sexta-feira, 3 de dezembro de 2021

Mt 9,27-31 - Olhos iluminados

LEITURA ORANTE

- A todos nós que nos encontramos neste ambiente de oração,
paz de Deus, nosso Pai, 
 a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo, 
no amor e na comunhão do Espírito Santo.
- Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

Iniciamos nossa Leitura Orante do Advento, com a

Canção do Advento

Ó vem, Senhor, não tardes mais! 
Vem saciar nossa sede de Paz!   

  1.   Ó vem, como chega a brisa do vento, 
Trazendo aos pobres justiça e bom tempo!  

2.   Ó vem, como a chuva no chão   
Trazendo fartura de vida e de pão!  

3.   Ó vem, como chega a luz que faltou   
Só tua palavra nos salva Senhor!  

4.   Ó vem, como chega a carta querida   
Bendito carteiro do Reino da Vida!  

5.   Ó vem, como chega o filho esperado   
Caminha conosco Jesus Bem amado!  

6.   Ó vem, como chega o Libertador   
Das mãos do inimigo nos salva Senhor

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Lemos atentamente o texto Mt 9,27-31 e observamos pessoas, palavras, relações, lugares.

Jesus saiu daquele lugar, e no caminho dois cegos começaram a segui-lo, gritando:
- Filho de Davi, tenha pena de nós!
Assim que Jesus entrou em casa, os cegos chegaram perto dele. Então ele perguntou:
- Vocês creem que eu posso curar vocês?
- Sim, senhor! Nós cremos! - responderam eles.
Jesus tocou nos olhos deles e disse:
- Então que seja feito como vocês creem!
E os olhos deles ficaram curados. Aí Jesus ordenou com severidade:
- Não contem isso a ninguém!
Porém eles foram embora e espalharam as notícias a respeito de Jesus por toda aquela região.


Refletindo

Jesus cura, devolvendo a vista aos dois cegos. Ficam livres da escuridão. Tornar a ver significa ser capaz de perceber as coisas, o mundo, as pessoas. Seus olhos ficam iluminados. Isto significa ter discernimento. Um detalhe interessante é que Jesus diz a eles: “seja feito como vocês creem!” A visão e o discernimento dependem da fé.

2. Meditação (Caminho)

O que o texto diz para nós, hoje? Temos alguma cegueira? Precisamos crescer no discernimento? Enxergar mais? Precisamos de mais fé? 
Meditando
Os bispos, na Conferência de Aparecida, falaram da alegria da fé que ilumina nossos olhos: 
“Conhecer a Jesus Cristo pela fé é nossa alegria; segui-lo é uma graça, e transmitir este tesouro aos demais é uma tarefa que o Senhor, ao nos chamar e nos eleger, nos confiou. Com os olhos iluminados pela luz de Jesus Cristo ressuscitado podemos e queremos contemplar o mundo, a história, os nossos povos." (DAp 18).

O que o texto me diz no momento? É pela fé que compreendo e vivo as coisas de Deus.

3.Oração (Vida)

O que o texto nos leva a dizer a Deus? Fazemos nossa oração pessoal e rezamos o Salmo 26:

O Senhor é minha luz e salvação.

O Senhor é minha luz e salvação;
de quem eu terei medo?
O Senhor é a proteção da minha vida;
perante quem eu tremerei?

Ao Senhor eu peço apenas uma coisa,
e é só isto que eu desejo:
habitar no santuário do Senhor
por toda a minha vida;
saborear a suavidade do Senhor
e contemplá-lo no seu templo.

Sei que a bondade do Senhor eu hei de ver
na terra dos viventes.
Espera no Senhor e tem coragem,

Espera no Senhor.

4.Contemplação (Vida e Missão)

Qual nosso novo olhar a partir da Palavra? Com os olhos iluminados pela luz de Jesus Cristo ressuscitado podemos e queremos contemplar o mundo, a história, as pessoas.

Bênção

Ó Deus cheio de bondade e amor,
concedei a vossos fiéis o ardente desejo de possuir o reino celeste,
para que, acorrendo com as nossas boas obras 
ao encontro do Cristo que vem,
sejamos reunidos à sua direita na comunidade dos justos.
Por Cristo, Nosso Senhor. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.


Ir. Patrícia Silva, fsp


quinta-feira, 2 de dezembro de 2021

Mt 7,21.24-27 – Minha casa está sobre a areia ou sobre a rocha?

LEITURA ORANTE


- A todos nós que nos encontramos neste ambiente de oração,
 paz de Deus, nosso Pai,
a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo,
no amor e na comunhão do Espírito Santo.
- Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

Preparamo-nos para a Leitura, rezando:
Oração ao Espírito Santo

Ó Espírito Santo, 
dai-me um coração grande, 
aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora, 
fechado a todas as ambições mesquinhas, 
alheio a qualquer desprezível competição humana, 
compenetrado do sentido da santa Igreja! 
Um coração grande, desejoso de tornar-se semelhante 
ao Coração do Senhor Jesus! 
Um coração grande e forte para amar todos, para servir a todos, 
para sofrer por todos! 
Um coração grande e forte para superar todas as provações, 
todo tédio, todo cansaço, toda desilusão, toda ofensa! 
Um coração grande e forte, 
constante até o sacrifício, se for necessário! 
Um coração cuja felicidade é palpitar com o Coração de Cristo 
e  cumprir, humildemente a vontade do pai. Amém.

São Paulo VI

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Lemos atentamente o texto e observamos pessoas, palavras, relações, lugares. Mt 7,21.24-27

Não é toda pessoa que me chama de "Senhor, Senhor" que entrará no Reino do Céu, mas somente quem faz a vontade do meu Pai, que está no céu.
- Quem ouve esses meus ensinamentos e vive de acordo com eles é como um homem sábio que construiu a sua casa na rocha. caiu a chuva, vieram as enchentes, e o vento soprou com força contra aquela casa. Porém ela não caiu porque havia sido construída na rocha.
- Quem ouve esses meus ensinamentos e não vive de acordo com eles é como um homem sem juízo que construiu a sua casa na areia. Caiu a chuva, vieram as enchentes, e o vento soprou com força contra aquela casa. Ela caiu e ficou totalmente destruída.

Refletindo
Não basta rezar ou chamar a Deus de Senhor para entrar no seu Reino. Jesus diz com exclusividade: “somente” quem faz a vontade do Pai é que entra neste Reino. O Mestre conta a parábola da casa construída sobre a rocha e da casa construída sobre a areia. 
Construir a  casa significa ouvir a Palavra de Deus. Nos dois casos, as pessoas “ouviram a Palavra”. A diferença está em que um “vive de acordo com os ensinamentos” e outro, não. 
Os símbolos rocha e areia  correspondem à prática ou não da Palavra. 
A chuva, as enchentes e o vento forte representam as dificuldades da vida, que querem nos derrubar e destruir o Projeto de Deus. 
A  casa construída sobre a rocha, é firme, inabalável, vence todos os obstáculos.
 
2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para nós, hoje?  

Meditando
A liturgia de hoje nos apresenta o final do Sermão da Montanha, no evangelho de Mateus (5-7). Este nos conta que a pregação de Jesus tem muito êxito entre as cidades pobres do norte do país. Gente de muitas cidades o seguia, então ele decide subir ao monte e expõe num longo discurso, sua lei de vida, o ideal de vida da comunidade. Chama bem-aventurados os pobres e reinterpreta a lei do Antigo Testamento, centrada no cumprimento de regras e preceitos, antepondo a toda a lei o respeito ao ser humano, à sua dignidade. É neste contexto que aparece o Evangelho de hoje. 
Os bispos da  América Latina nos ajudam a refletir sobre o nosso compromisso com o Reino:
O projeto de Jesus é instaurar o Reino de seu Pai. Por isso, pede a seus discípulos: “Proclamem que está chegando o Reino dos céus!” (Mt 10,7). Trata-se do Reino da vida. Porque a proposta de Jesus Cristo a nossos povos, o conteúdo fundamental desta missão, é a oferta de uma vida plena para todos. Por isso, a doutrina, as normas, as orientações éticas e toda a atividade missionária das Igrejas, deve deixar transparecer esta atrativa oferta de uma vida mais digna, em Cristo, para cada homem e para cada mulher da América Latina e do Caribe.” (DAp 361). 

