sábado, 18 de julho de 2015

Mt 12,14-21 - Aqui está a esperança para todos!

Preparo-me para a Leitura Orante, sentindo-me em comunhão com todos os internautas, rezando:
Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.
Espírito Santo, tu que vieste do Pai,
e que permaneceste conosco, em Jesus,
tu que habitas, pela fé, nos nossos corações,
abre-nos à Palavra!
Seja a nossa inteligência e a nossa vontade, terreno bom,
onde tu possas trabalhar com liberdade,
de modo que a nossa vida seja sinal eloquente da tua caridade.
Amém.


1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Leio atentamente o texto: Mt 12,14-21 e observo pessoas, e, sobretudo, as atitudes de Jesus.
Então os fariseus que estavam ali saíram e começaram a fazer planos para matar Jesus. Quando Jesus soube disso, foi embora dali, e muita gente o seguiu. Ele curou todos os que estavam doentes e mandou que não contassem nada a ninguém a respeito dele. Isso aconteceu para se cumprir o que o profeta Isaías tinha dito: "Disse Deus: Aqui está o meu servo que escolhi, aquele que amo e que dá muita alegria ao meu coração. Eu porei nele o meu Espírito, e ele anunciará o meu julgamento a todos os povos. Não discutirá, nem gritará, nem fará discursos nas ruas. Não esmagará o galho que está quebrado, nem apagará a luz que já está fraca. Ele agirá assim até que a causa da justiça seja vitoriosa. E todos os povos vão pôr nele a sua esperança".
Ameaçado, Jesus se retira e é seguido por muitos. A estes continua fazendo o bem.
Mateus afirma que assim foi para se cumprir o que predisse o profeta Isaías: “Aqui está o meu servo a quem escolhi, aquele que amo e que dá muita alegria ao meu coração...” (Is 42,1-4). O servo escolhido não precisa de publicidade para suas ações. Apenas garante a todas as pessoas o amor e a misericórdia de Deus. Todos vão por nele sua esperança!

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje?
O texto me recorda o que disseram os bispos na Conferência de Aparecida:
De nossa fé em Cristo nasce também a solidariedade como atitude permanente de encontro, irmandade e serviço. Ela há de se manifestar em opções e gestos visíveis, principalmente na defesa da vida e dos direitos dos mais vulneráveis e excluídos, e no permanente acompanhamento em seus esforços por serem sujeitos de mudança e de transformação de sua situação. O serviço de caridade da Igreja entre os pobres “é um campo de atividade que caracteriza de maneira decisiva a vida cristã, o estilo eclesial e a programação pastoral”( Novo millenio ineunte,49)” (DAp 394).
É assim que vivo a minha fé? Na defesa da vida e dos direitos dos mais fracos?

3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo ou, leio a oração de Madre Teresa de Calcutá:

Meu Deus, por livre escolha, por teu amor, 
Desejo permanecer aqui e fazer o que a tua vontade 
Exige de mim. 
Não! Não voltarei atrás. 
A minha comunidade são os pobres. 
A sua segurança é a minha. 
A sua saúde é a minha. 
A minha casa é a casa dos pobres:
Não apenas dos pobres 
Mas dos pobres dos pobres. 
Daqueles de quem as pessoas
Já não querem se aproximar
Com medo do contágio e da porcaria 
Porque estão cobertos 
De micróbios e vermes. 
Daqueles que não vão rezar, 
Porque não podem sair nus de casa. 
Daqueles que já não comem 
Porque não têm força para comer. 
Daqueles que se deixam cair pelas ruas, 
Conscientes de que vão morrer, 
E ao lado dos quais 
Os vivos passam 
Sem lhes prestar atenção. 
Daqueles que já não choram, 
Porque se lhes esgotaram as lágrimas. 
Dos intocáveis.

4. Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Meu novo olhar é iluminado pelos irmãos que sofrem a quem dedico um pouco de meu amor.
Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém
.


Ir. Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br



Nenhum comentário: