domingo, 16 de dezembro de 2018

Lc 3,10-18 – João recomenda a solidariedade - 3º Domingo do Advento


Hoje, 3º. Domingo do Advento
Coleta da Campanha da Evangelização

Preparo-me para a Leitura Orante, fazendo uma rede de comunicação
e comunhão em torno da Palavra com todas as pessoas que circulam neste ambiente
virtual.
Rezo a Maria da Anunciação.


Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém
Oração a Nossa Senhora da Anunciação
Todas as gerações vos proclamem bem-aventurada, ó Maria!

Crestes na mensagem celeste, 
e em vós se cumpriram grandes coisas, 
como vos fora anunciado.
Maria, eu vos louvo!
Crestes na Encarnação do Filho em vosso seio virginal e 
vos tornastes Mãe de Deus.
Raiou então o dia mais feliz da humanidade!

As pessoas tiveram o Mestre divino.
Maria, alcançai-me a graça de uma fé viva, forte, atuante. 
Maria, Mãe, Mestra e Rainha dos Apóstolos, rogai por nós.

1. Leitura (Verdade) 
O que diz o texto do dia? Leio atentamente o texto: Lc 3,10-18

Naquele tempo, 10 as multidões perguntavam a João: “Que devemos fazer?” 11 João respondia: “Quem tiver duas túnicas dê uma a quem não tem; e quem tiver comida faça o mesmo!” 12 Foram também para o batismo cobradores de impostos e perguntaram a João: “Mestre, que devemos fazer?” 13 João respondeu: “Não cobreis mais do que foi estabelecido”. 14 Havia também soldados que perguntavam: “E nós, que devemos fazer?” João respondia: “Não tomeis à força dinheiro de ninguém nem façais falsas acusações; ficai satisfeitos com o vosso salário!” 15 O povo estava na expectativa e todos se perguntavam no seu íntimo se João não seria o Messias. 16 Por isso, João declarou a todos: “Eu vos batizo com água, mas virá aquele que é mais forte do que eu. Eu não sou digno de desamarrar a correia de suas sandálias. Ele vos batizará no Espírito Santo e no fogo. 17 Ele virá com a pá na mão: vai limpar sua eira e recolher o trigo no celeiro; mas a palha, ele a queimará no fogo que não se apaga”. 18 E ainda de muitos outros modos João anunciava ao povo a boa-nova. 

Refletindo
Das mais diferentes pessoas vinham perguntas para João. Um dos seguidores perguntou a João o que deviam fazer para viver a fé. A primeira recomendação de João é a partilha. Repartir roupa, comida.
Cobradores de impostos também fazem perguntas: “O que devemos fazer?” A estes João fala de justiça. Não cobrar a mais do que se deve, não ser corrupto.
Também os soldados queriam saber o que deviam fazer. A estes, João recomenda que não tomem dinheiro à força, nem por meio de falsas acusações.
Em seguida, João fala de alguém que vem depois dele do qual não merece a honra de desatar-lhe as sandálias. João batiza com água e o que virá batizará com o Espírito Santo. João pedia a todos que mudassem de vida.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje?
Eu me incluo entre as várias pessoas que ouviam João e acolhiam suas propostas de conversão.
Meditando
 No Documento de Aparecida, falando dos diversos lugares de encontro com Cristo, os bispos disseram:
“Também encontramos Cristo de um modo especial nos pobres, aflitos e enfermos (cf. Mt 25,37-40), que exigem nosso compromisso e nos dão testemunho de fé, paciência no sofrimento e constante luta para continuar vivendo. Quantas vezes os pobres e os que sofrem realmente nos evangelizam! No reconhecimento desta presença e proximidade e na defesa dos direitos dos excluídos encontra-se a fidelidade da Igreja a Jesus Cristo. O encontro com Jesus Cristo através dos pobres é uma dimensão constitutiva de nossa fé em Jesus Cristo. Da contemplação do rosto sofredor de Cristo neles e do encontro com Ele nos aflitos e marginalizados, cuja imensa dignidade Ele mesmo nos revela, surge nossa opção por eles. A mesma união a Jesus Cristo é a que nos faz amigos dos pobres e solidários com seu destino.” (DAp 257).
E eu me interrogo: sendo membro vivo da Igreja, faço também eu este encontro com Cristo nos pobres, partilhando bens espirituais e materiais com eles?

3.Oração (Vida)O que o texto me leva a dizer a Deus?

 Junto com nossa oferta de hoje, rezamos com todo o povo a Oração:
Oração da Campanha para a Evangelização
Pai Santo,
quisestes que a vossa Igreja fosse no mundo 
fonte de salvação para todas as nações,
a fim de que a obra do Cristo que vem continue até o fim dos tempos.
Aumentai em nós o ardor da evangelização,
derramando o Espírito prometido,
e fazei brotar em nossos corações a resposta da fé.
Por Cristo, nosso Senhor.
Amém!

4.Contemplação (Vida e Missão)Qual meu novo olhar a partir da Palavra? Sinto-me discípulo/a de Jesus.

Meu olhar deste dia será iluminado certeza de que faço parte do Cristo, e como tal participo da vida da Igreja. Vou fazer a minha oferta para a Campanha da Evangelização.

Dia 13 de dezembro – Coleta para a Evangelização nas comunidades
A Campanha para a Evangelização segue o exemplo das primeiras comunidades, às quais Paulo recomendava que os que têm se enriqueçam de boas obras, deem com prodigalidade e repartam com os demais (cf. 2Cor 8 e 9).


Irmã Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br