terça-feira, 1 de dezembro de 2020

Lc 10,21-24 – "Sim, Pai"


Leitura Orante

Iniciamos com uma saudação alegre 
a todos os que estão nas redes sociais:
- Graça e Paz!
- A todos nós que nos encontramos neste ambiente virtual,
paz de Deus, nosso Pai,
a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo,
no amor e na comunhão do Espírito Santo.
- Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

Preparamo-nos para a Leitura, rezando:

Espírito de verdade,
consagro-vos a minha inteligência,
imaginação e memória. Iluminai-me!
Dai-me conhecer Jesus Cristo Mestre.
Revelai-me o sentido profundo do Evangelho
e de tudo o que ensina a santa Igreja.
Concedei-me o dom da sabedoria,
da ciência, da inteligência e do conselho!
Espírito santificador, consagro-vos a minha vontade!
Conduzi-me sempre e em tudo conforme a vontade do Pai!
Concedei-me o dom da fortaleza e o santo temor de Deus!
Espírito de vida, consagro-vos o meu coração!
Fazei crescer em mim a vida divina.
Concedei-me o dom da piedade. Amém.

  1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Lemos atentamente, o texto:
Lc 10,21-24, e observamos pessoas, palavras, relações, lugares.
Naquele momento, pelo poder do Espírito Santo, Jesus ficou muito alegre e disse:
- Ó Pai, Senhor do céu e da terra, eu te agradeço porque tens mostrado às pessoas sem instrução aquilo que escondeste dos sábios e dos instruídos. Sim, ó Pai, tu tiveste prazer em fazer isso.
- O meu Pai me deu todas as coisas. Ninguém sabe quem é o Filho, a não ser o Pai; e ninguém sabe quem é o Pai, a não ser o Filho e também aqueles a quem o Filho quiser mostrar quem o Pai é.
Então Jesus virou-se para os discípulos e disse só para eles:
- Felizes são as pessoas que podem ver o que vocês estão vendo! Eu afirmo a vocês que muitos profetas e reis gostariam de ter visto o que vocês estão vendo, mas não puderam; e gostariam de ter ouvido o que vocês estão ouvindo e não ouviram.

Refletindo
Este é um momento de especial alegria. Pelo “poder do Espírito Santo”, o Mestre fica “muito alegre” porque os discípulos voltaram da missão que lhes confiara e contam as maravilhas que Deus realizou através deles. Jesus agradece ao Pai , Senhor do Céu e da terra. Os sábios a quem se refere são os chefes dos judeus. Os sem instrução são os discípulos, os que têm necessidade de aprender. Diz ainda: “Felizes são as pessoas que podem ver o que vocês estão vendo”. Os discípulos são felizes, testemunhas privilegiadas dessa revelação do Mestre.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para nós, hoje? Como Jesus, pelo poder do Espírito, temos algo a agradecer ao Pai.
O que o texto nos diz no momento?
Meditando
Os bispos, na Conferência de Aparecida, disseram os motivos da nossa alegria: “Conhecer a Jesus Cristo pela fé é nossa alegria; segui-lo é uma graça, e transmitir este tesouro aos demais é uma tarefa que o Senhor, ao nos chamar e nos eleger, nos confiou. Com os olhos iluminados pela luz de Jesus Cristo ressuscitado podemos e queremos contemplar o mundo, a história, os nossos povos da América Latina e do Caribe e cada um de seus habitantes.” (DAp 18).


3.Oração (Vida)
O que o texto nos leva a dizer a Deus?
Fazemos nossa oração pessoal e depois, rezamos, espontaneamente, com salmos e concluímos com a

Oração 

Pai Santo,
quisestes que a vossa Igreja fosse no mundo 
fonte de salvação para todas as nações,
a fim de que a obra do Cristo que vem 
continue até o fim dos tempos.
Aumentai em nós o ardor da evangelização, 
derramando o Espírito prometido,
e fazei brotar em nossos corações a resposta da fé.
Por Cristo, nosso Senhor.
Amém!

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual nosso novo olhar a partir da Palavra?
Vamos olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Vamos viver nosso dia com o coração agradecido ao Pai e na alegria de poder testemunhá-lo.

Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Irmã Patrícia Silva, fsp



 

segunda-feira, 30 de novembro de 2020

Mt 4,18-22 - O chamado de André


Leitura Orante

Preparamo-nos para a Leitura Orante, fazendo uma rede de comunicação
e comunhão em torno da Palavra com todas as pessoas que circulam nas redes sociais.
Hoje, nos encontramos, onde quer que você esteja: no metrô, em casa, na rua, no ônibus, no seu carro, no seu trabalho... Juntos continuamos nosso Exercícios Espirituais do Advento, em preparação ao Natal. Interessante que a Palavra de Deus de hoje vem como um apelo vocacional. Hoje, dia de Santo André Apóstolo,  vamos ler o Evangelho que fala de deixar as redes para seguir Jesus e nos tornarmos “pescadores de gente”. Vamos pensar nisto agora:
  1. Sugerimos dedicarmos cerca  30 minutos à nossa oração pessoal diária;
  2. Revemos esta oração por uns 10 minutos, no final do dia, como uma retrospectiva do dia que passou.

1. Leitura (Verdade) 
O que diz o texto do dia? Lemos atentamente o texto: Mt 4,18-22.

Jesus estava andando pela beira do lago da Galileia quando viu dois irmãos que eram pescadores: Simão, também chamado de Pedro, e André. Eles estavam no lago, pescando com redes. Jesus lhes disse:
- Venham comigo, que eu ensinarei vocês a pescar gente.
Então eles largaram logo as redes e foram com Jesus.
Um pouco mais adiante Jesus viu outros dois irmãos, Tiago e João, filhos de Zebedeu. Eles estavam no barco junto com o pai, consertando as redes. Jesus chamou os dois, e, no mesmo instante, eles deixaram o pai e o barco e foram com ele.

Refletindo

Jesus chama os primeiros discípulos: Pedro e André. Depois, chama outros dois irmãos: Tiago e João. Estes deixam sua profissão de pescadores, deixam família, deixam suas seguranças e abraçam o Projeto de Jesus: o compromisso de “pescadores de gente”.
O convite de Jesus é para todos os que ouvem a sua Palavra.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para nós, hoje? 

Meditando
Os bispos, em Aparecida, reconheceram a vocação como dom de Deus: A própria vocação, a própria liberdade e a própria originalidade são dons de Deus para a plenitude e a serviço do mundo." (DAp 111).

O Senhor se revela a nós não de forma extraordinária ou estrondosa, mas no quotidiano da nossa vida.
Foi assim para os primeiros apóstolos. Estavam pescando. Jesus passou onde estavam e lhes fez o convite.
Também para nós é assim: no nosso dia-a-dia é  que devemos encontrar o Senhor, dialogar com Ele e mudar a nossa vida. A resposta dos quatro pescadores foi imediata e sem hesitação: abandonaram as redes e seguiram Jesus. 
O papa Francisco comenta: “nas margens do lago, numa terra impensável, nasceu a primeira comunidade de discípulos de Cristo. E nós cristãos, temos  hoje a alegria de proclamar e dar testemunho da nossa fé, graças àquele primeiro anúncio e àqueles homens humildes e corajosos que responderam generosamente  ao chamado de Jesus” .
A consciência deste início suscite em nós o desejo de levar a palavra, o amor, a ternura de Jesus a todos os contextos, mesmo nos mais difíceis e fechados. “Levar a palavra a todas as periferias. Todos os espaços da vida humana são terrenos onde lançar a semente do Evangelho, a fim de que dê frutos de salvação”.
E nós nos perguntamos: sendo eu, membro vivo da Igreja, como vivo minha vocação à plenitude a serviço do mundo? Sou capaz de largar minhas redes, meu barco, ou seja, meus interesses, meus programas e opções para seguir Jesus que quer me falar  naquele encontro, naquela reunião da comunidade, naquele serviço de acolhimento de alguém que chega à minha casa, ao meu trabalho, do meu lado no ônibus, na recepção de um consultório...? Pensemos como é a nossa resposta aos convites de Jesus para sermos “pescadores de gente”.

E eu me interrogo: sendo eu, membro vivo da Igreja, como vivo minha vocação à plenitude a a serviço do mundo?