3.Oração (Vida)

O que o texto nos leva a dizer a Deus?  Rezamos em silêncio e depois concluímos com a

Oração 
Pai Santo,
quisestes que a vossa Igreja fosse no mundo 
fonte de salvação para todas as nações,
a fim de que a obra do Cristo que vem 
continue até o fim dos tempos.
Aumentai em nós o ardor da evangelização, 
derramando o Espírito prometido,
e fazei brotar em nossos corações a resposta da fé.
Por Cristo, nosso Senhor.
Amém!

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual nosso novo olhar a partir da Palavra?
Vamos olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Queremos colocar em prática a Palavra que ouvimos.

Bênção
Ó Deus cheio de bondade e amor,
concedei a vossos fiéis o ardente desejo de possuir o reino celeste,
para que, acorrendo com as nossas boas obras ao encontro do Cristo que vem,
sejamos reunidos à sua direita na comunidade dos justos.
Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.


Ir. Patrícia Silva, fsp


quarta-feira, 1 de dezembro de 2021

Mt 15,29-37 - Jesus sacia a fome do povo

LEITURA ORANTE


- A todos nós que nos encontramos neste ambiente de oração,
paz de Deus, nosso Pai,
a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo,
no amor e na comunhão do Espírito Santo.

- Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

Preparamo-nos para a Leitura, oferecendo o nosso trabalho do dia:

Jesus Mestre, eu vos ofereço o meu trabalho
com as mesmas intenções com que pregastes o Evangelho.
Seja tudo, só e sempre, 
para a glória de Deus e a paz dos homens
Jesus Verdade, que todas as pessoas vos conheçam!
Jesus Caminho, que as pessoas sigam vossas pegadas!
Jesus Vida, que todos vivam em vós!
Jesus Mestre, inspirai-me com a vossa sabedoria
para que eu possa transmitir palavras de salvação.
Que meus pensamentos se inspirem no Evangelho,
 e se tornem fontes de vossa luz
a iluminar as pessoas, nossos irmãos.
São Paulo, guiai-me!
Maria, Mãe e Rainha dos Apóstolos, 
que destes ao mundo o Verbo encarnado
abençoai esta minha missão. Amém.

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Invocamos o Espírito Santo para que esteja conosco nesta Leitura Orante:
A nós descei divina luz, a nós descei divina luz
em nossas almas acendei o amor, o amor de Jesus.

Lemos atentamente o texto: Mt 15,29-37
e observamos pessoas, palavras, relações, lugares.

Jesus saiu dali e foi até o lago da Galileia. Depois subiu um monte e sentou-se ali. E foram até Jesus grandes multidões levando coxos, aleijados, cegos, mudos e muitos outros doentes, que eram colocados aos seus pés. E ele curou todos. O povo ficou admirado quando viu que os mudos falavam, os aleijados estavam curados, os coxos andavam e os cegos enxergavam. E todo o povo louvou ao Deus de Israel. Jesus chamou os seus discípulos e disse:
- Estou com pena dessa gente porque já faz três dias que eles estão comigo e não têm nada para comer. Não quero mandá-los embora com fome, pois poderiam cair de fraqueza pelo caminho.
Os discípulos perguntaram:
- Como vamos encontrar, neste lugar deserto, comida que dê para toda essa gente?
- Quantos pães vocês têm? - perguntou Jesus.
- Sete pães e alguns peixinhos! - responderam eles.
Aí Jesus mandou o povo sentar-se no chão. Depois pegou os sete pães e os peixes e deu graças a Deus. Então os partiu e os entregou aos discípulos, e eles os distribuíram ao povo. Todos comeram e ficaram satisfeitos; e os discípulos ainda encheram sete cestos com os pedaços que sobraram.

