadas em volta dele e disse:
- Vejam! Aqui estão a minha mãe e os meus irmãos. Pois quem faz a vontade de Deus é meu irmão, minha irmã e minha mãe.
A narrativa deste texto ocorre em torno da casa, onde Jesus, seus discípulos e a multidão se colocam expressando uma certa tensão pelo fato de alguns estarem dentro e outros, fora da mesma. Nesta tensão a casa ocupa um lugar central, tornando-se a chave de leitura para todo o capítulo terceiro de Marcos.
Vários grupos se colocam dentro e fora da casa: discípulos, multidão, mestres, parentes. Os estão dentro da casa estão ouvindo a Palavra de Jesus, isto é, seguindo os seus ensinamentos. Os que se encontram fora da casa, inclusive sua família,  procuram Jesus. Assim, estar dentro e fora da casa reflete uma unidade cuja síntese está em fazer a vontade de Deus (Mc 3,35).

2. Meditação (Caminho)
Em que lugar me situo na casa? Dentro? Fora?
Os bispos, em Aparecida afirmaram:
"A vida em comunidade é essencial à vocação cristã. O discipulado e a missão sempre supõem a pertença a uma comunidade. Deus não quis salvar-nos isoladamente, mas formando um Povo. Este é um aspecto que distingue a experiência da vocação cristã de um simples sentimento religioso individual. Por isso, a experiência de fé é sempre vivida em uma Igreja Particular".(DAp 164).

3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo, espontaneamente, e concluo com a oração da unidade:
Pai Nosso.

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Como vou vivê-lo na missão?
Meu novo olhar me leva a encontrar Jesus Cristo na  "casa", ou, na comunidade, na celebração e na missão de cristão.

Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.


Irmã Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Mc 12,35-37 - O Messias é o Senhor


O Messias é o Senhor!
Preparo-me para a Leitura Orante,
rezando com todos os internautas:

Senhor, nós te agradecemos por este dia.
Abrimos nossas portas e janelas para que tu possas entrar com tua luz.
Queremos que tu Senhor, definas os contornos de nossos caminhos,
As cores de nossas palavras e gestos,
A dimensão de nossos projetos,
O calor de nossos relacionamentos e o
Rumo de nossa vida
.





1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Leio atentamente, na Bíblia, o texto Mc 12,35-37.
Quando Jesus estava ensinando no pátio do Templo, perguntou:
- Como podem os mestres da Lei ensinar que o Messias é descendente de Davi? Pois Davi, inspirado pelo Espírito Santo, escreveu:
"O Senhor Deus disse ao meu Senhor: 'Sente-se do meu lado direito, até que eu ponha os seus inimigos debaixo dos seus pés.' "
O próprio Davi chama o Messias de Senhor. Portanto, como é que o Messias pode ser descendente de Davi?

Neste ensinamento de Jesus, falando com os mestres da Lei, ele quer passar o sentido superior e transcendente da palavra "Senhor":
O próprio Davi chama o Messias de Senhor.
A comunidade cristã deu a Cristo o título de Kyrios (Senhor).

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje?
Somos, todos nós batizados, chamados a viver como Cristo. Os bispos, na Conferência de Aparecida, disseram: "Identificar-se com Jesus Cristo é também compartilhar seu destino: "Onde eu estiver, aí estará também o meu servo" (Jo 12,26). O cristão vive o mesmo destino do Senhor, inclusive até a cruz: "Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, carregue a sua cruz e me siga" (Mc 8,34). Estimula-nos o testemunho de tantos missionários e mártires de ontem e de hoje em nossos povos que tem chegado a compartilhar a cruz de Cristo até a entrega de sua vida". (DAp 140).

3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo,
com o bem-aventurado Tiago Alberione:

Jesus, Mestre e Senhor, 
que eu pense com a tua inteligência, com a tua sabedoria. 
Que eu ame com o teu coração. 
Que eu veja com os teus olhos. 
Que eu fale com a tua língua. 
Que eu ouça com os teus ouvidos. 
Que as minhas mãos sejam as tuas. 
Que os meus pés estejam sobre as tuas pegadas. 
Que eu reze com as tuas orações. 
Que eu celebre como tu te imolaste. 
Que eu esteja em ti e tu em mim. Amém.


4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Meu novo olhar é o mesmo olhar do Senhor,
de compaixão, de amor, de dedicação ao pai e aos irmãos.
Ó Jesus Mestre, Verdade, Caminho e Vida, tem piedade de nós.

Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Irmã Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br


quinta-feira, 4 de junho de 2015

Mc 14,12-16.22-26 - Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo

Inicio este momento de Leitura Orante, em sintonia com todos os internautas, fazendo a ação de graças dos bispos na Conferência de Aparecida:
Bendizemos a Deus que se nos dá na celebração da fé, 

especialmente na Eucaristia, pão de vida eterna. 
A ação de graças a Deus pelos numerosos e admiráveis dons 

que nos outorgou culmina na celebração central da Igreja, 
que é a Eucaristia, alimento substancial dos discípulos e missionários”. 
(DAp 26).
E canto com o Padre Zezinho:

Meu Senhor criou um pão que é muito mais
Muito mais, muito mais que um simples pão 
Meu Senhor criou um pão que é muito mais
Muito mais porque este pão tem Jesus.
Por isso eu chamo este pão da vida,
de pão da vida e de pão do céu.
(CD Muito mais que pão, Pe. Zezinho).


1.Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Mc 14,12-16.22-26, e observo as palavras e gestos de Jesus, na última ceia.
No primeiro dia da Festa dos Pães sem Fermento, em que os judeus matavam carneirinhos para comemorarem a Páscoa, os discípulos perguntaram a Jesus:
- Onde é que o senhor quer que a gente prepare o jantar da Páscoa para o senhor?
Então Jesus enviou dois discípulos com a seguinte ordem:
- Vão até a cidade. Lá irá se encontrar com vocês um homem que estará carregando um pote de água. Vão atrás desse homem e digam ao dono da casa em que ele entrar que o Mestre manda perguntar: "Onde fica a sala em que eu e os meus discípulos vamos comer o jantar da Páscoa?" Então ele mostrará a vocês no andar de cima uma sala grande, mobiliada e arrumada para o jantar. Preparem ali tudo para nós.
Os dois discípulos foram até a cidade e encontraram tudo como Jesus tinha dito. Então prepararam o jantar da Páscoa. Enquanto estavam comendo, Jesus pegou o pão e deu graças a Deus. Depois partiu o pão e o deu aos discípulos, dizendo:
- Peguem; isto é o meu corpo. Em seguida, pegou o cálice de vinho e agradeceu a Deus. Depois passou o cálice aos discípulos, e todos beberam do vinho. Então Jesus disse:
- Isto é o meu sangue, que é derramado em favor de muitos, o sangue que garante a aliança feita por Deus com o seu povo. Eu afirmo a vocês que isto é verdade: nunca mais beberei deste vinho até o dia em que beber com vocês um vinho novo no Reino de Deus.
Então, eles cantaram canções de louvor e foram para o monte das Oliveiras
.


Durante a última ceia pascal, que Jesus celebrou com seus discípulos, ele mesmo nos revela o mistério: "Isto é meu Corpo.(...) Isto é o meu sangue”. E nos convida a alimentar-nos dele. É na Eucaristia que nos alimentamos do Pão da Vida, o próprio Senhor Jesus. Veja esta música:
Este Pão (Pe. Zezinho, scj)

Este pão, que a gente chama: Eucaristia,
lembrança de uma ceia sem igual.
partiu aquele pão naquele dia,
Partiu o pão, 
Partiu o pão,
Partiu o pão,
E dentro dele achou o céu,
Achou o céu,
Achou o céu
Este pão, que a gente chama: Eucaristia,
deserto desta vida é o novo maná.
Quem tem fome de justiça e de luz,
Aproxime-se da mesa de Jesus!

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje?
Jesus se fez pão para ficar conosco. Quis ser meu alimento. Como acolho e recebo este alimento?
Disseram, em Aparecida, os bispos: "Igual às primeiras comunidades de cristãos, hoje nos reunimos assiduamente para “escutar o ensinamento dos apóstolos, viver unidos e tomar parte no partir do pão e nas orações”(At 2,42). A comunhão da Igreja se nutre com o Pão da Palavra de Deus e com o Pão do Corpo de Cristo. A Eucaristia, participação de todos no mesmo Pão de Vida e no mesmo Cálice de Salvação, nos faz membros do mesmo Corpo (cf. 1 Cor 10,17). Ela é a fonte e o ponto mais alto da vida cristã, sua expressão mais perfeita e o alimento da vida em comunhão. Na Eucaristia,nutrem-se as novas relações evangélicas que surgem do fato de sermos filhos e filhas do Pai e irmãos e irmãs em Cristo. A Igreja que a celebra é “casa e escola de comunhão”, onde os discípulos  ompartilham a mesma fé, esperança e amor a serviço da missão evangelizadora." (DAp 158).

3. Oração (Vida
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo ao Senhor,
dizendo que o desejo receber no meu coração,
mas não me sinto
com a dignidade suficiente.

Minha oração inspira-se
na canção do padre Zezinho:
Eu não sou digno
Eu não sou digno, ó meu Senhor,
Eu não sou digno de que
Tu entres, ó meu Senhor
Na minha casa,
porque és tão Santo e eu pecador
Eu nem me atrevo até pedir este favor
Mas se disseres uma palavra,
a minha casa se transformará
Uma palavra é suficiente,
suavemente ela nos salvará
Eu não sou digna, ó meu Senhor,
Eu não sou digna de que tu entres, ó meu Senhor,
Na minha casa.
Meu coração é tão pecador
que nem me atrevo a te pedir este favor.

4. Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Hoje, com a Igreja da América Latina,
"louvamos a Deus porque Ele continua derramando seu amor em nós pelo Espírito Santo
e nos alimentando com a Eucaristia, pão da vida (cf. Jo 6,35)”. (DAp 106).

Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém

Irmã Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br


terça-feira, 2 de junho de 2015

Mc 12,13-17 - Deus em primeiro lugar!

Preparo-me para a Leitura rezando com todos os que se encontram neste espaço vitual:
Oração para antes de ler a Bíblia
Jesus Mestre, que dissestes:
 “Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, eu aí estarei no meio deles”, ficai conosco, aqui reunidos para melhor meditar e comungar com vossa Palavra.
Sois o Mestre e a Verdade: iluminai-nos, para que melhor compreendamos as Sagradas Escrituras.
Sois o Guia e o Caminho: fazei-nos dóceis ao vosso seguimento.  
Sois a Vida: transformai nosso coração em terra boa, onde a Palavra de Deus produza frutos abundantes de santidade e de apostolado.
Amém.

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia? Leio na Bíblia, atentamente, o texto Mc 12,13-17.
Depois mandaram que alguns fariseus e alguns membros do partido de Herodes fossem falar com Jesus a fim de conseguirem alguma prova contra ele. Eles chegaram e disseram:
- Mestre, sabemos que o senhor é honesto e não se importa com a opinião dos outros. O senhor não julga pela aparência, mas ensina a verdade sobre a maneira de viver que Deus exige. Diga: é ou não é contra a nossa Lei pagar impostos ao Imperador romano? Devemos pagar ou não?
Mas Jesus percebeu a malícia deles e respondeu:
- Por que é que vocês estão procurando uma prova contra mim? Tragam uma moeda para eu ver.
Eles trouxeram, e ele perguntou:
- De quem são o nome e a cara que estão gravados nesta moeda?
Eles responderam:
- São do Imperador.
Então Jesus disse:
- Deem ao Imperador o que é do Imperador e deem a Deus o que é de Deus. E eles ficaram admirados com Jesus.
Jesus não se deixou enganar. Quem coloca Deus e o imperador no mesmo nível, engana-se.
A resposta de Jesus "Deem ao Imperador o que é do Imperador e deem a Deus o que é de Deus" colocou os pingos nos "is". Não era mal pagar o tributo ou os impostos, mas a Deus também se deve a adoração e o reconhecimento de seu lugar, Senhor de todas as criaturas.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje?
Qual lugar Deus ocupa na minha vida? Faço uma lista a partir das prioridades da minha vida. Assim,
1º lugar: ................................;
2º lugar: ...............................;
3º lugar: .................................
Onde está Deus? Se não estiver no 1º lugar, e presente em todos os outros momentos, alguma coisa está errada e deve ser revista.
Os bispos, em Aparecida, recordaram:
"A importância única e insubstituível de Cristo para nós, para a humanidade, consiste em que Cristo é o Caminho, a Verdade e a Vida. “Se não conhecemos a Deus em Cristo e com Cristo, toda a realidade se torna um enigma indecifrável; não há caminho e, ao não haver caminho, não há vida nem verdade”, disse Bento XVI. No clima cultural relativista que nos circunda, onde é aceita só uma religião natural, faz-se sempre mais importante e urgente estabelecer e fazer amadurecer em todo o corpo eclesial a certeza de que Cristo, o Deus de rosto humano, é nosso verdadeiro e único salvador." (DAp 22).

3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo:
Oração para depois de ler a Bíblia
Jesus Mestre, 
vós dissestes que a vida eterna consiste em conhecer a vós e ao Pai.
Derramai sobre nós, a abundância do Espírito Santo!
Que ele nos ilumine, guie e fortaleça no vosso seguimento,
porque sois o caminho para o Pai.
Fazei-nos crescer no vosso amor,
para que sejamos, como o apóstolo Paulo testemunhas vivas do vosso Evangelho.
Com Maria, Mãe, Mestra e Rainha dos Apóstolos,
guardaremos a vossa Palavra, meditando-a em nosso coração.
Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida, 
tem piedade de nós.

4. Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Meu novo olhar é para reconhecer o lugar de Deus acima de tudo na minha vida.
Ó Jesus Mestre, Verdade, Caminho e Vida, tem piedade de nós.

Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Ir. Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br