3.Oração (Vida)

O que o texto nos leva a dizer a Deus?
Rezamos, espontaneamente, com salmos e concluímos com a oração
Façamos da canção uma oração

Tu, Senhor,  te abeiraste na praia
Não buscaste nem sábios, nem ricos
Somente queres que eu te siga....

Senhor, Tu me olhaste nos olhos
A sorrir, pronunciaste meu nome
Lá na praia, eu deixei o meu barco
Junto a Ti, buscarei outro mar

Tu sabes bem que em meu barco
Eu não tenho nem espadas nem ouro
Somente redes e o meu trabalho...

Tu minhas mãos solicitas
Meu cansaço, que a outros descansem
Amor que almeja seguir amando..

Junto a Ti, Senhor, buscarei outro mar

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual nosso novo olhar a partir da Palavra? 
 Nosso olhar foi  iluminado pela certeza de que Deus cuida deste mundo? Cuida de nós, e em Jesus Cristo toda dor, todo sofrimento, toda perseguição tem um misterioso porquê?
Vivemos esta certeza? .
Simão e André eram pescadores e Jesus os chamou para serem pescadores de homens. Tudo o que eles precisavam fazer era seguir Jesus.

A capacitação e o poder para transformá-los em pescadores de homens viria de Deus, não de uma faculdade ou algo assim. Não seria uma pesca com redes. As redes eles deixaram para trás. Não era para saírem aprisionando pessoas, mas libertando. Andar com Jesus faria deles iscas vivas. Eles deviam levar o sabor e a atração de Jesus por onde quer que fossem.

O pescador vai onde o peixe está, corre riscos e não faz barulho para não chamar a atenção para si. É de Jesus, perdão e salvação que o pescador de homens fala.O tema do pescador de homens é Jesus, o mais próximo que Deus chegou do ser humano. E as boas novas não é uma lista de tarefas, mas a notícia de que Jesus morreu e ressuscitou para nos salvar. E que nos ama infinitamente. Vamos responder ao convite do Mestre? Nosso novo olhar descortina um horizonte bem maior de esperança e de muita Vida.


Bênção

- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém. 

- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém. 
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

 Ir. Patrícia Silva, fsp

sábado, 28 de novembro de 2020

Mc 13,33-37 - 1º Domingo do Advento - Vigiai!

LEITURA ORANTE
Formamos uma rede de comunicação
e comunhão em torno da Palavra 
com todas as pessoas que circulam por este ambiente
virtual. Rezamos em sintonia com a Santíssima Trindade.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém

Ó vem, Senhor, não tardes mais!
Vem saciar nossa sede de Paz!
  
  1.   Ó vem, como chega a brisa do vento,
Trazendo aos pobres justiça e bom tempo!  
2.   Ó vem, como a chuva no chão  
Trazendo fartura de vida e de pão!  
3.   Ó vem, como chega a luz que faltou  
Só tua palavra nos salva Senhor!  
4.   Ó vem, como chega a carta querida  
Bendito carteiro do Reino da Vida!  
5.   Ó vem, como chega o filho esperado  
Caminha conosco Jesus Bem amado!  
6.   Ó vem, como chega o Libertador  
Das mãos do inimigo nos salva Senhor



1. Leitura (Verdade) 
O que diz o texto do dia? Lemos atentamente,  o texto: Mc 13,33-37.

Vigiem e fiquem alertas, pois vocês não sabem quando chegará a hora. Será como um homem que sai de casa e viaja para longe; mas, antes de ir, dá ordens, distribui o trabalho entre os empregados e manda o porteiro ficar de vigia. Então vigiem, pois vocês não sabem quando o dono da casa vai voltar; se será à tarde, ou à meia-noite, ou de madrugada, ou de manhã. Se ele chegar de repente, que não encontre vocês dormindo! O que eu lhes digo digo a todos: fiquem vigiando! 

Refletindo
Jesus recomenda nestes versículos, atenção e vigilância. Que estejam  "de pé", na presença do Filho de Deus, quando Ele vier. O bem-aventurado Alberione recomendava, e quis que estivesse escrito nas capelas paulinas, "vivam em contínua conversão". Isto é o mesmo que estar vigilante, atento. Iniciando o Advento, a primeira atitude recomendada é esta: vigilância! Qualquer alienação pode nos distrair e não nos deixar perceber o Senhor que vem nos visitar.