Refletindo
Jesus se vê diante da multidão de coxos, aleijados, cegos, surdos, mudos, doentes “colocados a seus pés”. O texto diz que “ele curou a todos”. O povo louvou a Deus. O texto dia ainda que há três dias eles estavam com Jesus. E o Mestre diz que tem pena daquela gente. Dia que não quer mandá-los embora pois poderão “cair de fraqueza” pelo caminho. Aqui já nos faz pensar em dois aspectos fortes: a atração de Jesus e a determinação (fé) daquele povo. Outro detalhe comovente: Jesus pensa na fraqueza, na debilidade das pessoas. Enquanto isto, os discípulos pensam de forma bastante material e economista: “Onde encontrar alimento para todos”. E Jesus pensa diferente: “quantos pães vocês têm?” Era preciso agradecer a Deus pelo pouco que tinham e partilhar. Talvez nos faltem, algumas vezes, estas duas atitudes: agradecer a Deus e partilhar o que temos.

2. Meditação (Caminho)

O que o texto diz para nós, hoje?
O que o texto nos diz no momento? Lamentamos pelo pouco que temos ou agradecemos a Deus e partilhamos com os demais o nosso “pouco”?

Meditando
Jesus cura muitos e multiplica os pães A liturgia de hoje nos traz dois sinais do Reino. O primeiro é a cura de muitos enfermos com a qual o evangelista nos quer mostrar que estamos nos tempos do Messias segundo as profecias de Isaías. O segundo sinal do Reino é o banquete narrado na primeira leitura e no salmo. Nos dias do Messias, o Senhor brindará com um banquete a todos os povos em Sião. Estamos nesses “últimos dias”. Jesus convida, não já a todos os povos, senão a todos os pobres (coxos, aleijados mancos, enfermos) a uma ceia de solidariedade. Jesus pergunta a seus discípulos quantos pães têm, chama-os à solidariedade, a sair de si. Logo convida a todos a fazerem o mesmo: “mandou que as pessoas se sentassem no chão”. Este sinal de mútua solidariedade se transformou em alimento para todos, o verdadeiro sinal do Reino messiânico e 
Os bispos, na Conferência de Aparecida, disseram: “Também encontramos Jesus, de um modo especial, nos pobres, aflitos e enfermos (cf. Mt 25,37-40), que exigem nosso compromisso e nos dão testemunho de fé, paciência no sofrimento e constante luta para continuar vivendo. Quantas vezes os pobres e os que sofrem realmente nos evangelizam! No reconhecimento desta presença e proximidade e na defesa dos direitos dos excluídos encontra-se a fidelidade da Igreja a Jesus Cristo. O encontro com Jesus Cristo através dos pobres é uma dimensão constitutiva de nossa fé em Jesus Cristo. Da contemplação do rosto sofredor de Cristo neles e do encontro com Ele nos aflitos e marginalizados, cuja imensa dignidade Ele mesmo nos revela, surge nossa opção por eles. A mesma união a Jesus Cristo é a que nos faz amigos dos pobres e solidários com seu destino.” (DAp 257).
Tenho estas atitudes de contemplar o rosto sofredor de Cristo nos pobres e me encontro com ele nos marginalizados ou “descartados”?

3.Oração (Vida)

O que o texto nos leva a dizer a Deus?
Podemos agradecer esta maravilhosa solidariedade que ele nos oferece. Podemos fazer também a

Oração 
Pai Santo,
quisestes que a vossa Igreja fosse no mundo 
fonte de salvação para todas as nações,
a fim de que a obra do Cristo que vem 
continue até o fim dos tempos.
Aumentai em nós o ardor da evangelização, 
derramando o Espírito prometido,
e fazei brotar em nossos corações a resposta da fé.
Por Cristo, nosso Senhor.
Amém!

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual  nosso novo olhar a partir da Palavra?
Vamos olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Vamos ter o coração cheio de compaixão e solidariedade com os que sofrem.
Oração sugerida pelo Papa Francisco para fazermos durante todo o dia:
"Vem, Senhor Jesus"

Bênção 
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém. 


