sábado, 30 de dezembro de 2017

Lc 2,36-40 - No Templo, a profetisa Ana

Preparo-me para a Leitura Orante, rezando com todos os visitantes desta página nas redes sociais:
Saudação
- A nós todos, a paz de Deus, nosso Pai,
a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo,
no amor e na comunhão do Espírito Santo.
- Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!
- Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
- Creio, Senhor Jesus, que sou parte de seu Corpo.
Trindade Santíssima
- Pai, Filho, Espírito Santo -
presente e agindo na Igreja e na profundidade do meu ser.
Eu vos adoro, amo e agradeço.


1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Leio atentamente, na minha Bíblia: Lc 2,36-40. Observo os personagens da cena descrita: o Menino Jesus, Ana, Maria e José.
Havia ali também uma profetisa chamada Ana, que era viúva e muito idosa. Ela era filha de Fanuel, da tribo de Aser. Sete anos depois que ela havia casado, o seu marido morreu. Agora ela estava com oitenta e quatro anos de idade. Nunca saía do pátio do Templo e adorava a Deus dia e noite, jejuando e fazendo orações. Naquele momento ela chegou e começou a louvar a Deus e a falar a respeito do menino para todos os que esperavam a libertação de Jerusalém.
Quando terminaram de fazer tudo o que a Lei do Senhor manda, José e Maria voltaram para a Galileia, para a casa deles na cidade de Nazaré.
O menino crescia e ficava forte; tinha muita sabedoria e era abençoado por Deus.

Refletindo
A profetisa Ana, nos seus 84 anos, estava sempre no templo, adorando a Deus. Ela tem duas atitudes ao ver o Menino Jesus:
1ª Louva a Deus
2ª Fala, anuncia a todos que o Menino é o libertador esperado.
Maria e José, depois de cumprir a Lei do Senhor, voltaram para Nazaré, na Galileia.
O Menino crescia em idade, sabedoria e graça de Deus.

2. Meditação (Caminho)

O que o texto diz para mim, hoje?
Posso me perguntar: sou uma pessoa atenta aos sinais de Deus? Ao perceber a presença de Deus na minha vida, quais atitudes tenho?
Meditando
 Como Ana, louvo a Deus e o anuncio aos demais? Como disseram os bispos em Aparecida: "Como discípulos de Jesus reconhecemos que Ele é o primeiro e maior evangelizador enviado por Deus (cf. Lc 4,44) e, ao mesmo tempo, o Evangelho de Deus (cf. Rm 1,3). Cremos e anunciamos "a boa nova de Jesus, Messias, Filho de Deus" (Mc 1,1). (DAp 103).

3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo:
Espírito vivificador,
a ti consagro o meu coração:
aumenta em mim o amor a Jesus, Vida da minha vida.
Faze-me sentir filho amado do Pai. Amém.
Ó Jesus Mestre, Verdade, Caminho e Vida, tem piedade de nós.


4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Meu novo olhar é de busca dos sinais de Deus no mundo em que vivo. Sei que "Somos chamados a encarnar o Evangelho no coração do mundo"(Diretrizes da CNBB, no 21). Vou falar de Deus às pessoas com quem convivo.

Bênção do Natal
Senhor, volta para mim, na maneira simples de chegar.
E que te possa descobrir
em todos os presépios e casas,
em todas as manjedouras e berços,
em todas as Marias e Josés.


Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Ir. Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br


 

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Lc 2,22-35 - Um Deus por nós

Jesus é apresentado no Templo
Inicio cantando ou rezando:


Cristãos, vinde todos 

Com alegres cantos. 

Ó, vinde, ó, vinde, 

Até Belém.

Vede nascido 

Vosso Rei eterno  


Ó, vinde,  adoremos 

Ó, vinde e adoremos 

Ó, vinde e adoremos o Salvador  


Humildes pastores deixam seu rebanho. 

E alegres acorrem ao Rei do Céu. 

Nós igualmente cheios de alegria.  


O Deus invisível, de eterna grandeza. 


Sob véus de humilhação, podemos ver. 

Deus pequenino, Deus envolto em faixas.  

Nasceu em pobreza, repousando em palhas. 

O nosso afeto lhe vamos dar. 

Tanto amou-nos! 

Quem não há de amá-lo?


1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Leio atentamente, na minha Bíblia,  o texto Lc 2,22-35.
Chegou o dia de Maria e José cumprirem a cerimônia da purificação, conforme manda a Lei de Moisés. Então eles levaram a criança para Jerusalém a fim de apresentá-la ao Senhor. Pois está escrito na Lei do Senhor: "Todo primeiro filho será separado e dedicado ao Senhor." Eles foram lá também para oferecer em sacrifício duas rolinhas ou dois pombinhos, como a Lei do Senhor manda.
Em Jerusalém morava um homem chamado Simeão. Ele era bom e piedoso e esperava a salvação do povo de Israel. O Espírito Santo estava com ele, e o próprio Espírito lhe tinha prometido que, antes de morrer, ele iria ver o Messias enviado pelo Senhor. Guiado pelo Espírito, Simeão foi ao Templo. Quando os pais levaram o menino Jesus ao Templo para fazer o que a Lei manda, Simeão pegou o menino no colo e louvou a Deus. Ele disse:
- Agora, Senhor, cumpriste a promessa que fizeste e já podes deixar este teu servo partir em paz.
Pois eu já vi com os meus próprios olhos a tua salvação, que preparaste na presença de todos os povos: uma luz para mostrar o teu caminho a todos os que não são judeus  e para dar glória ao teu povo de Israel. O pai e a mãe do menino ficaram admirados com o que Simeão disse a respeito dele. Simeão os abençoou e disse a Maria, a mãe de Jesus:
- Este menino foi escolhido por Deus tanto para a destruição como para a salvação de muita gente em Israel. Ele vai ser um sinal de Deus; muitas pessoas falarão contra ele, e assim os pensamentos secretos delas serão conhecidos. E a tristeza, como uma espada afiada, cortará o meu coração, Maria.


Refletindo

Depois do seu nascimento, Jesus foi levado por seus pais ao templo, para cumprir o ritual judaico.
A Carta aos Hebreus proclama a Palavra: “ ‘Estou aqui, ó Deus para fazer a tua vontade’.” (Hb 10,9). A Apresentação de Jesus ao Templo revela que ele não veio para fazer coisas, mas ser Deus no meio de nós, ou melhor ainda, “Deus-conosco!”
O grande teólogo Edward Schillebeeckx, que faleceu no dia 23 de dezembro de 2009, afirma que "Deus se revelou em Jesus, conforme a concepção cristã, valendo-se do não-divino do seu ser homem... Jesus partilhou conosco na cruz da fragilidade de nosso mundo. Mas este fato significa que em sua absoluta liberdade e antes de todo tempo, Deus determina quem e como quer ser no seu ser mais profundo, a saber, um Deus dos homens, companheiro de aliança em nosso sofrer e em nossa absurdidade, e companheiro de aliança também no que realizamos de bem. Ele é, em seu próprio ser, um Deus por nós".

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje?
Meditando
O teólogo Schillebeeckx, citado anteriormente, diz ainda que “Maria é o braço que une a humanidade santa e salvadora de Cristo à nossa humanidade”.
Ela apresentou Jesus no Templo e ali se revelou o Salvador, na voz de Simeão: “eu já vi com os meus próprios olhos a tua salvação, que preparaste na presença de todos os povos: uma luz para mostrar o teu caminho a todos os que não são judeus e para dar glória ao teu povo de Israel”. Os bispos, na Conferência de Aparecida, afirmaram: "Jesus é o Filho de Deus, a Palavra feito carne (cf. Jo 1,14), verdadeiro Deus e verdadeiro homem, prova do amor de Deus aos homens." (DAp 102).
Tenho um Salvador. Jamais devo perder a esperança e a fé.

3. Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo com a Oração de São Patrício:
Cristo está comigo, Cristo à minha frente,
Cristo atrás de mim, Cristo em mim,
Cristo à minha direita, Cristo à minha esquerda,
Cristo ao me deitar, Cristo ao me sentar, Cristo ao me levantar,
Cristo no coração de todos os que pensarem em mim,
Cristo na boca de todos os que falarem em mim,
Cristo em todos os olhos que me virem,
Cristo em todos os ouvidos que me ouvirem
.

4. Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Meu novo olhar é de reconhecimento da salvação que também nós “vimos com nossos próprios olhos”. Ele, Jesus Cristo, é a luz que ilumina o nosso caminho.

Bênção

- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

 Ir. Patricia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Jo 1,1-18 - É Natal! Deus se fez gente!


A Palavra se fez gente!
- A todos nós que nos encontramos neste ambiente virtual,
paz de Deus, nosso Pai,
a graça e
a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo,
no amor e na comunhão do Espírito Santo.
- Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!
Preparo-me para a Leitura,
 cantando ou rezando:
Cristãos, vinde todos
Com alegres cantos.
Ó, vinde, ó, vinde,
Até Belém.Vede nascido
Vosso Rei eterno  

Ó, vinde,  adoremos
Ó, vinde e adoremos
Ó, vinde e adoremos o Salvador  

Humildes pastores deixam seu rebanho.
E alegres acorrem ao Rei do Céu.
Nós igualmente cheios de alegria.  

O Deus invisível, de eterna grandeza.
Sob véus de humilhação, podemos ver.
Deus pequenino, Deus envolto em faixas.  

Nasceu em pobreza, repousando em palhas.
O nosso afeto lhe vamos dar.
Tanto amou-nos!
Quem não há de amá-lo?

