terça-feira, 17 de março de 2020

Mt 18,21-35 - Perdoar sempre


Faça este Retiro Passo a passo com Jesus
Rumo à Páscoa
Pela Rádio Nova Aliança, AM 710  FM 103,3
Ou pela internet
www.novaalianca.org.br
Todos os dias, às 17h30


Passo a passo, a caminho com Jesus,
Estamos na 3ª semana da quaresma 
quando, hoje,  contemplamos a alegria do perdão
Vamos fazer esta descoberta
passo a passo com Jesus,
em Mt 18,21-35
Invoquemos a Trindade na qual fomos batizados:
Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
Creio, Senhor Jesus, que sou parte de seu Corpo,
membro da sua Igreja viva.

Trindade Santíssima
- Pai, Filho, Espírito Santo -
presente e atuante na Igreja e na profundidade do meu ser.
Eu vos adoro, amo e agradeço. 
E pedimos a graça de fazer uma experiência mais profunda da vida do Espíritopara poder perceber as pulsações desta vida eterna no nosso próprio interior.
Agora,
respirando suavemente, olhamos
através da imaginação,
para dentro do nosso coração.
E vamos repetindo a oração:
“Senhor Jesus, tem piedade de nós".

E  Ele, o Senhor da nossa vida, nos diz


1. Leitura (Verdade)
Vamos ler  com calma e atentamente, na Biblia, 
Mt 18,21-35.
“Segue os passos que eu darei, prende a tua cruz na minha”, diz Jesus.
Poucas pessoas entendem o sentido profundo do perdão, A maioria pensa que é anistia do sentimento, esquecimento, compreensão do ofensor, passar por cima de um erro. Para outros perdão é próprio de pessoas fracas. No entanto, o perdão é a atitude que melhor revela o coração misericordioso de Deus. Comecemos a descobri-lo lendo o Evangelho: Mt 18,21-35:

Pedro chegou perto de Jesus e perguntou:
- Senhor, quantas vezes devo perdoar o meu irmão que peca contra mim? Sete vezes?
- Não! - respondeu Jesus. - Você não deve perdoar sete vezes, mas setenta e sete vezes. Porque o Reino do Céu é como um rei que resolveu fazer um acerto de contas com os seus empregados. Logo no começo trouxeram um que lhe devia milhões de moedas de prata. Mas o empregado não tinha dinheiro para pagar. Então, para pagar a dívida, o seu patrão, o rei, ordenou que fossem vendidos como escravos o empregado, a sua esposa e os seus filhos e que fosse vendido também tudo o que ele possuía. Mas o empregado se ajoelhou diante do patrão e pediu: "Tenha paciência comigo, e eu pagarei tudo ao senhor."
- O patrão teve pena dele, perdoou a dívida e deixou que ele fosse embora. O empregado saiu e encontrou um dos seus companheiros de trabalho que lhe devia cem moedas de prata. Ele pegou esse companheiro pelo pescoço e começou a sacudi-lo, dizendo: "Pague o que me deve!"
- Então o seu companheiro se ajoelhou e pediu: "Tenha paciência comigo, e eu lhe pagarei tudo."
- Mas ele não concordou. Pelo contrário, mandou pôr o outro na cadeia até que pagasse a dívida. Quando os outros empregados viram o que havia acontecido, ficaram revoltados e foram contar tudo ao patrão. Aí o patrão chamou aquele empregado e disse: "Empregado miserável! Você me pediu, e por isso eu perdoei tudo o que você me devia. Portanto, você deveria ter pena do seu companheiro, como eu tive pena de você."
- O patrão ficou com muita raiva e mandou o empregado para a cadeia a fim de ser castigado até que pagasse toda a dívida.
E Jesus terminou, dizendo:
- É isso o que o meu Pai, que está no céu, vai fazer com vocês se cada um não perdoar sinceramente o seu irmão.

