quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Lc 2,22-40 - Apresentação do Senhor

Apresentação do Senhor


- A nós todos,  que nos encontramos neste espaço,
a paz de Deus, nosso Pai,
a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo,
no amor e na comunhão do Espírito Santo.
- Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!


Preparo-me para a Leitura, rezando, em sintonia com todos:
Inspirai-me, Espírito Santo, para que eu pense santamente!
Impulsionai-me, Espírito Santo, para que eu trabalhe santamente!
Movei-me, Espírito Santo, para que eu ame santamente!
Fortificai-me, Espírito Santo, para que eu proteja o que é santo!
Guardai-me, Espírito Santo, para que jamais perca o que é santo!


(Santo Agostinho)



1. Leitura (Verdade)
 - O que a Palavra diz?
Leio, na Bíblia, o texto Lc 2,22-40.
Chegou o dia de Maria e José cumprirem a cerimônia da purificação, conforme manda a Lei de Moisés. Então eles levaram a criança para Jerusalém a fim de apresentá-la ao Senhor. Pois está escrito na Lei do Senhor: "Todo primeiro filho será separado e dedicado ao Senhor." Eles foram lá também para oferecer em sacrifício duas rolinhas ou dois pombinhos, como a Lei do Senhor manda.

Em Jerusalém morava um homem chamado Simeão. Ele era bom e piedoso e esperava a salvação do povo de Israel. O Espírito Santo estava com ele, e o próprio Espírito lhe tinha prometido que, antes de morrer, ele iria ver o Messias enviado pelo Senhor. Guiado pelo Espírito, Simeão foi ao Templo. Quando os pais levaram o menino Jesus ao Templo para fazer o que a Lei manda, Simeão pegou o menino no colo e louvou a Deus. Ele disse:

- Agora, Senhor, cumpriste a promessa que fizeste e já podes deixar este teu servo partir em paz.

Pois eu já vi com os meus próprios olhos a tua salvação, que preparaste na presença de todos os povos: uma luz para mostrar o teu caminho a todos os que não são judeus e para dar glória ao teu povo de Israel.

O pai e a mãe do menino ficaram admirados com o que Simeão disse a respeito dele. Simeão os abençoou e disse a Maria, a mãe de Jesus:

- Este menino foi escolhido por Deus tanto para a destruição como para a salvação de muita gente em Israel. Ele vai ser um sinal de Deus; muitas pessoas falarão contra ele, e assim os pensamentos secretos delas serão conhecidos. E a tristeza, como uma espada afiada, cortará o seu coração, Maria.

Havia ali também uma profetisa chamada Ana, que era viúva e muito idosa. Ela era filha de Fanuel, da tribo de Aser. Sete anos depois que ela havia casado, o seu marido morreu. Agora ela estava com oitenta e quatro anos de idade. Nunca saía do pátio do Templo e adorava a Deus dia e noite, jejuando e fazendo orações. Naquele momento ela chegou e começou a louvar a Deus e a falar a respeito do menino para todos os que esperavam a libertação de Jerusalém.

Quando terminaram de fazer tudo o que a Lei do Senhor manda, José e Maria voltaram para a Galiléia, para a casa deles na cidade de Nazaré. O menino crescia e ficava forte; tinha muita sabedoria e era abençoado por Deus.


Refletindo
Alguns aspectos merecem ser destacados neste texto:
 1º Maria sabia quem era Jesus e, por ser Filho de Deus não precisava ser apresentado no Templo, na comunidade. Mas, quis ser obediente e por isso tem a grande revelação do profeta Simeão.
2º Jesus recém-nascido em tudo é semelhante aos outros. Mas, não passa despercebido: O Espírito Santo abre os olhos da fé ao velho Simeão, que se aproxima e, tomando o Menino nos braços, reconhece nele o Messias. Este Menino, profetiza Simeão, será "sinal de contradição".

3º Para a Mãe surpresa, Simeão prediz que a salvação acontecerá através do sofrimento – “espada afiada” -  do qual  também ela participará.

4º O tema da oferenda mistura-se com o tema da luz: “uma luz para mostrar o caminho a todos”. O Menino será luz das gentes e glória de Israel. Assim, Maria se revela como um candelabro que apresenta Jesus, "Luz do mundo".

5º Jesus dirá mais tarde aos discípulos: "Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida" (Jo 8,12). "Vocês são a luz do mundo" (Mt 4,15).



2. Meditação (Caminho)    
- O que a Palavra diz para mim?
Hoje, 2 de fevereiro, celebramos a Festa da Apresentação do Senhor, também chamada, no Brasil, festa de Nossa Senhora da Luz ou de Nossa Senhora da Candelária. O povo, na sua fé, costuma acender uma vela em homenagem a Maria. Sei que quando deixo uma vela acesa diante do sacrário ou do santo de minha devoção, expresso minha fé e, embora não esteja presente fisicamente, estou presente, em espírito. Eu e você podemos, como Maria, ser um candelabro que apresenta Jesus, Luz do mundo, na comunidade, em família, onde quer que estejamos. 


Meditando
Os bispos, na Conferência de Aparecida, falaram da alegria do discípulo que poderemos comparar com a luz: "Desejamos que a alegria que recebemos no encontro com Jesus Cristo, a quem reconhecemos como o Filho de Deus encarnado e redentor, chegue a todos os homens e mulheres feridos pelas adversidades; desejamos que a alegria da boa nova do Reino de Deus, de Jesus Cristo vencedor do pecado e da morte, chegue a todos quantos jazem à beira do caminho, pedindo esmola e compaixão (cf. Lc 10,29-37; 18,25-43). A alegria do discípulo é antídoto frente a um mundo atemorizado pelo futuro e oprimido pela violência e pelo ódio. A alegria do discípulo não é um sentimento de bem-estar egoísta, mas uma certeza que brota da fé, que serena o coração e capacita para anunciar a boa nova do amor de Deus. Conhecer a Jesus é o melhor presente que qualquer pessoa pode receber; tê-lo encontrado foi o melhor que ocorreu em nossas vidas, e fazê-lo conhecido com nossa palavra e obras é nossa alegria." (DAp 29).


3. Oração (Vida)
- O que a Palavra me leva a dizer a Deus?

A Palavra me motiva a fazer, hoje, uma prece a Maria.


Rezo com toda a Igreja a Oração Jubilar: 300 Anos de Bênçãos

Senhora Aparecida, Mãe Padroeira, em vossa singela imagem, / 
há 300 anos aparecestes nas redes dos três benditos pescadores / 
no Rio Paraíba do Sul. / 
Como sinal vindo do céu, /
 em  vossa cor, / 
vós nos dizeis que para o Pai não existem escravos, / 
apenas filhos muito amados. / 
Diante de vós, embaixadora de Deus, /
 rompem-se as correntes da escravidão! / 
Assim, daquelas redes, / 
passastes para o coração e a vida / 
de milhões de outros filhos e filhas vossos. / 
Para todos tendes sido bênção: / peixes em abundância, / 
famílias recuperadas, / 
saúde alcançada, /
 corações reconciliados, / 
vida cristã reassumida. / 
Nós vos agradecemos tanto carinho, tanto cuidado! / 
Hoje, em vosso Santuário e em vossa visita peregrina, / 
nós vos acolhemos como mãe, / 
e de vossas mãos recebemos o fruto de vossa missão entre nós: / 
o vosso Filho Jesus, nosso Salvador. /
 Recordai-nos o poder, a força das mãos postas em prece! / 
Ensinai-nos a viver vosso jubileu com gratidão e fidelidade! / 
Fazei de nós vossos filhos e filhas, / 
irmãos e irmãs de nosso Irmão Primogênito, Jesus Cristo.
Amém!

 

4. Contemplação (Vida/Missão)

- Qual o meu novo olhar a partir da Palavra?
Iluminado/a pela Palavra, vou comunicar a luz de Deus na comunidade,  em cada encontro, em cada palavra, a cada situação. Como a luz afasta toda escuridão, vou  colaborar para que todo medo, dúvida, injustiça ou conflito sejam esclarecidos e substituídos pela  graça e pela paz de Deus.



Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.



Irmã Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br

Nenhum comentário: