terça-feira, 1 de novembro de 2016

Lc 14,15-24 - Muita gente para a festa de Deus

Graça e Paz a todos os que se reúnem aqui na web, em torno da Palavra.
 Juntos, rezamos ou cantamos o Salmo 94:
(Se, em grupo, pode ser rezado em dois coros ou um solista e os demais repetem)
- Venham, ó nações, ao Senhor cantar (bis)
- Ao Deus do universo, venham festejar (bis)
- Seu amor por nós, firme para sempre (bis)
- Sua fidelidade dura eternamente (bis)
- Toda a terra aclame, cante ao Senhor (bis)
- Sirva com alegria, venha com fervor (bis)
- Nossas mãos orantes para o céu subindo (bis)
- Cheguem como oferenda ao som deste hino (bis)
- Glória ao Pai, ao Filho e ao Santo Espírito (bis)
- Glória à Trindade Santa, glória ao Deus bendito (bis)

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Leio atentamente, na Bíblia,  o texto Lc 14,15-24 e observo o sentido da parábola contada por Jesus.
Um dos que estavam à mesa ouviu isso e disse para Jesus:
- Felizes os que irão sentar-se à mesa no Reino de Deus!
Então Jesus lhe disse:
- Certo homem convidou muita gente para uma festa que ia dar. Quando chegou a hora, mandou o seu empregado dizer aos convidados: "Venham, que tudo já está pronto!"
- Mas eles, um por um, começaram a dar desculpas. O primeiro disse ao empregado: "Comprei um sítio e tenho de dar uma olhada nele. Peço que me desculpe."
- Outro disse: "Comprei cinco juntas de bois e preciso ver se trabalham bem. Peço que me desculpe."
- E outro disse: "Acabei de casar e por isso não posso ir."
- O empregado voltou e contou tudo ao patrão. Ele ficou com muita raiva e disse: "Vá depressa pelas ruas e pelos becos da cidade e traga os pobres, os aleijados, os cegos e os coxos."
- Mais tarde o empregado disse: "Patrão, já fiz o que o senhor mandou, mas ainda está sobrando lugar."
- Aí o patrão respondeu: "Então vá pelas estradas e pelos caminhos e obrigue os que você encontrar ali a virem, a fim de que a minha casa fique cheia. Pois eu afirmo a vocês que nenhum dos que foram convidados provará o meu jantar!"
Refletindo
Esta parábola contada por Jesus me ensina diversas coisas.
1º É um privilégio ser convidado para a festa do Reino, para a Aliança com Deus.
2º Os empregados são os apóstolos, os profetas, os discípulos e missionários.
3º Os que rejeitam o convite são os que preferem o ter, os bens materiais.
4º Os que estão pelas estradas e caminhos, e são convidados, são os mendigos, pobres, os que estão à margem, fora do convívio, "tanto bons como maus".
5º A exclusão, expressa nas palavras "nenhum provará meu jantar!" fala da conseqüência de quem renuncia à intimidade com Deus.

Jesus gostava de festa. Participava dela nas famílias, no Templo, contava parábolas de festas. Veja alguns destes textos.
Jo 7,10:
Depois que seus irmãos foram para a festa, Jesus também foi.
Lc 15,22-24:
Mas o pai disse aos empregados: ‘Depressa, tragam a melhor túnica para vestir meu filho. E coloquem um anel no seu dedo e sandálias nos pés. Peguem o novilho gordo e o matem. Vamos fazer um banquete. Porque este meu filho estava morto, e tornou a viver; estava perdido, e foi encontrado’. E começaram a festa.
Jo 7,14-16:
Quando a festa já estava pelo meio, Jesus foi ao Templo e começou a ensinar. As autoridades dos judeus ficaram admiradas e diziam: «Como é que esse homem tem tanta instrução, se nunca estudou?» Então Jesus respondeu: «Minha doutrina não vem de mim, mas daquele que me enviou. 

2. Meditação (Caminho) 

O que o texto diz para mim, hoje?
Meditando
Os bispos em, Aparecida, disseram:
"Por assim dizer, Deus Pai sai de si, para nos chamar a participar de sua vida e de sua glória. Mediante Israel, povo que fez seu, Deus nos revela seu projeto de vida. Cada vez que Israel procurou e necessitou de seu Deus, sobretudo nas desgraças nacionais, teve uma singular experiência de comunhão com Ele, que o fazia partícipe de sua verdade, sua vida e sua santidade. Por isso, não demorou em testemunhar que seu Deus - diferentemente dos ídolos - é o "Deus vivo" (Dt 5,26) que o liberta dos opressores (cf. Ex 3,7-10), que perdoa incansavelmente (cf. Ecl 34,6; Eclo 2,11) e que restitui a salvação perdida quando o povo, envolvido "nas redes da morte" (Sl 116,3), dirige-se a Ele suplicante (Cf. Is 38,16)." (DAp 129).
Deus continua nos fazendo convite de participação de sua vida. Como respondo?

3.Oração (Vida)

O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo
com a canção do padre Zezinho:
Vocação
Se ouvires a voz do vento /

Chamando sem cessar
Se ouvires a voz do tempo /

Mandando esperar. 

A decisão é tua /
A decisão é tua
São muitos os convidados /

Quase ninguém tem tempo 

Se ouvires a voz de Deus /
Chamando sem cessar
Se ouvires a voz do mundo /

Querendo te enganar

O trigo já se perdeu /

Cresceu, ninguém colheu 
E o mundo passando fome /
De paz, de pão e de Deus

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Meu novo olhar é para perceber os convites de Deus e responder com a minha adesão. 


Bênção

- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Jesus Mestre, Verdade, Caminho, Vida, tende piedade de nós.

Ir. Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br


Nenhum comentário: