quinta-feira, 5 de março de 2020

Mt 7,7-12 - A porta é aberta para quem bate

Passo a passo, a caminho com Jesus
 Faça conosco este Retiro, diariamente, 
às 17h30, 
pela Rádio Nova Aliança - AM 710, FM 103,3 
ou
acessando na internet 
www.novaalianca.org.br

Põe teu coração no meu - Pe. Zezinho, scj

Entramos,neste momento, no nosso espaço sagrado de oração
invocando o Espírito Santo:
Vem Espírito de Deus,
 ilumina-me.
Quero abrir-me
para acolher os desafios
que o Senhor vai me apresentar hoje.


Passo a passo, a caminho com Jesus,
estamos na  1ª Semana da quaresma 
quando, hoje,  orientados por Jesus,
vamos assumir a atitude de intercessores,
que confiantemente pede ao Pai o que precisa,
bate à porta, e não se cansa de procurar.

Em nome do Pai,do Filho e do Espírito Santo.
Cremos, Senhor Jesus, que somos parte de seu Corpo.
Trindade Santíssima
- Pai, Filho, Espírito Santo -
presente e atuante na Igreja e na profundidade do nosso ser.
Nós vos adoramos, amamos e agradecemos.

Em silêncio e na solidão do nosso coração.
Inclinamos a cabeça. Fechamos os olhos.
Respiramos suavemente, e olhamos
através da imaginação,
para dentro do nosso coração.
Repetimos, respirando:
Senhor Jesus, tem piedade de nós".


Nós vos pedimos a graça de nos conhecermos mais a fundo,
tomar consciência de tudo que atrofia e limita nossa vida e,
com a vossa ajuda, remover todos os obstáculos
para que a vida nova pascal se expresse em nós na sua


Dai-nos, Pai, um coração fiel,um novo coração, um coração que ame, um coração humilde, aberto, bonito, capaz, sincero, meigo mas também sem medo, um coração feliz, um coração em paz!




1. Leitura (Verdade
Vamos, agora, ver o que a Palavra diz?
Vamos ler  com atenção o texto indicado para o dia de hoje: Mt 7,7-12.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Pedi e vos será dado! Procurai e achareis! Batei e a porta vos será aberta! Pois todo aquele que pede, recebe; quem procura, encontra; e a quem bate, a porta será aberta. Quem de vós dá ao filho uma pedra quando ele pede um pão? Ou lhe dá uma cobra quando ele pede um peixe? Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar coisas boas a vossos filhos, quanto mais vosso Pai que está nos céus dará coisas boas aos que lhe pedirem! Tudo quanto quereis que os outros vos façam, fazei também a eles. Nisto consiste a lei e os profetas”.
Estas são Palavras de salvação.

Refletindo
Jesus usa alguns verbos no imperativo, que me sugerem atitudes dinâmicas: "peçam", "procurem", "batam". E garante-nos que, a todas estas atitudes, teremos uma resposta positiva.
E mais: para garantir que Deus tem cuidado e atenção por nós, usa a imagem do pai que não engana seu filho dando-lhe pedra em lugar de pão. E vai mais longe: se um pai só dá coisas boas a seu filho, muito mais o Pai do céu.
Como Mestre de oração Jesus nos ensina a ter a atitude filial reconhecendo o direito de Deus de ser nosso Pai. E nos dirigimos a Deus como o pobre, o limitado, o carente. A oração de petição é uma atitude do pobre, que tudo agradece e tem consciência de esperar tudo de Deus. Ela nos faz sair de nós mesmos numa dupla direção: ao Pai e aos outros. Ela tem um sentido muito nobre porque com ela confessamos a nossa carência diante de Deus, manifestamos nossa confiança e reconhecemos sua grandeza, seu santo nome e seu amor para  conosco. 
Ao mesmo tempo, nossa vida, nosso coração se abre para as necessidades de todos, tornando-nos porta-vozes dos mais necessitados.   Neste sentido a petição nos afasta de nosso egoísmo e nos faz participar do fluxo do amor e do cuidado de Deus Pai que tudo sustenta e ampara.
Finalmente, recomenda-me fazer aos outros o que desejo que me façam: "Façam aos outros o que querem que eles façam a vocês".
Na expressão "pedi e vos será dado", Jesus desperta em nós um grande amor e confiança no Pai.


2. Meditação(Caminho)

- O que a Palavra diz para nós?
A Palavra me diz que  devo sempre pensar, querer e fazer o bem, pois é o que desejo também para mim.
Para sermos sinceros nem sempre desejamos aos outros o mesmo que desejamos para nós, não é?. Com freqüência encontramos pessoas gentis conosco: fazem-nos um favor, oferecem-nos a vez, o lugar, pedem desculpas, agradecem. Mas, muitas vezes, queremos o melhor para nós: o melhor emprego, o melhor cargo, o melhor lugar no metrô, no ônibus, o melhor, sem nos preocupar muito com as outras pessoas.
Você conhece a história do UBUNTU?
Ubuntu é uma antiga palavra africana e tem origem na língua Zulu.


"O UBUNTU não significa que uma pessoa não se preocupe com o seu progresso pessoal. A questão é: o meu progresso pessoal está ao serviço do progresso da minha comunidade? Isso é o mais importante na vida. E se uma pessoa conseguir viver assim, terá atingido algo muito importante e admirável." (Nelson Mandela).

Um antropólogo visitou um povoado africano. Ele quis conhecer a sua cultura e averiguar quais eram os seus valores fundamentais. Assim que lhe ocorreu uma brincadeira para as crianças. Ele colocou um cesto de frutas perto de uma árvore. E disse o seguinte às crianças: 

- A primeira que chegar à árvore ficará com o cesto de frutas.