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Leio atentamente, na Bíblia,  o texto: Jo 1,1-18.
No começo aquele que é a Palavra já existia. Ele estava com Deus e era Deus. Desde o princípio, a Palavra estava com Deus. Por meio da Palavra, Deus fez todas as coisas, e nada do que existe foi feito sem ela. A Palavra era a fonte da vida, e essa vida trouxe a luz para todas as pessoas. A luz brilha na escuridão, e a escuridão não conseguiu apagá-la.
Houve um homem chamado João, que foi enviado por Deus para falar a respeito da luz. Ele veio para que por meio dele todos pudessem ouvir a mensagem e crer nela. João não era a luz, mas veio para falar a respeito da luz, a luz verdadeira que veio ao mundo e ilumina todas as pessoas. A Palavra estava no mundo, e por meio dela Deus fez o mundo, mas o mundo não a conheceu. Aquele que é a Palavra veio para o seu próprio país, mas o seu povo não o recebeu. Porém alguns creram nele e o receberam, e a estes ele deu o direito de se tornarem filhos de Deus. Eles não se tornaram filhos de Deus pelos meios naturais, isto é, não nasceram como nascem os filhos de um pai humano; o próprio Deus é quem foi o Pai deles.
A Palavra se tornou um ser humano e morou entre nós, cheia de amor e de verdade. E nós vimos a revelação da sua natureza divina, natureza que ele recebeu como Filho único do Pai. João disse o seguinte a respeito de Jesus:
- Este é aquele de quem eu disse: "Ele vem depois de mim, mas é mais importante do que eu, pois antes de eu nascer ele já existia." Porque todos nós temos sido abençoados com as riquezas do seu amor, com bênçãos e mais bênçãos. A lei foi dada por meio de Moisés, mas o amor e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo. Ninguém nunca viu Deus. Somente o Filho único, que é Deus e está ao lado do Pai, foi quem nos mostrou quem é Deus.

Refletindo
O Evangelho de João lembra o Gênesis quando introduz: “no começo”. Antes da criação, o Filho de Deus – a Palavra – já existia. E foi por meio da Palavra que tudo foi criado. João diz que a Palavra é a fonte da vida e essa Palavra trouxe luz para todas as pessoas. O evangelista diz ainda que “A Palavra estava no mundo, e por meio dela Deus fez o mundo, mas o mundo não a conheceu. “ Os que nela creram se tornaram filhos de Deus. E, para se aproximar mais ainda de todas as pessoas “a Palavra se tornou um ser humano e morou entre nós”, na pessoa de Jesus Cristo. Só esta verdade é suficiente para tornar nosso coração imensamente agradecido.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje? Pelo poder do Espírito, tenho muito a agradecer ao Pai.
O que o texto me diz no momento? 
Meditando
Os bispos, na Conferência de Aparecida, disseram os motivos da nossa alegria: “Conhecer a Jesus Cristo pela fé é nossa alegria; segui-lo é uma graça, e transmitir este tesouro aos demais é uma tarefa que o Senhor, ao nos chamar e nos eleger, nos confiou. Com os olhos iluminados pela luz de Jesus Cristo ressuscitado podemos e queremos contemplar o mundo, a história, os nossos povos da América Latina e do Caribe e cada um de seus habitantes.” (DAp, 18).
Hoje, vou me retirar por uns bons momentos e recordar tudo que Deus realizou na minha vida, na minha família, no meu trabalho, estudo, no mundo, no ano que passou.

3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus? Trazemos a você a nossa Mensagem de Natal.
 4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Vou viver o clima de Natal, descobrindo a presença de Deus em toda parte.


Bênção
Bênção de Natal do Papa Francisco
Iluminado pela esperança evangélica que provém da gruta humilde de Belém, 
invoco os dons natalícios da alegria e da paz para todos: 
para as crianças e os idosos, 
para os jovens e as famílias, 
para os pobres e os marginalizados. 
Nascido para nós, 
Jesus conforte quantos suportam a prova da doença e da tribulação; 
sustente aqueles que se dedicam ao serviço dos irmãos mais necessitados. 
Em nome do Pai...

Ir. Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br


domingo, 17 de dezembro de 2017

Jo 1,6-8.19-28 - O testemunho de João

3º Domingo do Advento
Em união com todos que se encontram neste ambiente virtual,
iniciamos nossa Leitura Orante do 3º Domingo do Advento, com a
Canção do Advento
Ó vem, Senhor, não tardes mais!
Vem Saciar nossa Sede de Paz!  
  1.   Ó vem, como chega a brisa do vento,
Trazendo aos pobres justiça e bom tempo!  
2.   Ó vem, como chega a chuva no chão  
Trazendo fartura de vida e de pão!  
3.   Ó vem, como chega a luz que faltou  
Só tua palavra nos salva Senhor!  
4.   Ó vem, como chega a carta querida  
Bendito carteiro do Reino da Vida!  
5.   Ó vem, como chega o filho esperado  
Caminha conosco Jesus Bem amado!  
6.   Ó vem, como chega o Libertador  
Das mãos do inimigo nos salva Senhor

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Jo 1,6-8.19-28.
Houve um homem chamado João, que foi enviado por Deus para falar a respeito da luz. Ele veio para que por meio dele todos pudessem ouvir a mensagem e crer nela. João não era a luz, mas veio para falar a respeito da luz.
Os líderes judeus enviaram de Jerusalém alguns sacerdotes e levitas para perguntarem a João quem ele era. João afirmou claramente:
- Eu não sou o Messias.
Eles tornaram a perguntar:
- Então, quem é você? Você é Elias?
- Não, eu não sou! - respondeu João.
- Você é o Profeta que estamos esperando?
- Não! - respondeu ele.
Aí eles disseram a João:
- Diga quem é você para podermos levar uma resposta aos que nos enviaram. O que é que você diz a respeito de você mesmo?
João respondeu, citando o profeta Isaías:

- "Eu sou aquele que grita assim no deserto: preparem o caminho para o Senhor passar." 
Os que foram enviados eram do grupo dos fariseus; eles perguntaram a João: 
- Se você não é o Messias, nem Elias, nem o Profeta que estamos esperando, por que é que você batiza? 
João respondeu: 
- Eu batizo com água, mas no meio de vocês está alguém que vocês não conhecem. Ele vem depois de mim, mas eu não mereço a honra de desamarrar as correias das sandálias dele. 
Isso aconteceu no povoado de Betânia, no lado leste do rio Jordão, onde João estava batizando. 
Refletindo

 João é o "homem enviado por Deus", o profeta, o mensageiro, o porta-voz de Deus. É aquele que testemunha e anuncia a chegada do Messias. Ele é como uma sentinela que aguarda o sol despontar para gritar que o dia chegou. O interrogatório dos judeus, em Betânia, busca reconhecer a identidade de João que está se tornando bastante popular. A este interrogatório João responde que não é Elias, nem o Messias, nem o Profeta. Diz ser a "voz que clama no deserto". Mas, não deixa de ser um enigma a sua resposta,  porque João fala que depois dele vem alguém de quem ele não é digno de desatar as correias da sandália, ou seja, ele se julga inferior a um servo que era quem desatava as correias das sandálias.Tal é a grandeza daquele que vem.


2. Meditação (Caminho) 
O que o texto diz para mim, hoje?
Qual palavra mais me toca o coração?
O que o texto me diz no momento?
Todos nós podemos ser como João Batista: testemunhas, discípulos e missionários de Jesus Cristo.  Em Aparecida, os Bispos afirmaram: Se não conhecemos a Deus em Cristo e com Cristo, toda a realidade se torna um enigma indecifrável; não há caminho e, ao não haver caminho, não há vida nem verdade”(DAp 22).

3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Hoje, acendemos a terceira vela da Coroa do Advento - cor de rosa - e cantamos:
A terceira vela hoje acendemos
E cantamos ou rezamos
:

 "Alegrai-vos no Senhor!"
No deserto, uma voz escutemos:
Praticai a justiça e o amor!

4.Contemplação (Vida e Missão) 
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Como João Batista quero ser testemunha daquele de quem “não sou digno de desatar as correias das sandálias”.
Bênção
Bênção de Natal do Papa Francisco
Iluminado pela esperança evangélica que provém da gruta humilde de Belém, 
invoco os dons natalícios da alegria e da paz para todos: 
para as crianças e os idosos, 
para os jovens e as famílias, 
para os pobres e os marginalizados. 
Nascido para nós, 
Jesus conforte quantos suportam a prova da doença e da tribulação; 
sustente aqueles que se dedicam ao serviço dos irmãos mais necessitados. 
Em nome do Pai...


Ir. Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br

domingo, 10 de dezembro de 2017

Mc 1,1-8 - João Batista batizava e pregava a conversão

2º Domingo do Advento
Em união com todos os que se encontram neste ambiente virtual, iniciamos nossa Leitura Orante do Advento, com a Canção do Advento
Ó vem, Senhor, não tardes mais!
Vem saciar nossa sede de Paz!  
  

1.   Ó vem, como chega a brisa do vento,
Trazendo aos pobres justiça e bom tempo!  

2.   Ó vem, como a chuva no chão  
Trazendo fartura de vida e de pão!  

3.   Ó vem, como chega a luz que faltou  
Só tua palavra nos salva Senhor!  

4.   Ó vem, como chega a carta querida  
Bendito carteiro do Reino da Vida!  

5.   Ó vem, como chega o filho esperado  
Caminha conosco Jesus Bem amado!  