2. Meditação (Caminho)

O que o texto diz para nós, hoje?
Lembramo-nos de uma parábola que nos ajuda a entender a questão da "vigilância" e estar "atento".

Meditando

AS SETE MARAVILHAS DO MUNDO
      Um grupo de estudantes estudava as sete maravilhas do mundo. No final da aula, lhes foi pedido que fizessem uma lista do que consideravam as sete maravilhas. Embora houvesse algum desacordo, prevaleceram os votos:                
1) O Taj Mahal   
2) A Muralha da China   
3) O Canal do Panamá       
4) As Pirâmides do Egito
5) O Grand Canyon           
6) O Empire State Building         
7) A Basílica de São Pedro  
      Ao recolher os votos, o professor notou uma estudante muito quieta. A menina ainda não tinha virado sua folha. O professor, então, perguntou à ela se tinha problemas com sua lista.
      Meio encabulada, a menina respondeu:
- Sim, um pouco. Eu não consigo fazer a lista, porque são muitas as maravilhas.
      O professor disse:
- Bem, diga-nos o que você já tem e talvez nós possamos ajudá-la. A menina hesitou um pouco, então leu:
- Eu penso que as sete maravilhas do mundo sejam:
1 - VER    
2 - OUVIR    
3 - TOCAR      
4 - PROVAR     
5 - SENTIR
6 - PENSAR   
7 - COMPREENDER


Penso que, muitas vezes não estamos atentos/as, porque, distraídos/as, não vemos, não ouvimos, não tocamos não provamos, não sentimos, não pensamos, nem compreendemos. 
Os bispos, na Conferência de Aparecida, lembraram mais: "O encontro com Cristo, graças à ação invisível do Espírito Santo, realiza-se na fé recebida e vivida na Igreja. Faz-se, pois, necessário propor aos fiéis a Palavra de Deus como dom do Pai para o encontro com Jesus Cristo vivo, caminho de "autêntica conversão e de renovada comunhão e solidariedade". Esta proposta será mediação de encontro com o Senhor se for apresentada a Palavra revelada, contida na Escritura, como fonte de evangelização. Os discípulos de Jesus desejam se alimentar com o Pão da Palavra: querem chegar à interpretação adequada dos textos bíblicos, empregá-los como mediação de diálogo com Jesus Cristo e a que sejam alma da própria evangelização e do anúncio de Jesus a todos. (...) Isto exige por parte dos bispos, presbíteros, diáconos e ministros leigos da Palavra uma aproximação à Sagrada Escritura que não seja só intelectual e instrumental, mas com um coração "faminto de ouvir a Palavra do Senhor" (Am 8,11). (DAp 248).
E me interrogo: Como me sinto neste caminho de conversão? Tenho garantida a minha paz pela vigilância e pela oração?

3.Oração (Vida)

O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo, espontaneamente, com salmos . acendendo a 1ª vela do 1º Domingo  do Advento. Coroa do Advento
Para marcar a passagem desse período, como também para buscar meios de cultivar o silêncio, a oração e a reflexão em família nesses dias que antecedem a comemoração do nascimento do Menino Jesus, pode-se fazer uma Coroa do Advento.
Com ramos de algum tipo de pinheiro ou cipreste, faz-se uma coroa circular onde são presas ou apoiadas quatro velas dispostas de forma simétrica. Pode-se decorar a coroa com fitas, bolas coloridas e sementes. Quatro velas representam cada semana do Advento. Três são roxas ou lilás e uma, cor rosa, a da 3ª semana. Acende-se a 1ª vela roxa e se canta:
Coroa do Advento
1° Domingo
Uma vela, na coroa, acendemos,
Toda sombra se esvai com sua luz;
Vigilantes, o Senhor esperemos:
Chegou o tempo do Advento de Jesus !
Refrão:
Meus irmãos, penitência e oração !
Arrumemos nossa casa co'alegria !
Logo a ela, o Senhor vai chegar,
Pelo ventre imaculado de Maria !
(A melodia está no player, no lado direito deste blog)

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual nosso novo olhar a partir da Palavra? Sentimo-nos 
discípulos/as de Jesus.
Nosso olhar deste dia será iluminado pela vigilância e atenção
para perceber quando o Senhor vem me visitar

Bênção Bíblica

O Senhor o abençoe e guarde!
O Senhor lhe mostre seu rosto brilhante e tenha piedade de você!
O Senhor lhe mostre seu rosto e lhe conceda a paz!
(Nm 6,24-27).