Irmã Patrícia Silva, fsp


terça-feira, 30 de novembro de 2021

Mt 4,18-22 - O chamado de André


Leitura Orante

Preparamo-nos para a Leitura Orante, fazendo uma rede de comunicação
e comunhão em torno da Palavra com todas as pessoas que circulam pelas redes sociais.
Hoje, nos encontramos, onde quer que você esteja: no metrô, em casa, na rua, no ônibus, no seu carro, no seu trabalho...  Hoje, dia de Santo André Apóstolo, vamos ler o Evangelho que fala de deixar as redes para seguir Jesus e nos tornarmos “pescadores de gente”. Vamos pensar nisto agora, rezando:
Enviai, Senhor, muitos operários
para a vossa messe
pois a messe é grande
E poucos os operários
1. Leitura (Verdade) 
O que diz o texto do dia? Lemos atentamente  Mt 4,18-22.

Jesus estava andando pela beira do lago da Galileia quando viu dois irmãos que eram pescadores: Simão, também chamado de Pedro, e André. Eles estavam no lago, pescando com redes. Jesus lhes disse:
- Venham comigo, que eu ensinarei vocês a pescar gente.
Então eles largaram logo as redes e foram com Jesus.
Um pouco mais adiante Jesus viu outros dois irmãos, Tiago e João, filhos de Zebedeu. Eles estavam no barco junto com o pai, consertando as redes. Jesus chamou os dois, e, no mesmo instante, eles deixaram o pai e o barco e foram com ele.

Refletindo

Jesus chama os primeiros discípulos: Pedro e André. Depois, chama outros dois irmãos: Tiago e João. Estes deixam sua profissão de pescadores, deixam família, deixam suas seguranças e abraçam o Projeto de Jesus: o compromisso de “pescadores de gente”.
O convite de Jesus é para todos os que ouvem a sua Palavra.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para nós, hoje? 

Meditando
Os bispos, em Aparecida, reconheceram a vocação como dom de Deus: A própria vocação, a própria liberdade e a própria originalidade são dons de Deus para a plenitude e a serviço do mundo." (DAp 111).

O Senhor se revela a nós não de forma extraordinária ou estrondosa, mas no quotidiano da nossa vida.
Foi assim para os primeiros apóstolos. Estavam pescando. Jesus passou onde estavam e lhes fez o convite.
Também para nós é assim: no nosso dia-a-dia é  que devemos encontrar o Senhor, dialogar com Ele e mudar a nossa vida. A resposta dos quatro pescadores foi imediata e sem hesitação: abandonaram as redes e seguiram Jesus. 
O papa Francisco comenta: “nas margens do lago, numa terra impensável, nasceu a primeira comunidade de discípulos de Cristo. E nós cristãos, temos  hoje a alegria de proclamar e dar testemunho da nossa fé, graças àquele primeiro anúncio e àqueles homens humildes e corajosos que responderam generosamente  ao chamado de Jesus” .
A consciência deste início suscite em nós o desejo de levar a palavra, o amor, a ternura de Jesus a todos os contextos, mesmo nos mais difíceis e fechados. “Levar a palavra a todas as periferias. Todos os espaços da vida humana são terrenos onde lançar a semente do Evangelho, a fim de que dê frutos de salvação”.
E nós nos perguntamos: sendo eu, membro vivo da Igreja, como vivo minha vocação à plenitude a serviço do mundo? Sou capaz de largar minhas redes, meu barco, ou seja, meus interesses, meus programas e opções para seguir Jesus que quer me falar  naquele encontro, naquela reunião da comunidade, naquele serviço de acolhimento de alguém que chega à minha casa, ao meu trabalho, do meu lado no ônibus, na recepção de um consultório...? Pensemos como é a nossa resposta aos convites de Jesus para sermos “pescadores de gente”.

3.Oração (Vida)

O que o texto nos leva a dizer a Deus?
Rezamos, espontaneamente, com salmos e concluímos com a oração
que é uma conhecida canção:

Tu,  te abeiraste na praia
Não buscaste nem sábios, nem ricos
Somente queres que eu te siga....

Senhor, Tu me olhaste nos olhos
A sorrir, pronunciaste meu nome
Lá na praia, eu deixei o meu barco
Junto a Ti, buscarei outro mar

Tu sabes bem que em meu barco
Eu não tenho nem espadas nem ouro
Somente redes e o meu trabalho...

Tu minhas mãos solicitas
Meu cansaço, que a outros descansem
Amor que almeja seguir amando..

Junto a Ti, Senhor, buscarei outro mar

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual nosso novo olhar a partir da Palavra? 
 Nosso olhar foi  iluminado pela certeza de que Deus cuida deste mundo? Cuida de nós, e em Jesus Cristo toda dor, todo sofrimento, toda perseguição tem um misterioso porquê?
Vivemos esta certeza? .
Simão e André eram pescadores e Jesus os chamou para serem pescadores de homens. Tudo o que eles precisavam fazer era seguir Jesus.

A capacitação e o poder para transformá-los em pescadores de homens viria de Deus, não de uma faculdade ou algo assim. Não seria uma pesca com redes. As redes eles deixaram para trás. Não era para saírem aprisionando pessoas, mas libertando. Andar com Jesus faria deles iscas vivas. Eles deviam levar o sabor e a atração de Jesus por onde quer que fossem.

O pescador vai onde o peixe está, corre riscos e não faz barulho para não chamar a atenção para si. É de Jesus, perdão e salvação que o pescador de homens fala. O tema do pescador de homens é Jesus, o mais próximo que Deus chegou do ser humano. E as boas novas não é uma lista de tarefas, mas a notícia de que Jesus morreu e ressuscitou para nos salvar. E que nos ama infinitamente. Vamos responder ao convite do Mestre? Nosso novo olhar descortina um horizonte bem maior de esperança e de muita Vida.


Bênção

- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém. 

- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém. 
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

 Ir. Patrícia Silva, fsp

segunda-feira, 29 de novembro de 2021

Mt 8,5-11 - A "formosa aventura da fé"

LEITURA ORANTE

Em união com todos que se encontram neste ambiente virtual, 
iniciamos nossa Leitura Orante com a

Canção do Advento 

Ó vem, Senhor, não tardes mais!
Vem saciar nossa sede de Paz!  
  1.   Ó vem, como chega a brisa do vento,
Trazendo aos pobres justiça e bom tempo!  
2.   Ó vem, como a chuva no chão  
Trazendo fartura de vida e de pão!  
3.   Ó vem, como chega a luz que faltou  
Só tua palavra nos salva Senhor!  
4.   Ó vem, como chega a carta querida  
Bendito carteiro do Reino da Vida!  
5.   Ó vem, como chega o filho esperado  
Caminha conosco Jesus Bem amado!  
6.   Ó vem, como chega o Libertador  
Das mãos do inimigo nos salva Senhor




1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?

Lemos atentamente o texto: Mt 8,5-11 - Jesus cura  sem limites

Quando Jesus entrou na cidade de Cafarnaum, um oficial romano foi encontrar-se com ele e pediu que curasse o seu empregado. Ele disse:
 - Senhor, o meu empregado está na minha casa, tão doente, que não pode nem se mexer na cama. Ele está sofrendo demais.
 - Eu vou lá curá-lo! - disse Jesus. O oficial romano respondeu:
 - Não, senhor! Eu não mereço que o senhor entre na minha casa. Dê somente uma ordem, e o meu empregado ficará bom. Eu também estou debaixo da autoridade de oficiais superiores e tenho soldados que obedecem às minhas ordens. Digo para um: "Vá lá", e ele vai. Digo para outro: "Venha cá", e ele vem. E digo também para o meu empregado: "Faça isto", e ele faz.
 Quando Jesus ouviu isso, ficou muito admirado e disse aos que o seguiam:
 - Eu afirmo a vocês que isto é verdade: nunca vi tanta fé, nem mesmo entre o povo de Israel! E digo a vocês que muita gente vai chegar do Leste e do Oeste e se sentar à mesa no Reino do Céu com Abraão, Isaque e Jacó. 