6.   Ó vem, como chega o Libertador  
Das mãos do inimigo nos salva Senhor



1. Leitura (Verdade) O que diz o texto do dia?
Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Mc 1,1-8
Início do Evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus. Está escrito no profeta Isaías: "Eis que envio à tua frente o meu mensageiro, e ele preparará teu caminho. Grita uma voz: 'No deserto abri caminho do Senhor, endireitai as veredas para ele'". Assim veio João, batizando no deserto e pregando um batismo de conversão, para o perdão dos pecados. A Judéia inteira e todos os habitantes de Jerusalém saíam ao seu encontro, e eram batizados no rio Jordão, confessando os seus pecados. João se vestia de pêlos de camelo, usava um cinto de couro à cintura e alimentava-se de gafanhotos e mel silvestre. Ele proclamava: "Depois de mim vem aquele que é mais forte do que eu. Eu nem sou digno de, abaixando-me, desatar a correia de suas sandálias. Eu vos batizei com água. Ele vos batizará com o Espírito Santo".
A introdução "início do Evangelho de Jesus Cristo" é a chave de leitura de todo o Evangelho de Marcos. Faz referência, como a um fundamento: a profecia de Isaías. A boa notícia anunciada pelos Profetas, agora é expressa na "voz que grita". É  João que chegou batizando  com água do Jordão e recebendo a confissão dos pecados a Judeia inteira. O Evangelho apresenta a figura austera de João que vestia um traje de pele de camelo e cinto de couro. Alimentava-se de gafanhotos e mel silvestre. Sua pregação era forte. Não anuncia a si mesmo."Depois de mim vem aquele que é mais forte do que eu. Eu não sou digno de desatar a correia das sandálias dele". João Batista  é o profeta, o mensageiro, um porta-voz de Deus.
Conforme o relato de Lucas, o próprio Jesus falará do "profeta" e mensageiro João Batista. Veja como ele o apresenta: "Depois que os mensageiros de João partiram, Jesus começou a falar sobre João às multidões: «O que vocês foram ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento?  O que vocês foram ver? Um homem vestido com roupas finas? Ora, os que se vestem com roupas preciosas e vivem no luxo estão nos palácios dos reis.  Então, o que é que vocês foram ver? Um profeta? Eu lhes garanto que sim: alguém que é mais do que um profeta. É de João que a Escritura afirma: ‘Eis que eu envio o meu mensageiro à tua frente: ele vai preparar teu caminho diante de ti’. Eu digo a vocês: entre os nascidos de mulher ninguém é maior do que João. No entanto, o menor no Reino de Deus é maior do que ele.  Todo o povo, e até mesmo os cobradores de impostos deram ouvidos à pregação de João. Reconheceram a justiça de Deus, e receberam o batismo de João.  Mas os fariseus e os doutores da Lei, rejeitando o batismo de João, tornaram inútil para si mesmos o projeto de Deus.»(Lc 7, 24-30).

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje? Qual palavra mais me toca o coração?
Todos nós somos convocados a ser como João Batista: testemunhas, profetas, mensageiros, discípulos e missionários de Jesus Cristo. Em Aparecida, os bispos falaram da fé e do nosso Batismo: "Ao receber a fé e o batismo, os cristãos acolhem a ação do Espírito Santo que leva a confessar a Jesus como Filho de Deus e a chamar Deus “Abba”. Como todos os batizados e batizadas da América Latina e do Caribe “através do sacerdócio comum do Povo de Deus”, somos chamados a viver e a transmitir a comunhão com a Trindade, pois “a evangelização é um chamado à participação da comunhão trinitária”(DAp 157).
Como vivo meu Batismo? Sinto-me profeta, mensageiro, porta-voz de Deus?

3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo, espontaneamente, com salmos e concluo,
acendendo a 2ª vela da Coroa do Advento,

Outra vela, na coroa, acendemos,
Penitentes nos caminhos do Senhor.
Consolando os aflitos, busquemos.
Novos céus e nova terra, com ardor!  


4.Contemplação (Vida e Missão)

Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Como João Batista, quero ser testemunha daquele de quem “não sou digno de desatar as correias das sandálias”.

Bênção


Bênção de Natal do Papa Francisco
Iluminado pela esperança evangélica que provém da gruta humilde de Belém, 
invoco os dons natalícios da alegria e da paz para todos: 
para as crianças e os idosos, 
para os jovens e as famílias, 
para os pobres e os marginalizados. 
Nascido para nós, 
Jesus conforte quantos suportam a prova da doença e da tribulação; 
sustente aqueles que se dedicam ao serviço dos irmãos mais necessitados. 
Em nome do Pai...

Ir. Patrícia Silva, fsp

patricia.silva@paulinas.com.br

sábado, 9 de dezembro de 2017

Mt 9,35-10,1.6-8 - Jesus deu autoridade a seus discípulos



Em união com todos que se encontram neste ambiente virtual,
iniciamos nossa Leitura Orante do Advento, com a
Canção do Advento

Ó vem, Senhor, não tardes mais!
Vem saciar nossa sede de Paz!
  
  1.   Ó vem, como chega a brisa do vento,
Trazendo aos pobres justiça e bom tempo!  
2.   Ó vem, como a chuva no chão  
Trazendo fartura de vida e de pão!  
3.   Ó vem, como chega a luz que faltou  
Só tua palavra nos salva Senhor!  
4.   Ó vem, como chega a carta querida  
Bendito carteiro do Reino da Vida!  
5.   Ó vem, como chega o filho esperado  
Caminha conosco Jesus Bem amado!  
6.   Ó vem, como chega o Libertador  
Das mãos do inimigo nos salva Senhor

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Mt 9,35-10.1.6-8, e observo pessoas, palavras, relações, lugares.
Jesus andava visitando todas as cidades e povoados. Ele ensinava nas sinagogas, anunciava a boa notícia sobre o Reino e curava todo tipo de enfermidades e doenças graves das pessoas. Quando Jesus viu a multidão, ficou com muita pena daquela gente porque eles estavam aflitos e abandonados, como ovelhas sem pastor. Então disse aos discípulos:
- A colheita é grande mesmo, mas os trabalhadores são poucos. Peçam ao dono da plantação que mande mais trabalhadores para fazerem a colheita.
Jesus chamou os seus doze discípulos e lhes deu autoridade para expulsar espíritos maus e curar todas as enfermidades e doenças graves.
Pelo contrário, procurem as ovelhas perdidas do povo de Israel. Vão e anunciem isto: "O Reino do Céu está perto." Curem os leprosos e outros doentes, ressuscitem os mortos e expulsem os demônios. Vocês receberam sem pagar; portanto, deem sem cobrar
.