Lc 21,34-36 - Sempre atentos!

LEITURA ORANTE

"Fiquem vigiando e orem sempre!"
Graça e Paz a todos os que se reúnem aqui, nas redes sociais, 
em torno da Palavra.
 Rezamos ou cantamos o Salmo 94:

- Venham, ó nações, ao Senhor cantar 
- Ao Deus do universo, venham festejar 
- Seu amor por nós, firme para sempre 
- Sua fidelidade dura eternamente 
- Toda a terra aclame, cante ao Senhor 
- Sirva com alegria, venha com fervor 
- Nossas mãos orantes para o céu subindo 
- Cheguem como oferenda ao som deste hino 
- Glória ao Pai, ao Filho e ao Santo Espírito 
- Glória à Trindade Santa, glória ao Deus bendito

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia? Lemos atentamente o texto: Lc 21,34-36.

E Jesus terminou, dizendo:
- Fiquem alertas! Não deixem que as festas, ou as bebedeiras, ou os problemas desta vida façam vocês ficarem tão ocupados, que aquele dia pegue vocês de surpresa, como se fosse uma armadilha. Pois ele cairá sobre todos no mundo inteiro. Portanto, fiquem vigiando e orem sempre, a fim de poderem escapar de tudo o que vai acontecer e poderem estar de pé na presença do Filho do Homem, quando ele vier. 

Refletindo
Jesus recomenda nestes dois versículos, atenção, vigilância e oração para que estejamos “de pé” na presença do Filho de Deus quando ele vier. Alberione recomendava, e está escrito nas capelas paulinas, “vivam em contínua conversão”.
São Paulo fala de um véu que nos impede refletir a glória de Deus. E diz que pela nossa conversão este véu cai: "Somente pela conversão ao Senhor é que o véu cai,  pois o Senhor é o Espírito; e onde se acha o Espírito do Senhor aí existe a liberdade. E nós que, com a face descoberta, refletimos como num espelho a glória do Senhor, somos transfigurados nessa mesma imagem, cada vez mais resplandecente pela ação do Senhor, que é Espírito." (2 Cor 3, 16-18).

A Timóteo, ele ensina como evangelizar:
"Siga a justiça e a fé, o amor e a paz com aqueles que invocam de coração puro o nome do Senhor.  Evite questões bobas e não educativas. Você sabe que elas provocam brigas.  Um servo do Senhor não deve ser briguento, mas manso para com todos, competente no ensino, paciente nas ofensas sofridas. É com suavidade que você deve educar os opositores, esperando que Deus dará a eles não só a conversão, para conhecerem a verdade,  mas também o retorno ao bom senso." (2Tm 2, 22-25). 

2. Meditação (Caminho)

O que o texto diz para nós, hoje? 

Meditando
Os bispos na Conferência de Aparecida lembraram: “O encontro com Cristo, graças à ação invisível do Espírito Santo, realiza-se na fé recebida e vivida na Igreja. Recordamos o que disseram os Bispos em Aparecida: “Faz-se, pois, necessário propor aos fiéis a Palavra de Deus como dom do Pai para o encontro com Jesus Cristo vivo, caminho de “autêntica conversão e de renovada comunhão e solidariedade”. Esta proposta será mediação de encontro com o Senhor se for apresentada a Palavra revelada, contida na Escritura, como fonte de evangelização. Os discípulos de Jesus desejam se alimentar com o Pão da Palavra: querem chegar à interpretação adequada dos textos bíblicos, empregá-los como mediação de diálogo com Jesus Cristo e a que sejam alma da própria evangelização e do anúncio de Jesus a todos. Por isto, a importância de uma “pastoral bíblica”, entendida como animação bíblica da pastoral, que seja escola de interpretação ou conhecimento da Palavra, de comunhão com Jesus ou oração com a Palavra, e de evangelização inculturada ou de proclamação da Palavra. Isto exige por parte dos bispos, presbíteros, diáconos e ministros leigos da Palavra uma aproximação à Sagrada Escritura que não seja só intelectual e instrumental, mas com um coração “faminto de ouvir a Palavra do Senhor” (Am 8,11). (DAp 248).
E eu me interrogo: Como me sinto neste caminho de conversão? Tenho garantida a minha paz pela vigilância e pela oração?

