domingo, 15 de março de 2020

Jo 4,5-42 - Deus tem sede do nosso amor

Passo a passo, a caminho com Jesus,
Estamos começando a 3ª semana da quaresma 
quando, hoje,  contemplamos 
que estamos vivendo um tempo de conversão.
Caminhemos passo a passo com Jesus.
Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
Creio, Senhor Jesus, que sou parte de seu Corpo,
membro da Igreja viva.

Trindade Santíssima
- Pai, Filho, Espírito Santo -
presente e atuante na Igreja e na profundidade do meu ser.
Eu vos adoro, amo e agradeço. 
Em silêncio e na solidão.
Inclinamos a cabeça. Fechamos os olhos.
Respiramos suavemente, e olhamos
através da imaginação,
para dentro do nosso coração.
Repetimos, respirando:
“Senhor Jesus, tem piedade de nós".

Peçamos ainda:
Nós vos pedimos a graça de ter uma experiência mais profunda da vida do Espírito
para poder perceber as pulsações desta vida eterna no nosso próprio interior.

Agora, ouçamos o que ele, o Senhor nos diz
Neste tempo de repouso do nosso coração no de Jesus, 
em silêncio,
 ouvimos o que ele nos quer comunicar.


MÚSICA 1 - Põe teu coração no meu - Pe. Zezinho,scj

1. Leitura (Verdade) - O que a Palavra diz?
O tempo quaresmal possibilita que redescubramos as profundezas de nós mesmos, as coisas ocultas no nosso interior, para melhor nos conhecermos , crescer e construir  novos modos de nos relacionar conosco mesmos, com os outros, com as criaturas e com Deus.
Este tempo revela por um lado, a realidade interna, machucada, ferida, obscurecida, e de outro, um potencial, um dinamismo, um "poco" de possibilidades, um conjunto de forças positivas. São como que dois rostos do nosso coração.

Assim, vamos ler atentamente o texto de hoje,  na minha Bíblia : Jo 4,5-42.
Chegou, pois, a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, perto da propriedade que Jacó tinha dado a seu filho José. Havia ali a fonte de Jacó. Jesus, cansado da viagem, sentou-se junto à fonte. Era por volta do meio-dia. Veio uma mulher da Samaria buscar água. Jesus lhe disse: "Dá-me de beber!" Os seus discípulos tinham ido à cidade comprar algo para comer. A samaritana disse a Jesus: "Como é que tu, sendo judeu, pedes de beber a mim, que sou uma mulher samaritana?" De fato, os judeus não se relacionam com os samaritanos. Jesus respondeu: "Se conhecesses o dom de Deus e quem é aquele que te diz: 'Dá-me de beber', tu lhe pedirias, e ele te daria água viva". A mulher disse: "Senhor, não tens sequer um balde, e o poço é fundo; de onde tens essa água viva? Serás maior que nosso pai Jacó, que nos deu este poço, do qual bebeu ele mesmo, como também seus filhos e seus animais?" Jesus respondeu: "Todo o que beber desta água, terá sede de novo; mas quem beber da água que eu darei, nunca mais terá sede, porque a água que eu darei se tornará nele uma fonte de água jorrando para a vida eterna". A mulher disse então a Jesus: "Senhor, dá-me dessa água, para que eu não tenha mais sede, nem tenha de vir aqui tirar água"... Senhor, vejo que és um profeta! Os nossos pais adoraram sobre esta montanha, mas vós dizeis que em Jerusalém está o lugar em que se deve adorar". Jesus lhe respondeu: "Mulher, acredita-me: vem a hora em que nem nesta montanha, nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós adorais o que não conheceis. Nós adoramos o que conhecemos, pois a salvação vem dos judeus. Mas vem a hora, e é agora, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e verdade. Estes são os adoradores que o Pai procura. Deus é Espírito, e os que o adoram devem adorá-lo em espírito e verdade". A mulher disse-lhe: "Eu sei que virá o Messias (isto é, o Cristo); quando ele vier, nos fará conhecer todas as coisas". Jesus lhe disse: "Sou eu, que estou falando contigo".... Muitos samaritanos daquela cidade acreditaram em Jesus por causa da palavra da mulher que testemunhava: "Ele me disse tudo o que eu fiz". Os samaritanos foram a ele e pediram que permanecesse com eles; e ele permaneceu lá dois dias. Muitos outros ainda creram por causa da palavra dele, e até disseram à mulher: "Já não é por causa daquilo que contaste que cremos, pois nós mesmos ouvimos e sabemos que este é verdadeiramente o Salvador do mundo".