Refletindo
O grande missionário do Pai, Jesus cumpre sua missão “visitando todas as cidades e povoados”, ensinando nas sinagogas, anunciando o Reino e curando de todas as enfermidades. A multidão a que atendia era muito grande e ele sentiu necessidade de mais missionários. Primeiro, diz ao povo que deve pedir ao “dono da messe” mais operários. Deve orar. Depois, ele faz o chamado aos doze discípulos. Não diz o evangelista que Jesus lhes deu títulos, um uniforme, paramentos, nem certificados de teologia, carteirinhas ou documentos de identificação,  mas deu-lhes “autoridade” para anunciar e curar todas as enfermidades.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje? 
Fala de vocação, de chamado a colaborar com a construção do Reino.
Meditando
 Em Aparecida, os bispos assim refletiram:
"O chamado que Jesus, o Mestre faz, implica numa grande novidade. Na antiguidade, os mestres convidavam seus discípulos a se vincular com algo transcendente e os mestres da Lei propunham a adesão à Lei de Moisés. Jesus convida a nos encontrar com Ele e a que nos vinculemos estreitamente a Ele porque é a fonte da vida (cf. Jo 15,1-5) e só Ele tem palavra de vida eterna (cf. Jo 6,68). Na convivência cotidiana com Jesus e na confrontação com os seguidores de outros mestres, os discípulos logo descobrem duas coisas originais no relacionamento com Jesus. Por um lado, não foram eles que escolheram seu mestre foi Cristo quem os escolheu. E por outro lado, eles não foram convocados para algo (purificar-se, aprender a Lei...), mas para Alguém, escolhidos para se vincular intimamente a sua pessoa (cf. Mc 1,17; 2,14). Jesus os escolheu para “que estivessem com Ele e para enviá-los a pregar” (Mc 3,14), para que o seguissem com a finalidade de “ser d’Ele” e fazer parte “dos seus” e participar de sua missão. O discípulo experimenta que a vinculação íntima com Jesus no grupo dos seus é participação da Vida saída das entranhas do Pai, é se formar para assumir seu estilo de vida e suas motivações (cf. Lc 6,40b), viver seu destino e assumir sua missão de fazer novas todas as coisas." (DAp 131).
Sinto-me parte do grupo de Jesus? Como participo de sua missão? Meu estilo de vida e minhas motivações são as mesmas de Jesus Cristo?

3.Oração (Vida)

O que o texto me leva a dizer a Deus?  
Faço minha oração pessoal e depois, ofereço o meu trabalho do dia:
Oferecimento do trabalho

Jesus Mestre,
eu vos ofereço o meu trabalho 
 com as mesmas intenções com que pregastes o Evangelho.
Seja tudo, só e sempre, para a glória de Deus e a paz dos homens
Jesus Verdade, que todas as pessoas vos conheçam!
Jesus Caminho, que as pessoas sigam vossas pegadas!
Jesus Vida, que todos vivam em vós!
Jesus Mestre, inspirai-me com a vossa sabedoria
para que eu possa transmitir palavras de salvação.
Que meus pensamentos se inspirem no Evangelho, e se tornem fontes de vossa luz
a iluminar as pessoas, nossos irmãos.
São Paulo, guiai-me!
Maria, Mãe e Rainha dos Apóstolos, que destes ao mundo o Verbo encarnado
abençoai esta minha missão. Amém.
(Bv. Alberione)

4.Contemplação (Vida e Missão)  
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Jesus Mestre, colocando-me na sua equipe de evangelização.

Bênção
Bênção de Natal do Papa Francisco
Iluminado pela esperança evangélica que provém da gruta humilde de Belém, 
invoco os dons natalícios da alegria e da paz para todos: 
para as crianças e os idosos, 
para os jovens e as famílias, 
para os pobres e os marginalizados. 
Nascido para nós, 
Jesus conforte quantos suportam a prova da doença e da tribulação; 
sustente aqueles que se dedicam ao serviço dos irmãos mais necessitados. 
Em nome do Pai...


Irmã Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br

domingo, 3 de dezembro de 2017

Mc 13,33-37 - 1º Domingo do Advento - Vigiai!

Formamos uma rede de comunicação
e comunhão em torno da Palavra com todas as pessoas que circulam por este ambiente
virtual. Rezamos em sintonia com a Santíssima Trindade.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém
Ó vem, Senhor, não tardes mais!
Vem saciar nossa sede de Paz!
  