3.Oração (Vida)
O que o texto nos leva a dizer a Deus?
Rezamos, espontaneamente, com salmos e concluímos com a oração do bem-aventurado Alberione:
Jesus, Mestre:
que eu pense com a tua inteligência, 

com a tua sabedoria.
Que eu ame com o teu coração.
Que eu veja com os teus olhos.
Que eu fale com a tua língua.
Que eu ouça com os teus ouvidos.
Que as minhas mãos sejam as tuas.
Que os meus pés estejam sobre as tuas pegadas.
Que eu reze com as tuas orações.
Que eu celebre como tu te imolaste.
Que eu esteja em ti e tu em mim. Amém
.

4.Contemplação (Vida e Missão)

Qual nosso novo olhar a partir da Palavra? Sentimo-nos discípulo/a de Jesus.
Nosso olhar deste dia será iluminado pela presença de Jesus Cristo, acolhido no nosso coração e no coração das demais pessoas.

Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.



Irmã Patrícia Silva, fsp


sexta-feira, 27 de novembro de 2020

Lc 21,29-33 - A Palavra não passa!

LEITURA ORANTE

Graça e Paz a todos os que se reúnem aqui, 
pelas redes sociais, 
em torno da Palavra.
 Rezamos ou cantamos o Salmo 94:

- Venham, ó nações, ao Senhor cantar 
- Ao Deus do universo, venham festejar 
- Seu amor por nós, firme para sempre 
- Sua fidelidade dura eternamente 
- Toda a terra aclame, cante ao Senhor 
- Sirva com alegria, venha com fervor 
- Nossas mãos orantes para o céu subindo 
- Cheguem como oferenda ao som deste hino 
- Glória ao Pai, ao Filho e ao Santo Espírito 
- Glória à Trindade Santa, glória ao Deus bendito 

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia? 
Lemos atentamente Lc 21,29-33.

Em seguida Jesus fez esta comparação:
- Vejam o exemplo da figueira ou de qualquer outra árvore. Quando vocês veem que as suas folhas começam a brotar, vocês já sabem que está chegando o verão. Assim também, quando virem acontecer aquelas coisas, fiquem sabendo que o Reino de Deus está para chegar. Eu afirmo a vocês que isto é verdade: essas coisas vão acontecer antes de morrerem todos os que agora estão vivos. O céu e a terra desaparecerão, mas as minhas palavras ficarão para sempre.
Refletindo
Jesus chama a atenção para um sinal da natureza: uma figueira. Quando esta árvore começa a brotar é sinal de que o verão está chegando. E aponta para alguns sinais do Reino. Tudo pode passar, desaparecer, mas, Jesus garante que suas palavras não passarão. Ficarão para sempre.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para nós, hoje?
Percebemos os sinais do Reino de Deus no meio em que vivemos, em que estamos agora? Quais são eles? Cremos na Palavra de Deus e nos apoiamos nela? Jesus mostrou através de sua Palavra tantos sinais do Reino! Por exemplo: “onde dois ou três estão reunidos em meu nome, eu estou!”