Refletindo
À pergunta de Pedro: “Senhor, quantas vezes devo perdoar o meu irmão que peca contra mim? Sete vezes? “ Jesus disse que não só sete vezes, mas setenta vezes sete. Ou seja, na comunidade dos seguidores de Jesus não existe limite para o perdão. “Setenta vezes sete” quer dizer, sempre! A história que Jesus conta em seguida é para lembrar que também nós precisamos de perdão, também nós somos perdoados, por isso, devemos perdoar sempre.
Para Jesus perdão é uma forma de amor, um amor que acolhe o outro na sua fragilidade.
O perdão é o superlativo do amor.
O perdão “inventa” uma atitude não descrita em nenhum manual de comportamento. Ele quebra a lógica do “olho por olho, dente por dente”. E é como pecadores que somos chamados a perdoar e não, como justos. (Retiro Quaresmal, Loyola)
O perdão abre uma porta para a vida, num mundo fechado em dores e sentimentos feridos.
O perdão é um ato de fé na bondade fundamental do ser humano.
Quem perdoou verdadeiramente, o fez porque se encontrou com a fonte da vida e da reconciliação. Foi conduzido por uma sede imensa que o levou ao mais profundo do seu coração. Tudo é possível quando buscamos em nome de Jesus. 


2. Meditação(Caminho)
Em nome de Jesus é que vemos a luz e temos força para levar a nossa cruz.
- O que a Palavra diz para mim?
O Evangelho de hoje me questiona profundamente, sobretudo se tenho dificuldade de perdoar. Devo me lembrar de que o perdão mede a minha fé no nome de Jesus e a capacidade de amar. Preciso estar movido pela fé, em comunicação com Deus, dizendo-lhe o tamanho de minha cruz. É preciso dizer a Ele que precisamos de uma luz. E Ele nos ouve.  Em nome de Jesus nos vemos a luz. Só Ele nos faz compreender o sentido do perdão. De Deus nos vem a luz e a paz.Vem a força para levar a nossa cruz, para perdoar, para amar.

Meditando com a Igreja
Disseram os bispos, em Aparecida: “A Igreja, sacramento de reconciliação e de paz, deseja que os discípulos e missionários de Cristo sejam também, ali mesmo onde se encontrem, “construtores de paz” entre os povos e nações de nosso Continente. A Igreja é chamada a ser uma escola permanente de verdade e de justiça, de perdão e de reconciliação para construir uma paz autêntica” (DAp 542).

Música 3 – A pessoa que perdoa - Pe. Zezinho, scj

3. Oração (Vida) Sem perdão não há mudança. Deus que sabe perdoar pode nos ajudar. 
Converte meu coração, Senhor. Peçamos a Deus.
Salmo 24
Mostrai-me, Senhor, vossos caminhos,
e fazei-me conhecer a vossa estrada!
Vossa verdade me oriente e me conduza,
porque sois o Deus da minha salvação.
Recordai, Senhor Deus,
vossa ternura e vossa compaixão que são eternas.
De mim lembrai-vos, porque
sois misericórdia e sois bondade sem limites, ó Senhor!


4. Contemplação (Vida/ Missão)
- Qual o meu novo olhar a partir da Palavra?
Quero hoje ter um olhar de amor que tudo perdoa, tudo desculpa, tudo crê!  Peçamos esta graça ao receber a bênção de Deus que nos é oferecida pelo nosso cardeal
BÊNÇÃO DO CARDEAL SÉRGIO DA ROCHA 
Senhor, nosso Deus, concedei-nos nesta quaresma a graça da conversão e da reconciliação por meio da oração, da penitencia e da caridade. Dai-nos a graça de aprender convosco a  ser livres para amar, acolhendo a vida como dom e compromisso, valorizando e defendendo a vida, especialmente onde ela se encontra mais fragilizada e sofrida. Isto vos pedimos, em nome do Pai, e do Filho e do Espirito Santo. Amém.

                              Música 4: Hino ao amor - Pe. Zezinho, scj