Mas, quando o homem deu o sinal para que começasse a corrida em direção ao cesto, aconteceu algo inusitado: as crianças deram as mãos umas as outras e começaram a correr juntas. Ao chegarem ao mesmo tempo todos desfrutaram do prêmio. Eles se sentaram e repartiram as frutas. 

O antropólogo lhes perguntou por que tinham feito isso, quando somente um poderia ter ficado com todo o cesto. Uma das crianças respondeu: 

- 'Ubuntu'.  Como um de nós poderia ficar feliz se o resto estivesse triste? 


O homem ficou impressionado pela resposta sensata desse pequeno. Ubuntu é esta antiga palavra africana que na cultura Zulu  significa ‘Sou quem sou porque somos todos nós’. É uma filosofia que consiste em acreditar que cooperando se consegue a harmonia, já que se consegue a felicidade de todos. 

A petição nos mobiliza a buscar aquilo que pedimos, não sós, mas como comunidade eclesial missionária, que nos desperta, nos prepara para coisas maiores; alarga o coração e nossa visão para perceber os outros que estão à nossa volta, de quem somos irmãos. 

Refletindo
Neste sentido de pedir em oração alguma graça a Deus, está a intercessão.
Quando você ouve a palavra intercessão, qual a primeira coisa que vem à sua mente? Talvez você se lembre do círculo de oração da igreja ou de um pequeno grupo denominado ‘intercessores’ que muitas igrejas possuem, onde as pessoas ficam fazendo petições a Deus. E sim, isso é intercessão! Mas, vamos a um entendimento um pouco mais amplo do que a intercessão significa.

A origem da palavra Interceder é do Latim, que é intercedere, significa: intervir e estar entre algo. Você deve se lembrar que até mesmo na matemática existe a teoria dos conjuntos, onde intersecção significa estar entre dois ou mais conjuntos. A origem dessas palavras é a mesma, logo, possui o mesmo significado. Com isso em mente, vamos agora entender o que é fazer intercessão diante de Deus, em favor de alguém ou algo. Para compreender de forma ainda mais clara, vamos ao que Paulo descreve aos Romanos, a respeito de Jesus:

“Quem fará alguma acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem os condenará? Foi Cristo Jesus que morreu; e mais, que ressuscitou e está à direita de Deus, e também intercede por nós.” – Rm 8,33,34

Se interceder significa se colocar entre algo, estar entre algo, intervir, podemos então entender que Jesus, ao interceder por nós, não apenas fala ao Pai, mas se coloca entre nós e o Pai. E não foi isso que Jesus fez ao vir à terra e morrer por nós? Sim, ele é o nosso grande intercessor, porque ele mesmo veio em carne intervir em nossa relação com Deus e selar esse relacionamento para sempre. E a melhor notícia é que até hoje ele continua intervindo em nosso favor. É o que fazemos quando participamos de uma celebração eucarística.

Mas não paramos por aí. Hoje nós somos chamados para ser os intercessores diante de Deus. Assim como Abraão intercedeu por um povo, com o próprio Jesus intercede por nós, nós podemos estar entre Deus e uma causa. Consegue imaginar a grandeza do que isso é? Não apenas grande e poderoso, mas acessível e feito para todos nós. 

Se pensarmos que Jesus apenas fez o que viu o Pai fazer, então imagino que nós, como imitadores de Cristo, devemos fazer o mesmo. Todos podemos entrar, com confiança, pelo novo e vivo caminho que foi aberto por Jesus (Hebreus 10,19). Não é somente intervir, mas também ver respostas dessas orações.

Como diz são Paulo: "Aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade.” – Hb 4,14-16
Canção em fé maior  - Pe. Zezinho

3. Oração (Vida)

- O que a Palavra nos leva a dizer a Deus?
Oração 
Façamos agora a nossa intercessão, os nossos pedidos

Pai santo, vosso Filho Jesus,

conduzido pelo Espírito
e obediente à vossa vontade,
aceitou a cruz como prova de amor à humanidade.
Convertei-nos e, nos desafios deste mundo,
tornai-nos missionários.
Para anunciar o Evangelho como projeto de vida,
enviai-nos, Senhor;
para ser presença geradora de fraternidade,
enviai-nos, Senhor;
para ser profetas em tempo de mudança,
enviai-nos, Senhor;
para promover a sociedade da não violência,
enviai-nos, Senhor;
para salvar a quem perdeu a esperança,
enviai-nos, Senhor;
para... (intenções espontâneas)
Um detalhe: temos que aguardar a hora de Deus.


 Quando Deus se calou - Pe. Zezinho, scj


4. Contemplação (Vida/ Missão)
- Qual o meu novo olhar a partir da Palavra?
Vou ter atenção mais viva hoje, para perceber os cuidados do Pai para conosco. Também procurar oferecer o melhor às pessoas com quem me relaciono.

Bênção   DO CARDEAL SÉRGIO DA ROCHA (com BG):
Senhor, nosso Deus, concedei-nos nesta quaresma a graça da conversão e da reconciliação por meio da oração, da penitencia e da caridade. Dai-nos a graça de aprender convosco a  ser livres para amar, acolhendo a vida como dom e compromisso, valorizando e defendendo a vida, especialmente onde ela se encontra mais fragilizada e sofrida. Isto vos pedimos, em nome do Pai, e do Filho e do Espirito Santo. Amém.

                                       Por que me ouviste - Pe. Zezinho,scj