Meditando
Os bispos, na Conferência de Aparecida, lembraram: “Louvamos ao Senhor que criou o universo como espaço para a vida e a convivência de todos seus filhos e filhas e no-los deixou como sinal de sua bondade e de sua beleza. A criação também é manifestação do amor providente de Deus; foi-nos entregue para que cuidemos dela e a transformemos em fonte de vida digna para todos. Ainda que hoje se tenha generalizado uma maior valorização da natureza, percebemos claramente de quantas maneiras o homem ameaça e inclusive destrói seu ‘habitat’. “Nossa irmã a mãe terra” é nossa casa comum e o lugar da aliança de Deus com os seres humanos e com toda a criação. Desatender as mútuas relações e o equilíbrio que o próprio Deus estabeleceu entre as realidades criadas, é uma ofensa ao Criador, um atentado contra a biodiversidade e, definitivamente, contra a vida. O discípulo missionário, a quem Deus encarregou a criação, deve contemplá-la, cuidar dela e utilizá-la, respeitando sempre a ordem dada pelo Criador.”(DAp 125).
O bem-aventurado Tiago Alberione, que hoje celebramos, nos convida: "Tudo nos vem de Deus. Tudo nos leva ao Magnificat!"

E eu me interrogo: Sou agradecida/o a Deus? Como me sinto na casa comum e lugar da aliança de Deus? Favoreço ao equilíbrio da vida, em todos os sentidos?

3.Oração (Vida)

O que o texto nos leva a dizer a Deus?
Rezamos, espontaneamente, com salmos e concluímos com as

Invocações a Jesus Mestre

Jesus Mestre, santificai minha mente e aumentai minha fé.
Jesus, Mestre vivo na Igreja, atraí todos à vossa escola.
Jesus Mestre, libertai-me do erro,
dos pensamentos inúteis e das trevas eternas.
Jesus Mestre, caminho entre o Pai e nós,
tudo vos ofereço e de vós tudo espero.
Jesus, caminho da santidade, tornai-me vosso fiel seguidor.
Jesus caminho, tornai-me perfeito como o Pai que está nos céus.
Jesus vida, vivei em mim, para que eu viva em vós.
Jesus vida, não permitais que eu me separe de vós.
Jesus Vida, fazei-me viver eternamente na alegria do vosso amor.
Jesus verdade, que eu seja luz para o mundo.
Jesus caminho, que eu seja vossa testemunha autêntica diante dos homens.
Jesus vida, fazei que minha presença contagie a todos
com o vosso amor e a vossa alegria.
Bem-aventurado Tiago Alberione




4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual nosso novo olhar a partir da Palavra? 
Sentimo-nos discípulos/as de Jesus.
Nosso olhar deste dia será iluminado pelos sinais do Reino. Um dia para eu agradecer a Deus por tudo: desde o fato de viver até as pequenas coisas do dia-a-dia.


Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém. 


Irmã Patrícia Silva, fsp 


quinta-feira, 26 de novembro de 2020

Lc 21,20-28 – Dia Nacional de Ação de Graças e Festa do Bem-aventurado Tiago Alberione

LEITURA ORANTE



"Tudo nos vem de Deus.
Tudo nos leva ao Magnificat"
(BV. Alberione)

Hoje, 26 de novembro,
Dia Nacional de Ação de Graças  e
festa litúrgica do bem-aventurado Tiago Alberione,
 fundador da Família Paulina.

Preparamo-nos para a Leitura Orante, rezando, neste Dia Nacional de Ação de Graças, com toda a Família Paulina,  a oração do bem-aventurado Alberione, ao Espírito Santo:

Divino Espírito Santo,
amor eterno do Pai e do Filho,
eu vos adoro, louvo e amo!
Peço-vos perdão por todas as vezes que vos ofendi
em mim e no meu próximo.
Vinde, com a plenitude de vossos dons,
nas ordenações, nas consagrações e nas crismas!
Iluminai, santificai, aumentai o zelo apostólico!
Espírito de verdade,
consagro-vos a minha inteligência,
imaginação e memória. Iluminai-me!
Dai-me conhecer Jesus Cristo Mestre.
Revelai-me o sentido profundo do Evangelho
e de tudo o que ensina a santa Igreja.
Concedei-me o dom da sabedoria,
da ciência, da inteligência e do conselho!
Espírito santificador, consagro-vos a minha vontade!
Conduzi-me sempre e em tudo conforme a vontade do Pai!
Concedei-me o dom da fortaleza e o santo temor de Deus!
Espírito de vida, consagro-vos o meu coração!
Fazei crescer em mim a vida divina.
Concedei-me o dom da piedade. Amém.