  1.   Ó vem, como chega a brisa do vento,
Trazendo aos pobres justiça e bom tempo!  
2.   Ó vem, como a chuva no chão  
Trazendo fartura de vida e de pão!  
3.   Ó vem, como chega a luz que faltou  
Só tua palavra nos salva Senhor!  
4.   Ó vem, como chega a carta querida  
Bendito carteiro do Reino da Vida!  
5.   Ó vem, como chega o filho esperado  
Caminha conosco Jesus Bem amado!  
6.   Ó vem, como chega o Libertador  
Das mãos do inimigo nos salva Senhor



1. Leitura (Verdade) 
O que diz o texto do dia? Leio atentamente, na Bíblia,  o texto: Mc 13,33-37.
Vigiem e fiquem alertas, pois vocês não sabem quando chegará a hora. Será como um homem que sai de casa e viaja para longe; mas, antes de ir, dá ordens, distribui o trabalho entre os empregados e manda o porteiro ficar de vigia. Então vigiem, pois vocês não sabem quando o dono da casa vai voltar; se será à tarde, ou à meia-noite, ou de madrugada, ou de manhã. Se ele chegar de repente, que não encontre vocês dormindo! O que eu lhes digo digo a todos: fiquem vigiando! 
Refletindo
Jesus recomenda nestes versículos, atenção e vigilância. Que estejam  "de pé", na presença do Filho de Deus, quando Ele vier. O bem-aventurado Alberione recomendava, e quis que estivesse escrito nas capelas paulinas, "vivam em contínua conversão". Isto é o mesmo que estar vigilante, atento. Iniciando o Advento, a primeira atitude recomendada é esta: vigilância! Qualquer alienação pode nos distrair e não nos deixar perceber o Senhor que vem nos visitar.

2. Meditação (Caminho)

O que o texto diz para mim, hoje?
Lembro-me de uma parábola que me ajuda a entender a questão da "vigilância" e estar "atento".
Meditando
AS SETE MARAVILHAS DO MUNDO
      Um grupo de estudantes estudava as sete maravilhas do mundo. No final da aula, lhes foi pedido que fizessem uma lista do que consideravam as sete maravilhas. Embora houvesse algum desacordo, prevaleceram os votos:                
1) O Taj Mahal   
2) A Muralha da China   
3) O Canal do Panamá       
4) As Pirâmides do Egito
5) O Grand Canyon           
6) O Empire State Building         
7) A Basílica de São Pedro  
      Ao recolher os votos, o professor notou uma estudante muito quieta. A menina ainda não tinha virado sua folha. O professor, então, perguntou à ela se tinha problemas com sua lista.
      Meio encabulada, a menina respondeu:
- Sim, um pouco. Eu não consigo fazer a lista, porque são muitas as maravilhas.
      O professor disse:
- Bem, diga-nos o que você já tem e talvez nós possamos ajudá-la. A menina hesitou um pouco, então leu:
- Eu penso que as sete maravilhas do mundo sejam:
1 - VER    
2 - OUVIR    
3 - TOCAR      
4 - PROVAR     
5 - SENTIR
6 - PENSAR   
7 - COMPREENDER


Penso que, muitas vezes não estou atenta, porque, distraída, não vejo, não ouço, não toco, não provo, não sinto, não penso, nem compreendo.
Os bispos, na Conferência de Aparecida, lembraram mais: "O encontro com Cristo, graças à ação invisível do Espírito Santo, realiza-se na fé recebida e vivida na Igreja. Faz-se, pois, necessário propor aos fiéis a Palavra de Deus como dom do Pai para o encontro com Jesus Cristo vivo, caminho de "autêntica conversão e de renovada comunhão e solidariedade". Esta proposta será mediação de encontro com o Senhor se for apresentada a Palavra revelada, contida na Escritura, como fonte de evangelização. Os discípulos de Jesus desejam se alimentar com o Pão da Palavra: querem chegar à interpretação adequada dos textos bíblicos, empregá-los como mediação de diálogo com Jesus Cristo e a que sejam alma da própria evangelização e do anúncio de Jesus a todos. (...) Isto exige por parte dos bispos, presbíteros, diáconos e ministros leigos da Palavra uma aproximação à Sagrada Escritura que não seja só intelectual e instrumental, mas com um coração "faminto de ouvir a Palavra do Senhor" (Am 8,11). (DAp 248).
E me interrogo: Como me sinto neste caminho de conversão? Tenho garantida a minha paz pela vigilância e pela oração?

3.Oração (Vida)

O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo, espontaneamente, com salmos . acendendo a 1ª vela do 1º Domingo  do Advento. Coroa do Advento
Para marcar a passagem desse período, como também para buscar meios de cultivar o silêncio, a oração e a reflexão em família nesses dias que antecedem a comemoração do nascimento do Menino Jesus, pode-se fazer uma Coroa do Advento.
Com ramos de algum tipo de pinheiro ou cipreste, faz-se uma coroa circular onde são presas ou apoiadas quatro velas dispostas de forma simétrica. Pode-se decorar a coroa com fitas, bolas coloridas e sementes. Quatro velas representam cada semana do Advento.Três são roxas ou lilás e uma, cor rosa, a da 3ª semana. Acende-se a 1ª vela roxa e se canta:
Coroa do Advento
1° Domingo
Uma vela, na coroa, acendemos,
Toda sombra se esvai com sua luz;
Vigilantes, o Senhor esperemos:
Chegou o tempo do Advento de Jesus !
Refrão:
Meus irmãos, penitência e oração !
Arrumemos nossa casa co'alegria !
Logo a ela, o Senhor vai chegar,
Pelo ventre imaculado de Maria !
(A melodia está no player, no lado direito deste blog)

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra? Sinto-me discípulo/a de Jesus.
Meu olhar deste dia será iluminado pela vigilância e atenção
para perceber quando o Senhor vem me visitar

Bênção Bíblica

O Senhor o abençoe e guarde!
O Senhor lhe mostre seu rosto brilhante e tenha piedade de você!
O Senhor lhe mostre seu rosto e lhe conceda a paz!
(Nm 6,24-27).