Refletindo
Neste  encontro,  Jesus conversa com uma mulher da Samaria. Ela própria se surpreende, porque os judeus não falavam com os samaritanos, a quem tratavam com hostilidade. O maravilhoso diálogo se desenvolve num jogo de pedir e recusar para chegar ao grandioso "dom de Deus". Falam de água do poço e da água viva, falam da vida familiar, falam da salvação, de culto, até que Jesus se apresenta claramente: "O Messias sou eu que estou falando contigo". Chegaram os discípulos e a mulher foi dizer aos seus vizinhos que encontrara o Messias. Com seu testemunho e também porque escutaram o Mestre, muitos creram nele.
Musica 2: Água viva - Pe. Zezinho, scj


2. Meditação (Caminho)
- O que a Palavra diz para nós?
Como são nossos diálogos com Jesus?

Jesus é a presença que permitiu à samaritana e permite a cada um de nós acesso à água viva, no próprio interior, como uma fonte que brota incessantemente.
O encontro com Jesus fez a samaritana viver uma verdadeira "páscoa" passando de uma vida rotineira e dispersa à responsabilidade de anunciar aos outros Aquele com quem se encontrou.. A samaritana  foi conduzida à sua interioridade por meio de um processo que a fez passar da dispersão à unificação, da exterioridade à unidade, da solidão à comunhão com os outros. 
Vamos agora, a partir do encontro de Jesus com a samaritana, nos abrir à nossa interioridade que pouco conhecemos, pois, nem sempre nos permitimos entrar nela e, inclusive poucas vezes temos alguma consciência de que ela existe, não é? E é a mais profunda, valiosa e autêntica expressão de nossa vida.
Nosso crescimento pessoal só é possível quando nos nutrimos da água do nosso próprio poço. Este poço é o lugar de nossos melhores recursos, dons, qualidades, potencialidades que dão sabor à nossa vida e nos transforma em pessoa para os demais.
Muitas vezes nossas sedes, desejos, sonhos não encontram canais amplos para jorrar. E então, se atrofiam, permanecendo reféns de uma triste mediocridade, matando nossa criatividade. Se não há paixão naquilo que fazemos tudo vira rotina, sem compromisso. Meditando
Os bispos, na Conferência de Aparecida, disseram:
"A admiração pela pessoa de Jesus, seu chamado e seu olhar de amor despertam uma resposta consciente e livre desde o mais íntimo do coração do discípulo, uma adesão de toda sua pessoa ao saber que Cristo o chama por seu nome (cf. Jo 10,3). É um “sim” que compromete radicalmente a liberdade do discípulo a se entregar a Jesus, Caminho, Verdade e Vida (cf. Jo 14,6). É uma resposta de amor a quem o amou primeiro “até o extremo” (cf. Jo 13,1). A resposta do discípulo amadurece neste amor de Jesus: “Te seguirei por onde quer que vás” (Lc 9,57)." (DAp 136).
3. Oração (Vida)
- O que a Palavra me leva a dizer a Deus? 

Bendito sejas, Senhor Jesus, 
Tu o Messias, o Salvador do mundo, 
porque nos revelas a água viva da tua presença 
e nos levas a adorar o Pai no Espírito e em verdade. 
Bendito sejas pela água do Batismo.
Faze com que tenhamos sempre  sede de Te conhecer!
 
4. Contemplação(Vida/ Missão)
- Qual o nosso novo olhar a partir da Palavra?
Nosso olhar de contemplação é motivado pelo nosso viver a fundo, não perdendo a capacidade de amar. de vibrar, de buscar a água que mata a sede. 

Que Deus abençoe este meu propósito, por meio da bênção do nosso cardeal, o arcebispo Dom Sérgio da Rocha.


Bênção   DO CARDEAL SÉRGIO DA ROCHA (com BG):

Senhor, nosso Deus, concedei-nos nesta quaresma a graça da conversão e da reconciliação por meio da oração, da penitencia e da caridade. Dai-nos a graça de aprender convosco a  ser livres para amar, acolhendo a vida como dom e compromisso, valorizando e defendendo a vida, especialmente onde ela se encontra mais fragilizada e sofrida. Isto vos pedimos, em nome do Pai, e do Filho e do Espirito Santo. Amém.








Ouça, também, Rádio Nova Aliança, AM 710,  FM 103,3 
Passo a passo com Jesus - 17h30