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Lemos atentamente o texto: Lc 21,20-28, 
e observamos as palavras de Jesus.
Jesus disse ainda:
- Quando vocês virem a cidade de Jerusalém cercada por exércitos, fiquem sabendo que logo ela será destruída. Então, os que estiverem na região da Judéia, que fujam para os montes. Quem estiver na cidade, que saia logo. E quem estiver no campo, que não entre na cidade. Porque aqueles dias serão os "Dias do Castigo", e neles acontecerá tudo o que as Escrituras Sagradas dizem. Ai das mulheres grávidas e das mães que ainda estiverem amamentando naqueles dias! Porque virá sobre a terra uma grande aflição, e cairá sobre esta gente um terrível castigo de Deus. Muitos serão mortos à espada, e outros serão levados como prisioneiros para todos os países do mundo. E os não-judeus conquistarão Jerusalém, até que termine o tempo de eles fazerem isso.
E Jesus continuou:
- Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. E, na terra, todas as nações ficarão desesperadas, com medo do terrível barulho do mar e das ondas. Em todo o mundo muitas pessoas desmaiarão de terror ao pensarem no que vai acontecer, pois os poderes do espaço serão abalados. Então o Filho do Homem aparecerá descendo numa nuvem, com poder e grande glória. Quando essas coisas começarem a acontecer, fiquem firmes e de cabeça erguida, pois logo vocês serão salvos.


O objetivo deste texto que descreve o final do mundo, é motivar a esperança e a perseverança em nós. A destruição de Jerusalém pelos exércitos romanos teve característica de fim de mundo. Segundo as previsões proféticas, a intervenção salvífica de Deus, na história, seria acompanhada de fenômenos cósmicos. Não importa quando isto aconteça, mas importa que os discípulos de Jesus Cristo estejam preparados.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para nós, hoje?
Jesus recomenda que estejamos “firmes, de cabeça erguida e preparados” para este dia final. Os santos todos ofereceram orientações para este encontro com Deus. O bem-aventurado Alberione dizia: 

“ O paraíso é nosso tudo e único destino: nosso porque Deus nos criou para ele e Nosso Senhor Jesus Cristo reabriu para nós o paraíso perdido. Não é nosso fim conquistar riquezas, honrarias, prazeres. (...) As outras coisas sobre a face da terra são criadas para o ser humano, e para o ajudarem a atingir o fim para o qual é criado. Daí se segue que deve usar das coisas tanto quanto o ajudam para atingir o seu fim, e deve se privar delas tanto quanto o impedem. Por isso, é necessário fazer-nos indiferentes a todas as coisas criadas, em tudo o que é permitido ao nosso livre-arbítrio e não lhe é proibido, de tal maneira que da nossa parte não queiramos mais saúde que enfermidade, riqueza que pobreza, honra que desonra, vida longa que vida breve, e assim por diante em tudo o mais, desejando e escolhendo somente aquilo que mais nos conduz ao fim para o qual fomos criados”. 
(Donec Formetur Christus in vobis,24)

3.Oração (Vida)
O que o texto nos leva a dizer a Deus?
Rezamos, com o bem-aventurado Tiago Alberione:

Jesus, Mestre,
que eu pense com a tua inteligência, 
com a tua sabedoria.
Que eu ame com o teu coração.
Que eu veja com os teus olhos.
Que eu fale com a tua língua.
Que eu ouça com os teus ouvidos.
Que as minhas mãos sejam as tuas.
Que os meus pés estejam sobre as tuas pegadas.
Que eu reze com as tuas orações.
Que eu celebre como tu te imolaste.
Que eu esteja em ti e tu em mim. Amém.


4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual nosso novo olhar a partir da Palavra?
"Que eu ame com o teu coração, Senhor.
Que eu veja com os teus olhos".
Meu novo olhar é para relativizar tudo que tem valor passageiro e valorizar o que não passa.
Ó Jesus Mestre, Verdade-Caminho-Vida, tende piedade de nós.

Bênção do Bem-aventurado Alberione

 Jesus Divino Mestre  seja para ti 

a verdade que ilumina, 

o caminho da santidade, 

a vida plena e eterna.

Que ele te guarde e defenda.

 Plenifique de todos os bens a ti e a todos que amas.

Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.



Ir. Patricia Silva, fsp