Refletindo
O oficial romano, por ser pagão, era para os judeus “ impuro”, isto é, inaceitável. Um judeu observante não falava com um pagão e, muito menos, entrava na sua casa. Era o preconceito, por ser ele considerado impuro. O oficial romano é também chamado “centurião”, derivado de “cento”, ou seja, chefe de um batalhão de cem soldados. Pela  sua fé,  elogiada por Jesus, o centurião se torna representante de todos os pagãos que crerão em Jesus. Fica também entendido que as fronteiras do Reino de Deus vão muito além das fronteiras que criamos. A fronteira é a fé. Sem esta fé não se entra no Reino.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para nós?
O texto do Evangelho lido nos fala de não discriminar a ninguém e também, de fé.
Meditação 
Os bispos, em Aparecida, usaram uma expressão interessante: "a formosa aventura da fé": " A Igreja, como “comunidade de amor” é chamada a refletir a glória do amor de Deus que, é comunhão, e assim atrair as pessoas e os povos para Cristo. No exercício da unidade desejada por Jesus, os homens e mulheres de nosso tempo se sentem convocados e recorrem à formosa aventura da fé. “Que também eles vivam unidos a nós para que o mundo creia” (Jo 17,21). A Igreja cresce, não por proselitismo mas “por ‘atração’: como Cristo ‘atrai tudo a si’ com a força de seu amor”72. A Igreja “atrai” quando vive em comunhão, pois os discípulos de Jesus serão reconhecidos se amarem uns aos outros como Ele nos amou (cf. Rm 12,4-13; Jo 13,34)." (DAp 159 ).

3.Oração (Vida)
Vivemos esta fé que cria também a comunhão?
O que o texto nos leva a dizer a Deus?
Rezamos, espontaneamente, com salmos e concluimos com a

Oração da Campanha da Evangelização (do tempo do Advento)
Pai Santo,
quisestes que a vossa Igreja fosse no mundo 
fonte de salvação para todas as nações,
a fim de que a obra do Cristo que vem 
continue até o fim dos tempos.
Aumentai em nós o ardor da evangelização, 
derramando o Espírito prometido,
e fazei brotar em nossos corações a resposta da fé.
Por Cristo, nosso Senhor.
Amém!

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual nosso novo olhar a partir da Palavra?
Na vida, vamos nos empenhar para lançar sobre cada situação ou pessoa um olhar de fé. Queremos viver a "formosa aventura da fé".

Bênção Bíblica
O Senhor o abençoe e guarde!
O Senhor lhe mostre seu rosto brilhante e tenha piedade de você!
O Senhor lhe mostre seu rosto e lhe conceda a paz!’ (Nm 6,24-27).
Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Ir. Patrícia Silva, fsp


 

domingo, 28 de novembro de 2021

Lc 21,25-28.34-36 - Em alerta! Começa o Advento - Ano C

LEITURA ORANTE

1º Domingo do Advento
Preparamo-nos para a Leitura Orante, fazendo uma rede de comunicação e comunhão em torno da Palavra com todas as pessoas que circulam neste ambiente virtual.

Cantamos "Ó vem, senhor, não tardes mais"


Ó vem, Senhor, não tardes mais! 
Vem Saciar nossa Sede de Paz!


1. Ó vem, como chega a brisa do vento, 
Trazendo aos pobres justiça e bom tempo!


2. Ó vem, como a chuva no chão 
Trazendo fartura de vida e de pão!


3. Ó vem, como chega a luz que faltou 
Só tua palavra nos salva Senhor!


4. Ó vem, como chega a carta querida 
Bendito carteiro do Reino da Vida!


5. Ó vem, como chega o filho esperado 

Caminha conosco Jesus Bem amado!


6. Ó vem, como chega o Libertador 
Das mãos do inimigo nos salva Senhor


Rezamos a Maria da Anunciação:

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém
Oração a Nossa Senhora da Anunciação
Todas as gerações vos proclamem bem-aventurada, ó Maria!
Crestes na mensagem celeste,
e em vós se cumpriram grandes coisas, como vos fora anunciado.
Maria, eu vos louvo!
Crestes na Encarnação do Filho em vosso seio virginal
e vos tornastes Mãe de Deus. Raiou então o dia mais feliz da humanidade!

As pessoas tiveram o Mestre divino.
Maria, alcançai-me a graça de uma fé viva, forte, atuante. 
Maria, Mãe, Mestra e Rainha dos Apóstolos, rogai por nós.