Ir. Patrícia Silva, fsp

patricia.silva@paulinas.com.br

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Lc 21,29-33 - A Palavra não passa!

Vejam a figueira!
Graça e Paz a todos os que se reúnem aqui, nas redes sociais, 
em torno da Palavra.
 Rezamos ou cantamos o Salmo 94:

- Venham, ó nações, ao Senhor cantar 
- Ao Deus do universo, venham festejar 
- Seu amor por nós, firme para sempre 
- Sua fidelidade dura eternamente 
- Toda a terra aclame, cante ao Senhor 
- Sirva com alegria, venha com fervor 
- Nossas mãos orantes para o céu subindo 
- Cheguem como oferenda ao som deste hino 
- Glória ao Pai, ao Filho e ao Santo Espírito 
- Glória à Trindade Santa, glória ao Deus bendito 

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia? Leio atentamente Lc 21,29-33.
Em seguida Jesus fez esta comparação:
- Vejam o exemplo da figueira ou de qualquer outra árvore. Quando vocês vêem que as suas folhas começam a brotar, vocês já sabem que está chegando o verão. Assim também, quando virem acontecer aquelas coisas, fiquem sabendo que o Reino de Deus está para chegar. Eu afirmo a vocês que isto é verdade: essas coisas vão acontecer antes de morrerem todos os que agora estão vivos. O céu e a terra desaparecerão, mas as minhas palavras ficarão para sempre.
Refletindo
Jesus chama a atenção para um sinal da natureza: uma figueira. Quando esta árvore começa a brotar é sinal de que o verão está chegando. E aponta para alguns sinais do Reino. Tudo pode passar, desaparecer, mas, Jesus garante que suas palavras não passarão. Ficarão para sempre.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje?
Percebo os sinais do Reino de Deus no meio em que vivo, em que estou agora? Quais são eles? Creio na Palavra de Deus e me apoio nela? Jesus mostrou através de sua Palavra tantos sinais do Reino! Por exemplo: “onde dois ou três estão reunidos em meu nome, eu estou!”
Meditando
Os bispos, na Conferência de Aparecida, lembraram: “Louvamos ao Senhor que criou o universo como espaço para a vida e a convivência de todos seus filhos e filhas e no-los deixou como sinal de sua bondade e de sua beleza. A criação também é manifestação do amor providente de Deus; foi-nos entregue para que cuidemos dela e a transformemos em fonte de vida digna para todos. Ainda que hoje se tenha generalizado uma maior valorização da natureza, percebemos claramente de quantas maneiras o homem ameaça e inclusive destrói seu ‘habitat’. “Nossa irmã a mãe terra” é nossa casa comum e o lugar da aliança de Deus com os seres humanos e com toda a criação. Desatender as mútuas relações e o equilíbrio que o próprio Deus estabeleceu entre as realidades criadas, é uma ofensa ao Criador, um atentado contra a biodiversidade e, definitivamente, contra a vida. O discípulo missionário, a quem Deus encarregou a criação, deve contemplá-la, cuidar dela e utilizá-la, respeitando sempre a ordem dada pelo Criador.”(DAp 125).
E eu me interrogo: Como me sinto na casa comum e lugar da aliança de Deus? Favoreço ao equilíbrio da vida, em todos os sentidos?]

3.Oração (Vida)

O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo, espontaneamente, com salmos e concluo com as
Invocações a Jesus Mestre
Jesus Mestre, santificai minha mente e aumentai minha fé.
Jesus, Mestre vivo na Igreja, atraí todos à vossa escola.
Jesus Mestre, libertai-me do erro,
dos pensamentos inúteis e das trevas eternas.
Jesus Mestre, caminho entre o Pai e nós,
tudo vos ofereço e de vós tudo espero.
Jesus, caminho da santidade, tornai-me vosso fiel seguidor.
Jesus caminho, tornai-me perfeito como o Pai que está nos céus.
Jesus vida, vivei em mim, para que eu viva em vós.
Jesus vida, não permitais que eu me separe de vós.
Jesus Vida, fazei-me viver eternamente na alegria do vosso amor.
Jesus verdade, que eu seja luz para o mundo.
Jesus caminho, que eu seja vossa testemunha autêntica diante dos homens.
Jesus vida, fazei que minha presença contagie a todos
com o vosso amor e a vossa alegria.
Bem-aventurado Tiago Alberione


4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra? Sinto-me discípulo/a de Jesus.
Meu olhar deste dia será iluminado pelos sinais do Reino.


Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém. 


Irmã Patrícia Silva, fsp 
patricia.silva@paulinas.com.br