1. Leitura (Verdade)

O que diz o texto do dia? Lemos atentamente,  o texto: Lc 21,25-28.34-36.

E Jesus continuou:
- Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. E, na terra, todas as nações ficarão desesperadas, com medo do terrível barulho do mar e das ondas. Em todo o mundo muitas pessoas desmaiarão de terror ao pensarem no que vai acontecer, pois os poderes do espaço serão abalados. Então o Filho do Homem aparecerá descendo numa nuvem, com poder e grande glória. Quando essas coisas começarem a acontecer, fiquem firmes e de cabeça erguida, pois logo vocês serão salvos.
E Jesus terminou, dizendo:
- Fiquem alertas! Não deixem que as festas, ou as bebedeiras, ou os problemas desta vida façam vocês ficarem tão ocupados, que aquele dia pegue vocês de surpresa, como se fosse uma armadilha. Pois ele cairá sobre todos no mundo inteiro. Portanto, fiquem vigiando e orem sempre, a fim de poderem escapar de tudo o que vai acontecer e poderem estar de pé na presença do Filho do Homem, quando ele vier.

Refletindo
Começa o Advento. A Liturgia nos apresenta um cenário de parusia. A parusia é a volta gloriosa de Jesus Cristo, no final dos tempos. Jesus fala de sinais que anunciam esta volta. E recomenda a ficar de "cabeça erguida e firmes". Festas e bebedeiras poderão distrair. Jesus recomenda a estarmos conscientes da vinda do Senhor: "Fiquem alertas!"

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para nós, hoje?

Os bispos na Conferência de Aparecida lembraram: "O discípulo sabe que sem Cristo não há luz, não há esperança, não há amor, não há futuro." (DAp 146).
E eu me interrogo: Cristo é minha luz, minha esperança?
Posso completar minha reflexão
O Advento é tempo de espera. Espera de alguém que vem. Este alguém é o Filho de Deus que traz a salvação a todos. O Advento, do latim Adventus, significa "chegada", "vinda"; do verbo Advenire: "chegar a", "início".  É o primeiro tempo do Ano litúrgico, que antecede o Natal.
A cor predominante do Advento é a cor roxa. Usa-se a cor roxa, sinal de penitência e conversão, porém no 3° domingo, por ser considerado domingo da alegria, pode-se usar o rosa.
Coroa do Advento
O tempo do Advento abrange quatro semanas.
1° Domingo

Uma vela, na coroa, acendemos, 

Toda sombra se esvai com sua luz; 
Vigilantes, o Senhor esperemos: 
Chegou o tempo do Advento de Jesus ! 
Refrão: 
Meus irmãos, penitência e oração ! 
Arrumemos nossa casa co'alegria ! 
Logo a ela, o Senhor vai chegar, 
Pelo ventre imaculado de Maria !


3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo, espontaneamente, com salmos e concluo com a oração

Jesus, Divino Mestre,

Nós vos adoramos, Verbo feito carne, enviado pelo Pai,
para ensinar às pessoas a verdade que dá a vida..
Sois a verdade incriada, o único Mestre. 
"Somente vós tendes palavras de vida eterna". 
Nós vos louvamos e agradecemos porque 
nos concedestes a luz da inteligência e da fé e 
nos chamastes à luz da glória. 
Nós cremos e abrimos nossa inteligência e todo o nosso ser
para aceitar e viver a vossa palavra e tudo o que nos ensinais
por meio da Igreja..
Mostrai-nos, ó Senhor e Mestre, os tesouros da vossa sabedoria. 
Fazei que conheçamos o Pai e sejamos vossos discípulos autênticos. 
Aumentai nossa fé, para que vos possamos contemplar eternamente no céu.

4.Contemplação (Vida e Missão)

Qual nosso novo olhar a partir da Palavra? Sentimo-nos discípulos/as de Jesus?
Nosso olhar deste dia será iluminado pela presença de Jesus Cristo, em atitude de alegre expectativa do Natal. Lembraremos as palavras de Jesus: "
fiquem vigiando e orem sempre"

Bênção 
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém. 


Irmã Patrícia Silva, fsp